Recentemente aqui no CinePOP, escrevi uma matéria que serve de recapitulação para todos os fãs conseguirem fazer a ponte entre a série Cobra Kai, que é a nova sensação da Netflix, com os filmes clássicos da franquia Karatê Kid lá da década de 1980. A matéria, é claro, uma forma de celebrar a quarta temporada do programa, que estreou na plataforma de streaming no dia 31 de dezembro de 2021, para todos os fãs ingressarem no ano novo da melhor forma possível. O seriado nostálgico mostra o destino de grande parte dos personagens da querida série de filmes desde os anos 80 – e o que suas vidas se tornaram.

A mais recente adição ao elenco foi a presença de Terry Silver, o vilão mor do terceiro Karatê Kid (1989), que retornou de uma forma inusitada, subvertendo a imagem caricata de um inimigo de histórias em quadrinho que se tinha dele. E isso Cobra Kai faz muito bem – aprofunda, desenvolve e dilui todo o exagero e caricatura construídos no cinema, numa era que é sinônimo de “galhofa”, transformando tudo num realismo palpável. Mesmo que muitos possam considerar o programa um tanto quanto “novelesco”. E não estão de todo errados. Acontece que Cobra Kai é um “folhetim” muito saboroso.

Leia também: Cobra Kai | Relembre os Personagens dos Filmes ‘Karatê Kid’ que apareceram na Série

Tendo em mente que já foram confirmadas a quinta e a sexta temporada do programa que é um enorme sucesso – iremos nos aprofundar e deixar correr nosso lado fã para mais uma matéria sobre o tópico. Depois de relembrarmos para você todos os personagens dos filmes que apareceram na série, desde a primeira temporada, agora iremos apresentar os personagens que mais gostaríamos de ver incluídos nessa nova fase – e que ainda não deram as caras em Cobra Kai. Confira abaixo e não esqueça de comentar dizendo qual mais gostaria de ver.


Julie Pierce

Aproveite para assistir:



Durante a divulgação da quarta temporada de Cobra Kai, o astro Ralph Macchio, nosso eterno Daniel “San” LaRusso, foi perguntado em uma entrevista sobre o remake de Karatê Kid (2010), protagonizado por Jackie Chan e Jaden Smith, e sobre a possibilidade de um crossover. Macchio foi enfático e certeiro ao dizer que tais filmes não pertencem ao mesmo universo. O chamado “Miyagi-verso”, como os criadores da série gostam de chamar. O que isso quer dizer? O remake de Karatê Kid tem sua própria versão do Sr. Miyagi com o personagem Sr. Han, vivido por Chan. Se aparecessem na série, possivelmente seria interpretando outros personagens. Mas tudo pode acontecer.

O que deixou os fãs realmente animados, no entanto, foi a possibilidade bem real, solta talvez propositalmente por Macchio, sobre uma outra participação. Até agora em Cobra Kai já vimos o retorno de membros do elenco dos três primeiros filmes da franquia – justamente os protagonizados por Macchio. Mas existe um “filho bastardo” que muitos apagaram da mente, ou sequer tiveram conhecimento: Karatê Kid 4 – A Nova Aventura (ou The Next Karate Kid), lançado em 1994. Esse foi o “infame” episódio sem Daniel San, em que o Sr. Miyagi, ainda nas formas do saudoso Pat Morita, resolve ensinar karatê a uma nova estudante que sofre bullying no colégio, a rebelde Julie Pierce. E a intérprete de Julie é nenhuma outra senão a estrela duas vezes vencedora do Oscar Hilary Swank, em seu primeiro papel de destaque nas telonas.

Levando em conta que Cobra Kai conseguiu atrair a indicada ao Oscar Elisabeth Shue, e que Swank protagonizou a minissérie Away para a mesma Netflix, a “deixa” de Macchio pode não ter sido à toa. Cobra Kai tem o poder de transformar filmes execrados da franquia, como o terceiro e o quarto, em cânone e fan service extremo para os aficionados. Seria muito legal ver Swank topando a brincadeira e retornando ao seu primeiro papel protagonista nas telonas, agora com dois Oscar debaixo do braço, e mais madura como intérprete. Afinal, apenas dois alunos tiveram a honra de serem ensinados por um dos maiores mestres da sétima arte – e Julie Pierce é uma. Seria legal ver o laço entre ela e Daniel, lembrando das histórias do eterno Miyagi, uma presença marcante na série.


Mike Barnes

Na quarta temporada vimos o retorno de Terry Silver, um favorito dos fãs. O personagem interpretado por Thomas Ian Griffith deu as caras pela primeira vez em 1989, no terceiro filme da franquia, e se comportava como um “John Kreese com esteroides”. Ou seria com “muita cocaína na mente”, como brinca o próprio personagem num dos episódios. O fato é: Terry Silver era “mau como o Pica-Pau” e conseguiu “seduzir” Daniel para o “lado sombrio” da força. Ou ao menos para a academia Cobra Kai. Silver é um colega de Kreese da época da Guerra do Vietnã, e os dois possuem um laço de amizade que os levou a fundar a academia de luta.

A estrutura do terceiro Karatê Kid funciona muito como a do primeiro. Assim, como no primeiro tínhamos o antagonista Johnny Lawrence e seu sensei John Kreese; no terceiro Terry Silver era o sensei de Mike Barnes – o “Johnny” do filme de 1989. Barnes é justamente isso, o “Johnny do terceiro filme”, um campeão de karatê, que vive fazendo bullying com Daniel para enfrentá-lo num novo torneio e tirar seu título. Uma das coisas mais legais no personagem, vivido pelo ator Sean Kanan, no entanto, é seu apelido: “O Bad Boy do Karatê”. Isso é tudo o que precisamos para saber que a ameaça é real.

Mike Barnes é mencionado na quarta temporada quando Daniel conta sua ligação com Terry Silver para Johnny, mas o antagonista ainda não chegou a aparecer. É bem legal também a forma como os filmes se ligam, com Johnny agora inserido nesta realidade – é como se o primeiro e o terceiro filmes da franquia fossem combinados. E para uma eventual quinta temporada, poderíamos ter o retorno do “bad boy” e vermos no que sua vida se tornou mais de trinta anos depois do terceiro filme. Seria interessante ver Daniel lidando com dois ex-antagonistas de uma vez só. Pode ser o caso de Barnes ter se reformado também, assim como Terry, e ter seguido outro caminho. As possibilidades são muitas.

Jessica Andrews


Adoramos a franquia Karatê Kid, mas a verdade é que o primeiro filme está anos luz acima em qualidade de suas continuações. O primeiro de 1984 é uma história real sobre bullying e superação. Sobre primeiro amor e rivalidade – sobre como “sobreviver” ao colegial. Depois do sucesso, as continuações cresceram sem controle e se tornaram “outras entidades”. O segundo filme, por exemplo, transformou Karatê Kid em 007, com Daniel e Sr. Miyagi viajando até o Japão para uma aventura onde o rapaz enfrenta um duelo mortal (!?). É sério! E quanto ao terceiro, nada mais é do que basicamente uma refilmagem do original.

Assim, no terceiro filme temos um novo John Kreese nas formas de Terry Silver; um novo Johnny Lawrence nas formas do “Bad Boy” Mike Barnes; e claro, precisávamos ter uma nova Ali Mills, que vem nas formas de Jessica Andrews, vivida pela ruivinha Robyn Lively. Nosso querido Daniel san não é apenas um grande vencedor no karatê, mas também é um vencedor de corações, já que a cada filme, o rapaz ganha um novo interesse amoroso. Depois de Ali (Elisabeth Shue) e Kumiko (Tamlyn Tomita), é a vez de LaRusso se relacionar com Jessica Andrews. Ou quase. Acontece que a atriz Robyn Lively era menor de idade, com 17 aninhos quando o filme foi lançado, enquanto Macchio já tinha 28 anos – apesar da aparência juvenil. Assim, o roteiro foi reescrito para eliminar a relação amorosa entre os dois, e criar apenas uma amizade. A justificativa no filme é o fato de Jessica ter um namorado. Tudo fica meio capenga, é verdade, mas se a atriz Robyn Lively aparecer na série Cobra Kai, uma brincadeira em torno disso poderia ser adicionada ao roteiro – o que deixaria tudo mais divertido.

Coronel Paul Dugan

A franquia Karatê Kid seguia uma fórmula. A cada novo adversário que o protagonista enfrentava (fosse ele Daniel san ou Julie Pierce), existia um sensei “maligno” por trás. Johnny Lawrence tinha John Kreese e Mike Barnes tinha Terry Silver. No quarto filme da franquia, o “malvadão” principal era servido pelo Coronel Paul Dugan, um ex-militar do exército norte-americano. O personagem seria apenas um antagonista esquecível caso não fosse interpretado por um dos atores mais marcantes do cinema dos anos 80 para tais tipos de papel: o grande Michael Ironside. O ator viveu vilões em filmes como Scanners – Sua Mente pode Destruir (1981) e O Vingador do Futuro (1990).

No quarto Karatê Kid, Paul Dugan é quem está por trás dos jovens que atormentam Julie, já que ele é o treinador de cadetes em um programa chamado Alpha Elite – que abusa da autoridade e violência na hora de ensinar artes marciais. O personagem é criado nos moldes de Kreese e Terry Silver, ganhando inclusive um passado militar. Seria interessante se descobríssemos que Dugan era colega de ambos os citados na época da Guerra do Vietnã, o que traria um trio letal para Cobra Kai. E se casso Julie Pierce apareça algum dia na série, nada mais justo que trazer de volta seu principal vilão – que igualmente conheceu o Sr. Miyagi e dele recebeu uma surra.


Ned e Eric

Ainda seguindo pelo terreno do quarto filme. A estrutura de todas as continuações de Karatê Kid usa a mesma fórmula. E esta foi uma inovação muito bem-vinda da série Cobra Kai, que visou quebrar esse molde. Ou seja, Daniel sofria na mão de um rival, era coagido a uma luta final (sendo um torneio ou não), se envolvia com um interesse amoroso (Ali, Kumiko ou Jessica), descobríamos que seu rival possuía um sensei mais malvado ainda e no fim das contas sempre perseverava. Essa mesma estrutura narrativa e confecção de personagens foi mantida para o quarto filme; mesmo sem contar com a presença de Daniel San. A nova aluna é Julie Pierce (Hilary Swank). Ao seu redor, os mesmos tipos de personagens que cercavam Daniel. O mestre é o mesmo Miyagi de Pat Morita. Mas temos o interesse amoroso nas formas de Eric (papel de Chris Conrad), que logo vira saco de pancadas do valentão do colégio Ned (papel de Michael Cavalieri). Ned também tem interesse em Julie, mas a recusa da moça faz com que o sujeito desagradável comece a atormentá-la.

Com o quarto Karatê Kid a intenção foi retornar aos moldes do original. Ou seja, centrar a história no colégio novamente, com personagens mais jovens. Embora ainda tenhamos uma luta final como ápice do filme, o desfecho ocorre não em um campeonato de artes marciais, mas no baile do colégio – talvez a ideia dos realizadores para “agradar” mais o público feminino ao terem uma jovem moça como protagonista. E para fechar o ciclo completo do cânone de Karatê Kid 4, se Julie realmente der as caras numa eventual vindoura temporada de Cobra Kai, os personagens que a cercaram no filme igualmente seriam bem-vindos à trama. Embora seja um tiro muito no escuro, é bem provável que apenas Julie, quiçá Dugan, apareça no enredo. Porém, é preciso levar em conta que os “arquitetos” de Cobra Kai são fãs hardcore e podem muito bem investir em tal surpresa mais detalhada.

Não deixe de assistir: