quarta-feira, julho 17, 2024

Grandes Trilogias dos anos 80 e 90 Disponíveis na Amazon Prime Video – que você não pode perder!

Um é pouco, dois é bom, três é… melhor ainda! No mundo do cinema, as trilogias são muito comuns e podem render verdadeiras obras-primas da sétima arte. Difícil mesmo é controlar o impulso da ganância e dizer não para tanto dinheiro – que significa transformar uma trilogia em uma franquia. Foi assim com ‘Star Wars’, por exemplo. Afinal, imagine se até hoje tudo o que tivéssemos fosse a trilogia original. Bem, muitos poderiam até estar mais contentes, mas algumas gerações, em especial as mais novas, talvez não tivessem se tornado fãs tão ávidos deste universo criado por George Lucas – que tomou uma proporção gigantesca, se tornando a maior franquia da sétima arte.

Quando falamos em ‘O Poderoso Chefão’, por exemplo, a saga da família Corleone conseguiu se manter com apenas três filmes. O mesmo ocorreu com a trilogia do Cavaleiro das Trevas, de Christopher Nolan, que conseguiu trazer o cinema de autor para dentro de um universo tão utilizado na cultura pop como o mundo do herói Batman. Sim, tivemos filmes com o personagem antes e depois dos filmes de Nolan, mas sua trilogia é inconfundível e inigualável.

Quando falamos em trilogias do cinema e nostalgia na mesma frase, precisamos falar também da Amazon Prime Video. Isso porque o streaming traz algumas das mais memoráveis dos anos 80 e 90 em seu acervo atual. Trilogias estas que você pode conferir nas dicas abaixo.

De Volta para o Futuro (1985 / 1989 / 1990)

Uma das mais importantes trilogias do cinema e também uma das mais queridas de todos os tempos. Com produção da Universal Pictures, a Amazon Prime Video mantém com unhas e dentes esse verdadeiro clássico atemporal em seu acervo – e eles são bobos? A trilogia ‘De Volta para o Futuro’ é também uma das poucas intocadas por mais continuações – e em partes desejamos que continue assim, já que ultimamente andamos ganhando muitas sequências ruins de obras clássicas – como poderemos notar nos itens abaixo.

O primeiro ‘De Volta para o Futuro’ ainda é o grande queridinho de todos e sem dúvida o melhor do trio, afinal sem ele não haveria as continuações. E as sequências foram gravadas de uma vez só, e lançadas com o intervalo de um ano apenas. Depois de voltar 30 anos no passado e servir de cupido para os pais, Marty McFly (Michael J. Fox) viaja para o futuro para impedir que seu filho seja incriminado e retorna para uma versão alternativa (e sombria) de seu próprio tempo no filme dois. Antes que possa descansar em paz, termina precisando ir buscar seu amigo Doc Brown (Christopher Lloyd) que foi jogado no velho oeste americano – onde se conclui a trilogia no terceiro.

Indiana Jones (1981 / 1984 / 1989)

Diferentemente do item acima, ‘Indiana Jones’, dirigido pelo mesmo Steven Spielberg (produtor de ‘De Volta para o Futuro’), não resistiu ao impulso de um quarto filme tardio em 2008, transformando a trilogia em uma franquia. E não apenas isso, como este ano ainda estreou um quinto filme, com o protagonista Harrison Ford ainda mais velho, em seus 80 anos. Agora pergunte a qualquer fã se ‘O Reino da Caveira de Cristal’ e ‘A Relíquia do Destino’ são bons. O fato demonstra que em muitos casos o caminho a se seguir é não mexer em clássicos.

A verdade é que todo e qualquer fã do arqueólogo mais famoso da sétima arte desejaria que tais filmes tivessem permanecido como uma trilogia. E bem, no catálogo da Amazon temos de fato a trilogia original, assim como também o execrado quarto capítulo (que de repente deixou de ser o pior, com a estreia do quinto). Na aventura original Indy enfrenta nazistas em busca da Arca da Aliança. Como de costume na maioria dos casos de trilogias, o primeiro é sempre o melhor. Mas aqui, muitos fãs questionam esse favoritismo em prol do terceiro filme, ‘A Última Cruzada’, onde Indy encontra seu pai, nas formas de Sean Connery. O voto vencido nesta equação é sempre ‘O Templo da Perdição’, o mais sombrio dos três, mas um favorito pessoal.

Jurassic Park (1993 / 1997 / 2001)

Não deixe de assistir:

Depois de duas trilogias que começaram nos anos 80, agora temos uma dos anos 90 na lista. Não dá para fugir do rei de Hollywood, sendo assim temos mais uma trilogia com a assinatura de Steven Spielberg. E mais uma onde o primeiro filme é anos luz superior a suas demais continuações. Quando fez ‘Jurassic Park’ há 30 anos, o cineasta mudou para sempre os rumos do cinema e a forma como todos veriam os filmes entretenimento dali em diante. Isso porque trouxe consigo pela primeira vez efeitos revolucionários em animação por computadores, que nunca haviam soado tão reais. Os dinossauros ganhavam vida com gosto, e o resto é história.

Jurassic Park’ não era um filme que pedia sequer uma continuação, pois tinha começo, meio e fim bem redondinhos, deixando pouco espaço para construir além do que havia sido mostrado. Mas quatro anos depois, a tentação falou mais alto e o próprio Spielberg retornaria para a direção de ‘O Mundo Perdido’, a sequência bem inferior ao original, mas ainda assim bem-sucedida. O terceiro filme, de 2001, não teria Spielberg como diretor, apenas como produtor, e transformava o que era um filme evento, em uma aventura de matinê despretensiosa. ‘Jurassic Park’ então migrou para uma nova franquia e uma nova trilogia, chamada ‘Jurassic World’, com mais três filmes – cujos dois primeiros também estão em cartaz na Amazon.

Rambo (1982 / 1985 / 1988)

Assim como ‘Indiana Jones’, até 2008, Rambo era uma trilogia que só existia nos anos 80. Mas assim como Steven Spielberg e Harrison Ford, o astro da ação Sylvester Stallone viu a necessidade de tirar o veterano da guerra do Vietnã, John Rambo, de sua aposentadoria e trazê-lo para um novo conflito no tardio quarto filme. E não apenas isso como 11 anos depois ainda o levaria ao México para se vingar de uma sobrinha, numa trama que não tinha muito a ver com Rambo. E apesar do quarto filme ser legal, este é outro caso que não havia necessidade real de continuar.

Tudo começou em 1982, com o livro “First Blood”, um atestado anti-guerra, que mostrava um soldado sendo hostilizado, preso e torturado pela polícia em uma cidadezinha nos EUA. E esse é o filme preferido de muitos nesta trilogia, por ser também o mais sério. Mas em um caso inédito, a sequência seguia por um caminho inesperado e muito diferente. Rambo se tornaria um blockbuster de ação sem precedentes, criando o maior sucesso na carreira de Stallone e fazendo surgir a chamada Rambo-mania em 1985. Agora ele retornava para o Vietnã como uma verdadeira máquina de matar. Em matéria de espetáculo, esse é o filme a se assistir. O três, como em muitas trilogias, é o mais fraco, e apenas repete o que já havia sido feito no segundo. A trilogia original, assim como o quarto filme, estão disponíveis na Amazon Prime Video.

Robocop (1987 / 1990 / 1993)

Mais uma trilogia na qual os capítulos foram se diluindo filme após filme. O que só demonstra o quanto é difícil repetir o sucesso do filme original, criando algo totalmente diferente e inusitado. Poucas trilogias foram capazes do feito, onde a sequência é tão boa ou melhor que o original, por trazer elementos inéditos. É o caso com ‘O Poderoso Chefão 2’, ‘Aliens – O Resgate’ e ‘O Exterminador do Futuro 2’. E quem dera pudéssemos dizer que é o caso com ‘Robocop’ também. O primeiro filme, de Paul Verhoeven se tornou um clássico cult instantâneo, virando sinônimo de cultura pop. Violento e ácido, o filme era uma sátira certeira do mundo corporativo, adicionando certo humor incorreto na mistura.

Verhoeven não quis retornar para a sequência, mas teria sido um exercício em criatividade, em se reinventar e se superar, criando algo diferente. Assim, a sequência tenta seguir os passos do original, sem o mesmo sucesso. Mesmo assim, ainda temos muitos elementos interessantes para se aproveitar no segundo filme. Já o terceiro longa é um desperdício completo de tempo e dinheiro – que muitos dizem que não deveria ter sido feito. Eu digo que não deveria ter sido feito desta maneira. Peter Weller, o ator dos dois anteriores, não teve interesse em retornar, e daí já sentimos que a coisa começava com o pé esquerdo. Outro sinal de alerta era a censura baixa, planejada para apelar aos mais novos, que adoravam o personagem – indo contra suas origens e o que fez todos gostarem deste universo de início.

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS