Black Is King fez um enorme impacto sociocultural quando lançado na plataforma do Disney+, reafirmando o status de Beyoncé no cenário do entretenimento.

E, acredite ou não, o filme já completou um ano de lançamento nos Estados Unidos, levando os fãs a comemorarem essa obra-prima nas redes sociais.

Confira as reações abaixo:



“Ela não tinha que nos dar essa obra-prima, mas deu! Obrigado, Beyoncé!”.

Aproveite para assistir:

“O álbum visual mais bonito de todos”.

“Bom, vocês já sabem o que vou assistir essa noite”.



“Uau, o tempo voa. Vou assistir hoje”.

O filme é uma celebração do aniversário de um ano de The Lion King: The Gift, obra reimaginada da artista para o remake em live-action de O Rei Leão (2019).

Confira a sinopse oficial abaixo:

Esse álbum visual de Beyoncé reimagina as lições de O Rei Leão para os jovens reis e rainhas dos dias de hoje, que buscam por suas coroas. O filme esteve em produção por um ano com um elenco e uma equipe que representam diversidade e conectividade. As viagens das famílias negras através do tempo são honradas em um conto sobre um jovem rei e sua jornada transcendental através de amor, traições e autoidentidade. Seus ancestrais ajudaram-no a trilhar o caminho para seu destino e, com os ensinamentos de seu pai e de seu amor de infância, ele ganha as virtudes necessárias para reclamar sua casa e seu trono.

Crítica | The Lion King: The Gift

O filme é considerado uma celebração memorialística para o mundo sobre a experiência negra e terá videoclipes para as canções “My Power”“Mood 4 Eva”“Brown Skin Girl”.



O álbum em questão traz colaborações com Childish Gambino, Kendrick Lamar, Pharrell, 070 Shake, Tierra Whack, Jay-Z, Blue Ivy Carter e Jessie Reyez, bem como os artistas africanos Wizkid, Shatta Wale, Burna Boy, Mr Eazi, Tiwa Savage, Tekno, Yemi Alade, Busiswa e Salatiel.

Comentários

Não deixe de assistir: