Casa Gucci‘, a nova cinebiografia dirigida por Ridley Scott (‘O Último Duelo’), narra os chocantes casos reais de inveja, traições e vinganças por trás dos membros da família que construiu um império da moda italiana.

O principal enredo acompanha a socialite Patrizia Reggiani (Lady Gaga), que ficou conhecida como Viúva Negra após ser presa por orquestrar o assassinato de seu marido, Maurizio Gucci, vivido por Adam Driver (‘História de um Casamento’).

Apesar da atuação de Gaga ter sido aplaudida pelos críticos, o roteiro foi duramente condenado por conta de incoerências, somado à falta de criatividade na condução da narrativa, que acaba se tornando uma bagunça devido à má edição das cenas.

Além disso, a Variety (via Screen Rant) divulgou que a verdadeira família Gucci descreveu o longa como uma trama que se aproveita de sua fragilidade de forma “extremamente dolorosa, imprecisa e chega a ser um insulto ao legado da família”.



A declaração critica em particular a representação de Reggiani, descrevendo-a como a ‘instigadora do assassinato de Maurizio Gucci‘ e denunciando o ‘tom caridoso’ do filme sobre ela.

O depoimento da família também explica que eles não foram consultados durante a produção do filme.

Aproveite para assistir:

Confira o depoimento:

A família Gucci tomou conhecimento do lançamento do filme ‘Casa Gucci‘ e ficou desconcertada porque, embora a obra tente contar a ‘verdadeira história’ da família, os temores levantados pelos trailers e entrevistas divulgados até agora são confirmados: o filme carrega uma narrativa que está longe de ser verdadeira.



A produção do filme não se preocupou em consultar os herdeiros antes de descrever Aldo Gucci – presidente da empresa por 30 anos – e os membros da família como bandidos, ignorantes e insensíveis ao mundo ao seu redor, atribuindo aos protagonistas falsas personalidades e atitudes. Isso é extremamente doloroso do ponto de vista humano e um insulto ao legado sobre o qual a marca é construída.

Mais questionável ainda é a reconstrução que se torna quase um paradoxo ao a sugerir uma ar caridoso a uma mulher que foi definitivamente condenada por ter sido a instigadora do assassinato de Maurizio Gucci. Ela é pintada nas falas do elenco como uma vítima que tentava sobreviver numa cultura corporativa masculina e machista.

Isso não poderia estar mais longe da verdade. E, ao longo de seus 70 anos de história como empresa familiar, a Gucci sempre foi inclusiva. Na verdade, precisamente na década de 1980 – o contexto histórico em que o filme se passa – as mulheres ocupavam vários cargos importantes: fossem membros da família ou não, entre elas estavam a presidente da Gucci América, a chefe de Realções Públicas Global, a Diretora de Comunicação e os membros do conselho de administração da Gucci America.

Gucci é uma família que vive honrando o trabalho de seus ancestrais, cuja memória não merece ser perturbada para encenar um filme que não é verdadeiro e que não faz justiça aos seus protagonistas.

Durante o processo filme, Gaga e Scott já haviam explicado a decisão de evitar o contato com a família Gucci.

Gaga argumentou que recusou a oportunidade de se encontrar com a verdadeira Patrizia Reggiani para evitar sua ‘influência e conspiração.

Scott denunciou as críticas anteriores de que o filme estava explorando o nome Gucci para lucrar, afirmando que:



“Um membro da família Gucci foi assassinado e outro foi para a prisão por sonegação de impostos, então você não pode estar falando comigo sobre lucro. Estamos apenas contando fatos que merecem atenção.”

Recentemente, o estilista e cineasta Tom Ford também deu sua opinião sobre o filme.

Em um recente artigo ao Air Mail, o ex-diretor criativo da maison Gucci elogiou o “figurino impecável, os cenários incríveis e a belíssima fotografia”, bem como a atuação de Gaga e de Adam Driver, mas questionou o propósito atmosférico da obra.

“Eu ri muitas vezes, mas eu deveria fazer isso?”, ele disse. “Às vezes, quando Al Pacino como Aldo Gucci e Jared Leto como Paolo Gucci estavam em cena, eu não sabia se estava assistindo a uma versão da história feita pelo [programa de esquetes] Saturday Night Live“.

Ford continua, tecendo críticas sobre os personagens, sentindo que foram “expandidos para simplesmente atrair e, então, emplacar as estrelas” e comentando que certas deveriam ter sido retiradas do corte final, mas permaneceram “apenas para o propósito de permitir que os atores principais ‘atuassem'”.


“Por causa do tamanho e do poder do elenco, o roteiro fica à mercê de servi-los”, ele completa.

Lembrando que o filme está em exibição nos cinemas nacionais.

Ridley Scott (‘Perdido em Marte’) entra como diretor

Casa Gucci‘ é inspirada na chocante história real do império da família por trás da italiana casa de moda Gucci. Abrangendo três décadas de amor, traição, decadência, vingança e em última instância, assassinato, vemos o que um nome significa, o que vale e quão longe uma família para se manter no controle.

Adam Driver, Jeremy IronsJared LetoAl PacinoSalma Hayek, Jack Huston e Reeve Carney também estrelam.

A trama é adaptada do romance de não-ficção ‘The House of Gucci: A Sensational Story of Murder Madness, Glamour, and Greed’.

COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: