O CinePOP traz para você uma lista com algumas das grandes e mais icônicas séries do passado que ganharam nova roupagem no cinema. Vem saber e não esqueça de comentar quais as suas preferidas e também quais viraram os melhores filmes.

As Panteras

Começando com Charlie´s Angels (como é conhecido no título original), programa televisivo criado por Ivan Goff e Ben Roberts, que estreou em 1976. A série sobre três detetives mulheres que trabalhavam para uma agência de investigação particular, sob a administração do misterioso Charlie (que nunca aparecia), teve várias formações ao longo de suas cinco temporadas, até encerrar em 1981.

A primeira adaptação para o cinema ocorreu em 2000 e trouxe Cameron Diaz, Drew Barrymore e Lucy Liu como o novo time. O longa recebeu uma sequência em 2003. Em 2011, um revival do programa de TV foi tentado, trazendo Annie Ilonzeh, Minka Kelly e Rachel Taylor como o novo trio, mas só viveu por uma temporada de 8 episódios. Este ano foi a vez de Kristen Stewart e Ella Balinska recrutarem Naomi Scott sob o comando de Elizabeth Banks dentro e fora das telas.

Missão: Impossível

A franquia da Paramount estrelada e produzida pelo astro Tom Cruise nasceu de um programa televisivo sobre espionagem. Da mente de Bruce Geller saiu a ideia sobre um grupo de agentes secretos de elite, trabalhando nas mais intrincadas missões sob o comando de James Phelps (Peter Graves). A série estreou em 1966 e durou por sete temporadas até 1973 – se mostrando um dos maiores sucessos da TV no período.

Na década de 1980, foi ensaiado um retorno para o programa, como mesmo Peter Graves à frente do elenco reprisando o papel de Phelps. A reedição, porém, duraria apenas duas temporadas, de 1988 a 1990. Já em meados da mesma década, o astro Tom Cruise adquiriu os direitos da propriedade e transformou a ideia numa das franquias mais rentáveis do cinema. Tudo começou em 1996, no filme que trouxe de volta o personagem Phelps, desta vez vivido por Jon Voight. De lá para cá já são seis filmes – com o último, Efeito Fallout, lançado ano passado – e contando.

10 filmes de terror no Amazon Prime Video para fugir dos problemas…

Aproveite para assistir:

10 Séries de Comédia para Maratonar nas Próximas Semanas

A Família Addams

Os famosos personagens fúnebres nasceram das tirinhas criadas pelo cartunista Charles Addams, estreando em 1938. A ideia foi levada para a TV pela primeira vez em 1964, na série em live action (com atores reais), criada por David Levy. Os membros da bizarra família, incluindo Gomez (John Astin), Morticia (Carolyn Jones) e tio Fester (Jackie Coogan) estavam todos lá, mas apesar da fama, o programa durou apenas duas temporadas, até 1966. Seguindo, uma série em animação criada pela Hanna-Barbera foi ao ar em 1973, e durou apenas uma temporada.

A maior revitalizada que a família recebeu foi no longa-metragem para o cinema, digno de uma superprodução (também pelas mãos da Paramount), que trouxe em 1991, Raul Julia como Gomez, Anjelica Huston como Morticia e Christopher Lloyd como Fester. O filme foi um sucesso e ganhou continuação em 1993. No embalo dos filmes, seguiu uma nova série animada, que durou duas temporadas, de 1992 a 1993. Este ano, uma nova produção para o cinema na forma de um longa em animação chegará às telonas. Com estreia prometida para o dia 24 de outubro no Brasil, o novo A Família Addams traz as vozes de Charlize Theron, Oscar Isaac e Chloe Grace Moretz entre os dubladores.

Anjos da Lei

A Sony atingiu ouro quando lançou nos cinemas o reboot do seriado oitentista 21 Jump Street – título original. O programa, levado numa pegada mais séria (apesar do adicional humor jovial nas entrelinhas), falava sobre policiais com aparência de adolescentes infiltrados em escolas e universidades a fim de resolver casos condizentes com tal universo, como tráfico de drogas entre alunos, etc. . A série criada por Stephen J. Cannell e Patrick Hasburgh estreou em 1987 e tinha como grande trunfo apresentar ao mundo o então estreante Johnny Depp, protagonista do programa.

O seriado, um favorito deste que vos fala na infância, durou cinco temporadas até 1991. Mas o acerto mesmo veio na hora que Phil Lord e Christopher Miller levaram o material aos cinemas em 2012, transformando tudo num ar de extrema galhofa e comédia alucinada – mas o mais importante, extremamente engraçada – mostrando que a esta altura a ideia seria tratada de forma ridícula e incrível. Em casos assim é sempre melhor rir de si mesmo antes. Channing Tatum e Jonah Hill arrasaram em seus papeis e o longa ganhou continuação em 2014, outro grande acerto. Apesar do sucesso, a Sony ainda não decidiu o que fazer com um terceiro eventual filme.

Baywatch

Provando que um raio dificilmente cai no mesmo lugar duas vezes, o longa para o cinema de Baywatch, ou SOS Malibu, tentou seguir à risca o que a Sony havia feito com Anjos da Lei, mas se mostrou uma investida em vão. Assim como o seriado Anjos da Lei, o programa SOS Malibu era relativamente levado a sério – bom, o tanto quanto uma série sobre salva-vidas pode ser levada. O item acabou se tornando cult e caindo nas graças do público masculino em especial devido ao desfile de beldades em trajes mínimos, como fazia questão de ironizar a série Friends – embora o público feminino também não tivesse do que reclamar.

A série encabeçada por David Hasselhoff (famoso por outro programa antigo, A Super Máquina) foi criada por Michael Berk, Gregory J. Bonann e Douglas Schwartz, e apresentou ao mundo Pamela Anderson, além de outras loiras e morenas estonteantes. O programa durou inacreditáveis onze temporadas, de 1989 a 2001. E inclusive gerou um derivado: Baywatch Nights, na qual Hasselhoff ao lado de outra equipe resolvia casos como um detetive particular. O derivado durou duas temporadas, de 1995 a 1997. O longa de 2017 trouxe Dwayne Johnson como o novo Mitch (personagem de Hasselhoff), mas exagerou na caricatura e errou no primordial: simplesmente não teve graça.

O Fugitivo

O Fugitivo ainda se mantém como filme baseado em série de TV de maior prestígio do lote. Tudo porque é o único do subgênero a ter tido a honra de ser indicado para nada menos do que sete Oscar, incluindo melhor filme. A ideia surgiu de Roy Huggins para a história do médico Richard Kimble (David Janssen), acusado injustamente do assassinato de sua mulher, que corre contra o tempo para provar sua inocência, enquanto foge do policial Gerard (Barry Morse). A estreia do seriado foi em 1963 e durou quatro temporadas até 1967.

No cinema, Kimble recebia as formas de Harrison Ford na produção de 1993, e com direção de Andrew Davis se consagrava com um dos maiores filmes da época. Sorte grande disso tudo tirou Tommy Lee Jones, que ao encarnar o oficial Gerard, levou para casa a estatueta do Oscar como melhor ator coadjuvante. Fora isso, ainda ganhou um derivado que focava só nele em outra aventura intitulada U.S. Marshals – Os Federais (1998), na qual perseguia outro homem injustiçado, o ex-agente vivido por Wesley Snipes. O filme conta ainda com o agora renovado Robert Downey Jr.

Além da Imaginação

Igualmente conhecido por seu título original (The Twilight Zone), este programa se consagrou como um dos favoritos e mais emblemáticos para o grande público. O programa serviu para cimentar o molde das séries de antologia, na qual a cada novo episódio uma história totalmente diferente era apresentada, sem qualquer ligação aparente com a da semana anterior. Criado e apresentado por Rod Serling, a série em preto e branco debutava em 1959 (pouco tempo depois do advento da Televisão nos lares americanos) e durava por cinco temporadas até 1964.

Depois disso, com produção e direção de Steven Spileberg, a ideia era levada aos cinemas em 1983, com No Limite da Realidade (Twilight Zone: The Movie), filme que, assim como a série, foi dividido em episódios. O longa se tornou cult, mas um dos projetos menos conhecidos da filmografia do grande diretor de Hollywood. O programa tentaria sobrevida mais algumas vezes. A mais duradoura ocorreu nos anos 80, durando três temporadas de 1985 a 1989. Depois, nos anos 2000, apresentado por Forest Whitaker, o seriado durou apenas uma temporada, de 2002 a 2003. Este ano, pelas mãos do Midas Jordan Peele e Simon Kinberg estreou outro revival, contando com nomes chamativos a cada novo episódio – como Zazie Beetz, Seth Rogen, Sanaa Lathan, DeWanda Wise, Taissa Farmiga, entre outros. A segunda temporada já recebeu sinal verde.

15 Séries da Netflix Para Maratonar

15 Séries da Globoplay Para Você Maratonar

15 Séries da Amazon Prime Para Maratonar neste mês

10 reality shows insanos pra você que amou The Circle e Casamento às Cegas

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE