O caso Amber Heard e Johnny Depp continua ganhando novos capítulos diante da mídia. Após o veterano formalizar um processo judicial de US$ 50 milhões contra sua ex-esposa, a atriz decidiu se pronunciar em novos documentos, detalhando várias circunstâncias em que alega ter sofrido violência doméstica durante seu casamento com ele.

Segundo o Entertainment Tonight, Heard afirma que ele “se tornava uma pessoa completamente diferente, normalmente delirante e violenta. Nós chamávamos essa versão do Johnny de ‘O Monstro'”.

A atriz, de 32 anos, ainda conta um dos supostos incidentes que teve durante um voo entre Boston e Los Angeles, em maio de 2014. Na ocasião, Depp teria “jogado objetos” nela, ao saber de uma cena de amor que ela teria protagonizado em um filme, com James Franco.

Relembra:

“Ao invés de reagir ao seu comportamento, eu simplesmente mudei de lugar. Mas isso não o impediu. Ele, provocativamente, empurrou uma cadeira em mim, enquanto eu passava, gritou comigo e me provocou gritando o nome de James Franco”.

Aproveite para assistir:



Heard também contou outra ocasião, que acontecera no apartamento do casal, em dezembro de 2015, em que ele teria jogado outro decantador de vinho nela, chutado alguns objetos ao redor da casa, além de ter esmurrado uma parede:

“Ele me bateu com força, me puxou pelo cabelo e me arrastou da escadaria para o escritório, para a sala de estar, para a cozinha, para o quarto e então para o quarto de hóspedes”.

Amber ainda revelou que ameaçou deixá-lo, afirmando que chamaria a polícia, caso ele tocasse nela novamente. Em resposta, ele teria batido em seu rosto, com sua própria cabeça.

O outro lado

Depp alega que nunca agrediu Amber, que possui testemunhas e afirma que a atriz arquitetou um plano para destruir sua carreira e conquistar fama em cima da polêmica.

“Amber não foi uma vítima de abuso doméstico, foi ela quem cometeu o abuso”, ele afirmou.

O astro da franquia ‘Piratas do Caribe’ enviou documentos ao tribunal “provando”que as alegações de abuso doméstico dela são uma “elaborada farsa”.

O novo processo culminou da matéria escrita pela atriz de Aquaman para o jornal Washington Post em 2018, no qual ela se autodenomina como uma “sobrevivente de abuso doméstico” e fala sobre a importância da cultura contra violência.

O advogado de Depp reconhece que Amber não menciona seu cliente por nome, mas afirma que o artigo todo “depende da premissa que Heard sofreu abuso físico e que Depp foi o transgressor”.

Por fim, ele acusa: “Amber não é a vítima de abuso doméstico, ela é perpetradora.”

Segundo o site TMZ, o ator apresentou novos documentos legais que reforçam nunca ter agredido sua ex-exposa. Nestes novos arquivos, encontram-se testemunhas que afirmam não terem visto Heard com hematomas ou marcas no rosto no dia 21 de maio de 2016, suposto dia em que Depp agrediu a atriz.

Uma testemunha ainda afirma que não notou vidros quebrados no apartamento na época (Amber Heard divulgou fotos de vidros quebrados, alegando que Depp também quebrou objetos da casa no dia).

Por fim, Johnny Depp ainda apresentou imagens de câmeras de segurança e que supostamente mostram nenhum ferimento no rosto de Amber Heard.

 

Não deixe de assistir:


SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE