BOMBA! O ator Alec Baldwin e os produtores de ‘Rust‘ foram processados pela supervisora de roteiro Mamie Mitchell, que trabalhava no set do filme na hora do disparo e quase foi atingida pela bala que matou a diretora de fotografia Halyna Hutchins e feriu o diretor Joel Souza.

Segundo Gloria Allred, advogada de Mamie, o roteiro de ‘Rust‘ não pedia que a arma fosse disparada na cena em que o incidente aconteceu:

“Eles iriam gravar três cenas de close após o almoço. Uma câmera estaria focada nos olhos do acusado Baldwin, uma estaria focada em uma mancha de sangue no ombro de Baldwin, e uma terceira focaria no torso do ator. NÃO HAVIA DISPARO DE ARMA NO ROTEIRO. O ator não precisava e nem devia ter atirado. Sendo assim, ele deveria ter assumido que a arma em questão estava carregada”, afirmou a advogada.

Mitchell alega ter se ferido no acidade, e processa o ator e os produtores por “agressão e perturbação emocional”.



Sobre o caso

A armeira responsável por garantir a segurança das armas cenográficas, Hannah Gutierrez-Reed, falou pela primeira vez sobre o assunto.

Por meio de um comunicado oficial emitido para revista EW, por parte de seus advogados, ela afirmou não fazer ideia de onde as balas verdadeiras teriam vindo. No documento, ela sustenta sua inocência, afirmando que “inverdades têm sido ditas à imprensa”. Na ocasião, ela ainda se diz “devastada e completamente fora de si com os eventos que ocorreram”.

Aproveite para assistir:

A declaração dos advogados de Gutierrez-Reed, Jason Bowles e Robert Gorence, ainda pondera:

“A segurança é a prioridade número 1 de Hannah no set. Em última análise, este conjunto nunca teria sido comprometido se a munição real não tivesse sido introduzida. Hannah não faz ideia de onde as balas reais vieram. Hannah foi contratada para dois cargos neste filme, o que tornou extremamente difícil se concentrar em seu trabalho como armeira. Ela lutou para que houvesse treinamento, dias para manter as armas e tempo adequado para se preparar para o uso delas, mas acabou sendo anulada pela produção e seu departamento. Todo o conjunto de produção tornou-se inseguro devido a vários fatores, incluindo a falta de reuniões de segurança. Isso não foi culpa de Hannah. Ela também gostaria de estender suas mais profundas e sinceras condolências à família e aos amigos de Halyna”, uma mulher inspiradora no cinema que Hannah admirava”.



Recentemente, o xerife do condado de Santa Fé, Adan Mendoza, e a promotora distrital de Santa Fé, Mary Carmack-Altwies, realizaram uma coletiva de imprensa para atualizar o público sobre ao andamento dos trabalhos.

Na ocasião, a dupla de profissionais foi questionada a respeito da possibilidade do astro e produtor Alec Baldwin enfrentar acusações criminais pelos disparos acidentais que acarretaram na tragédia. Em reposta, Carmack-Altwies afirmou que a opção não está descartada.

“Neste momento, todas as opções estão na mesa. Não comentarei sobre acusações, se elas serão apresentadas ou não, ou sobre quem. Não podemos responder a essa pergunta até que concluamos uma investigação mais completa. Ninguém foi descartado neste momento”. 

Durante a coletiva, Mendoza também ponderou sobre a seriedade do trabalho da polícia, assegurando às vítimas que a operação segue de forma categórica – para que as perguntas sejam respondidas:

“Nos últimos dias, nossa equipe de investigação tem trabalhado diligentemente para conduzir entrevistas, executar mandados de busca e coletar e processar evidências do local. Quero garantir às vítimas, suas famílias e ao público que estamos conduzindo uma investigação completa e objetiva”.

Quanto às possíveis acusações criminais, a dupla salientou a importância de finalizar o processo investigativo, para então proceder para essa etapa.

Segundo a promotora distrital:



“Devo enfatizar que uma investigação completa é fundamental para a conclusão da polícia. Pegamos os fatos e as evidências corroborados e os conectamos à lei do Novo México. Ainda não chegamos a esse ponto. Se os fatos, as evidências e a lei sustentarem acusações criminais, então eu iniciarei o processo neste momento”. 

Recentemente, uma nova declaração juramentada feita pelo departamento de polícia do Condado de Santa Fé foi emitida para o público.

O documento detalha o que teria acontecido minutos antes dos disparos da arma, que acarretou no fatal incidente que tirou a vida da diretora de fotografia Halyna Hutchins.

De acordo com informações prestadas à polícia pelo diretor Joel Souza, conforme citado na declaração obtida pela EW, o ator Alec Baldwin estava ensaiando uma cena dentro do prédio da igreja, na Fazenda Bonanza Creek, quando o incidente ocorreu.

O ensaio envolveu Baldwin tentando uma manobra, “cruzando o saque de sua arma e apontando o revólver para a lente da câmera” antes da arma disparar, de acordo com os depoimentos.


Souza, que estava ao lado de Hutchins, ficou ferido, mas pouco depois teve alta do hospital. Já a artista não suportou os ferimentos e faleceu no Hospital da Universidade do Novo México.

Segundo o jornal New York Times, uma declaração juramentada emitida pelo escritório do xerife afirmou que um dos diretores assistente do filme garantiu ao astro Alec Baldwin que a arma entregue em suas mãos estava sem qualquer projétil verdadeiro.

Segundo o documento, ele pegou uma das três armas cenográficas preparadas pela equipe de armeiros, entregou em suas mãos e gritou “arma fria!”- termo usado em Hollywood que denota que o objeto não possui balas verdadeiras dentro de seu cartucho.

Ainda de acordo com a declaração, que foi emitida como parte de um pedido de mandado de busca, o diretor assistente “não sabia que havia balas verdadeiras na arma” quando fez isso.

Nenhuma acusação foi apresentada e a investigação está em andamento.

De acordo com uma reportagem do Los Angeles Times, o incidente ocorreu horas depois de meia dúzia de membros da equipe de filmagem sair do set para protestar contra as condições de trabalho.

Uma fonte disse ao Times que os membros da equipe que protestavam, que faziam parte da Alliance of Theatrical Stage Employees, foram substituídos por profissionais não sindicalizados.

O fatal acidente tirou a vida da diretora de fotografia Halyna Hutchins e feriu gravemente o diretor Joel Souza. Após ser levada para hospital da Universidade do Novo México, a profissional não resistiu aos ferimentos, falecendo aos 42 anos.

Horas depois, o astro emitiu um comunicado por meio de sua conta oficial do Twitter, lamentando o ocorrido e se colocando à disposição da família de Hutchins.

Na ocasião, ele disse:

“Não há palavras que possam descrever meu choque e tristeza pelo trágico acidente que tirou a vida de Halyna Hutchins: esposa, mãe e uma colega profundamente admirada por nós. Estou cooperando totalmente com a investigação policial para resolver como essa tragédia aconteceu.”

Em outra publicação, ele acrescenta:

“Estou em contato com seu marido, oferecendo todo o meu apoio a ele e sua família. Meu coração está partido por ele, pelo filho deles e por todos que conheciam e amavam Halyna.”

Confira:

Alec Baldwin divulgou um comunicado oficial sobre a morte da cineasta Halyna Hutchins, em quem ele atirou acidentalmente no set de ‘Rust’.”

Quem era Halyna Hutchins?

Aos 42 anos de idade, Hutchins trabalhava como diretora de fotografia desde 2012, e de lá para cá acumulou créditos em curtas, produções na TV e em filmes de pequeno alcance.

Ao longo da carreira, esteve por trás das lentes de ‘Archenemy‘ (2020), ‘Blindfire‘ (2020) e ‘The Mad Hatter‘ (2021).

Seu trabalho mais famoso foi A Luv Tale: The Series, exibida pla BET+ entre 2018 e 2021, e ‘Rust seria sua porta de entrada em grandes produções.

Nascida na Ucrânica, Hutchins estudou cinema em Los Angeles e também era formada em jornalismo pela Universidade Nacional de Kiev.

Inclusive ela trabalhou como jornalista investigativa em diversos documentários ao redor da Europa antes de ingressar em produções fictícias.

Em sua última publicação nas redes sociais, a cineasta compartilhou um vídeo andando a cavalo nos bastidores de Rust‘.

Na legenda, ela escreveu:

“Uma das vantagens de filmar um faroeste é andar a cavalo no seu dia de folga.”

Vale lembrar que o roteirista e diretor Joel Souza também foi atingido por Baldwin, mas já recebeu alta do Centro Médico Regional Christus St. Vincent, localizado em Santa Fé, no Novo México.

A informação foi divulgada pela atriz Frances Fisher, que também compõe o elenco.

Em seu perfil do Twitter, ela compartilhou a notícia sobre o tiroteio e disse que o próprio Joel conversou com ela.

Por enquanto, ainda não há muitos detalhes sobre a liberação do diretor, mas é possível que ele dê algumas declarações sobre o ocorrido assim que estiver recuperado do choque.

Confira a publicação de Fisher:

“O diretor Joel Souza me disse que já recebeu alta do hospital.”

Através de um comunicado, as autoridades responsáveis pelo caso detalharam o corrido:

“O gabinete do xerife confirma que dois indivíduos foram baleados nas filmagens de Rust. Halyna Hutchins, 42, diretora de fotografia, e Joel Souza, 48, diretor, foram baleados quando uma arma foi disparada por Alec Baldwin, 63, produtor e ator. A Sra. Hutchins foi transportada, de helicóptero, para o Hospital da Universidade do Novo México onde ela foi declarada morta pela equipe médica. O Sr. Souza foi transportado de ambulância para o Centro Médico Regional Christus St. Vincent, onde está fazendo tratamento para seus ferimentos. Esta investigação permanece aberta e ativa. Nenhuma acusação foi registrada em relação a este incidente. As testemunhas continuam a ser entrevistadas por detetives.”

Na trama de ‘Rust‘, Baldwin vive o bandido titular Harland Rust, cujo neto de 13 anos foi condenado por um assassinato acidental. O filme segue a tentativa de ‘Rust‘ de tirar seu neto da prisão.

Os detetives continuam entrevistando testemunhas.

COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: