No dia 31 de março, comemora-se o Dia Internacional da Visibilidade Trans, em celebração à importância, ao legado e à constante luta por direitos iguais da comunidade transsexual e travesti.

Enquanto a representatividade dessa parcela da comunidade vem aumentando constantemente no cenário do entretenimento – com produções que desconstroem estereótipos e apostavam em narrativas reais e pungentes -, é necessário comentar que a briga é diária. O Brasil é o país que mais mata travestis e transsexuais; apenas nos últimos oito anos, 868 pessoas foram assassinadas (dentro do que é possível ser contado, considerando que parte das informações é preconceituosa, errônea e desonesta).

Para manter viva a memória das principais militantes trans, o CinePOP separou uma breve e singela lista com dez filmes e séries que revelam e explicitam os obstáculos diários enfrentados pela comunidade – e sua constante batalha pela aceitação e por oportunidades.

Confira abaixo as nossas escolhas e conte para nós qual a sua favorita:



POSE (2018 – PRESENTE)

Onde assistir: Netflix

Aproveite para assistir:

Em Pose, as pessas experimentam um estilo de vida nunca visto antes na história de Nova York: a ascensão da cultura de luxo no fim da década de 80. Paradoxalmente, a parte da sociedade que se beneficia do aumento do consumo e dos privilégios entra em conflito com o outro segmento, que enfrenta o declínio da cena social e literária no centro da cidade. Criada por Ryan Murphy, o elenco da série trouxe o maior número de atrizes e atores trans da história e carrega um legado gigantesco desde sua espetacular estreia.

SENSE8 (2015 – 2018)

Onde assistir: Netflix



Mesmo depois de um injusto cancelamento, Sense8 permanece como uma das séries originais da Netflix mais adoradas pelo público, por sua competente narrativa sci-fi e pela extensa representatividade. Nomi, vivida pela atriz Jamie Clayton, é uma das protagonistas da produção e uma das melhores personagens da década passada. Clayton, sendo uma mulher trans, também interpreta uma hacker trans extremamente inteligente e com diálogos necessários e reflexivos sobre a luta diária da comunidade.

A MORTE E A VIDA DE MARSHA P. JOHNSON (2017)

Onde assistir: Netflix

Documentário sobre o legado político deixado por Marsha P. Johnson, a estrela da TV americana e lendária figura do gueto gay de Nova York, conhecida por muitos como a “Rosa Parks do mundo LGBT”. Ao lado de Sylvia Rivera, Marsha foi a responsável por fundar a Transvestites Action Revolutionaries, um grupo de ativistas trans do país.

LAERTE-SE (2017)

Onde assistir: Netflix

A cartunista Laerte passou quase 60 anos se expressando e sendo identificada como homem, até que decidiu revelar sua identidade de mulher transexual. Uma das artistas mais reconhecidas do Brasil, Laerte teve três filhos e passou por três casamentos. O longa-metragem retrata a trajetória da lendária artista brasileira, vivenciando uma jornada única e pessoal sobre o que é, de fato, ser uma mulher.

REVELAÇÃO (2020)



Onde assistir: Netflix

Por décadas, pessoas trans foram retratadas de maneira estereotipada no cinema e na TV. O documentário ‘Revelação‘ faz uma investigação sobre o impacto dessa representação na comunidade trans. Por meio do olhar e de relatos de pessoas como Laverne CoxLilly WachowskiYance FordJamie Clayton e Chaz Bono, ‘Revelação‘ também nos leva a refletir sobre as mudanças e os avanços que fazem parte.

UMA MULHER FANTÁSTICA (2017)

Onde assistir: Amazon Prime Video

Em ‘Uma Mulher Fantástica’, Marina (Daniela Vega) é uma garçonete transsexual que passa boa parte dos seus dias buscando seu sustento. Seu verdadeiro sonho é ser uma cantora de sucesso e, para isso, canta durante a noite em diversos clubes de sua cidade. O problema é que, após a inesperada morte de Orlando (Francisco Reyes), seu namorado e maior companheiro, sua vida dá uma guinada total.

ALICE JÚNIOR (2019)


Onde assistir: Netflix

Alice é uma adolescente trans cheia de carisma que investe seu tempo fazendo vídeos para o Youtube. Um dia, seu pai, Jean, é transferido pela empresa do Recife para Araucárias do Sul, e eles precisam se mudar. Na nova escola, Alice enfrenta preconceitos ao se deparar com uma sociedade mais retrógrada do que estava acostumada. O desejo da menina é dar seu primeiro beijo, mas, antes de tudo, quer o direito de ser quem ela é.

EUPHORIA (2019 – PRESENTE)

Onde assistir: HBO

Euphoria é protagonizada pela força descomunal de Zendaya, que inclusive levou para casa o Emmy de Melhor Atriz no ano passado. Mas uma outra atriz que rouba os holofotes é Jules, interpretada por Hunter Schaffer. A atriz interpreta uma jovem trans que lidou com a não aceitação do corpo biológico e encontrou-se ao explorar sua sexualidade e sua identidade de gênero quando adolescente – além de se envolver com outras mulheres.

GIRL (2018)

Onde assistir: Netflix

Lara (Victor Polster) é uma jovem menina de quinze anos, seu maior sonho é tornar-se uma bailarina profissional e, com a ajuda do pai, ela busca uma nova escola de dança para desenvolver sua técnica. No entanto, a menina encontra dificuldades para adaptar-se aos movimentos executados nas aulas por conta de sua estrutura óssea e muscular, já que Lara nasceu no corpo de um menino.

A VIDA DE JAZZ (2015 – PRESENTE)

Onde assistir: Discovery Home & Health

Jazz Jennings, uma adolescente do sul da Flórida, foi atribuída como do sexo masculino ao nascer. Com quatro anos, Jennings foi diagnosticada com disforia de gênero na infância, tornando-a uma das mais jovens publicamente documentadas a ser identificada como disfórica de gênero. Seus pais, Greg e Jeanette, decidiram apoiar sua identidade de gênero em seu quinto aniversário. Ela participou de entrevistas de acompanhamento, lançou uma fundação e co-escreveu um livro, intitulado I Am Jazz.

COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: