A pandemia do novo coronavírus COVID-19 freou o mundo inteiro de forma sem precedentes – e, dentre as esferas mais afetadas em virtude da doença, de fato a do entretenimento alcançou o primeiro lugar.

Conforme o vírus se espalhava pelo mundo e atingir os principais polos de produção audiovisual, diversas produções foram suspensas, levando os estúdios e as distribuidoras a encontrar alternativas para divulgar séries e longas-metragens – recorrendo, principalmente, aos serviços de streaming. E não apenas como forma de manter as pessoas em um burocrático e compulsório isolamento social, mas também de tentar fazer a economia girar e não se render a demissões em massas e cortes de gastos drásticos.

Enquanto a Netflix, a Amazon Prime e o Disney+ dominaram as águas internacionais, coube a Globoplay ganhar destaque em território nacional – tornando-se uma das plataformas mais rentáveis ao faturar quase R$150 milhões

Segundo o site NaTelinha, o serviço ganhou mais de 2,5 milhões de novos usuários em 2020 até o final do primeiro semestre, arrecadando R$148,5 milhões para o Grupo Globo de televisão. Esse crescimento, que representa um avanço de 62% no total de assinantes, é fruto da liberação das novelas mais famosas da emissora em seu extenso catálogo.

As informações também indicam que as produções mais procuradas pelos espectadores foram Tieta (1989), em primeiro lugar, e A Favorita (2008), em segundo- e a audiência inclusive vem superando a das que estão no ar atualmente.

Aproveite para assistir:

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE