‘Coringa’ desbanca ‘Malévola: Dona do Mal’ e volta ao topo das bilheterias dos EUA

‘Coringa’ desbanca ‘Malévola: Dona do Mal’ e volta ao topo das bilheterias dos EUA



Segundo o The Hollywood ReporterCoringa voltou a conquistar o 1º lugar das bilheterias estadunidenses no último final de semana, desbancando a dominação de Malévola: Dona do Mal.

O filme da Warner Bros. retorna pela terceira vez ao topo, adicionando mais US$18,9 milhões para sua contagem geral (que agora reside em 277 milhões apenas nos Estados Unidos). Enquanto isso, o longa dos estúdios Walt Disney abarcou US$18,5 milhões, residindo na cada dos 65 milhões de dólares.

A Família Addams permanece na terceira colocação (US$11,8 milhões), enquanto Zumbilândia: Atire Duas Vezes caiu para o quarto lugar (US$11,6 milhões). O terror O Farol se encontra em oitavo lugar (US$ 3,1 milhões) e, em última posição, está a animação Abominável (US$2 milhões).

Mundialmente, o filme arrecadou US$ 849 milhões e se aproxima rapidamente da marca bilionária. Considerando o seu baixo orçamento de US$ 55 milhões, o longa já pode ser considerado um dos maiores sucessos do ano.

Lembrando que ‘Coringa‘ já é a maior bilheteria da Warner Bros. em 2019.

Aproveite para assistir:


Coringa continua em exibição nos cinemas de todo o Brasil.

Coringa‘, do diretor Todd Phillips, centra-se no icônico arqui-inimigo e é uma história fictícia original e inédita, nunca vista na tela grande. A história de Arthur Fleck, interpretado majestosamente por Joaquin Phoenix, é de um homem que luta para encontrar seu caminho na sociedade fragmentada de Gotham. Ele é um palhaço de festas durante o dia, ele aspira a ser um comediante stand-up a noite… mas ele acha que a piada sempre parece estar sobre ele. Preso em uma existência cíclica entre a apatia e a crueldade, Arthur toma uma decisão ruim que provoca uma reação em cadeia de eventos crescentes neste estudo de caráter arenoso. 

Além de Phoenix, Robert DeNiroZazie BeetzMarc MaronFrances ConroyShea WhighamBill Camp e outros completam o elenco.



COMENTÁRIOS