Além de ser eternizado como James Bond, o falecido e eterno Sean Connery também conquistou os fãs ao dar vida ao pai de Harrison Ford em ‘Indiana Jones e a Última Cruzada’ (1989).

E, de acordo com a BBC, o astro uma vez publicou em seu site pessoal que tinha um grande desejo de contracenar com Ford em outros filmes da franquia.

Em parte de um texto publicado no site, Connery disse que:

“Se algo pudesse ter me tirado da aposentadoria, seria um outro filme de Indiana Jones. Eu adorei trabalhar com Steven [Spielberg] e George [Lucas], e nem é preciso dizer que é uma honra ter Harrison [Ford] como meu filho… Eu adoraria atuar com ele outros filmes [da franquia]. Bom, por enquanto, estou aproveitando a aposentaria, até que é divertida.”



É uma pena que esse reencontro nunca aconteceu nas telonas!

Após a morte do veterano no último dia 31, o diretor George Lucas prestou homenagem a ele, mostrando que ambos compartilhavam um belo vínculo fora das telonas.

Aproveite para assistir:

Sir Sean Connery, por meio de seu talento e energia, deixou uma marca brilhante na história do cinema.”, escreveu Lucas em um comunicado. “Seu público se estendeu por gerações, cada um com os papéis favoritos que ele desempenhou. Ele sempre terá um lugar especial no meu coração como o pai de Indy. Apenas alguém como Sean Connery poderia ser uma figura de autoridade para Indiana Jones… Ele sabia muito bem como dar uma bronca paterna ou um abraço afetuoso. Sou grato por ter tido a sorte de ter conhecido e trabalhado com ele. Meus pensamentos estão com sua família.”

Falando nisso, o 5º filme da franquia está em “preparação” há muito tempo – e, apesar de estar prevista para lançamento em 22 de julho de 2022, vem sido alvo de várias mudanças e atrasos, incluindo o fato de que Steven Spielberg não voltaria para a cadeira de direção.



Pouco depois, o roteirista David Koepp também deixou o projeto e, em uma recente entrevista ao Den of Geek, revelou que o fato da equipe criativa não conseguir chegar a um consenso quanto ao produto final é o principal motivo de tantas turbulências.

“Tentei algumas versões diferentes com Steven e todas elas tinham algumas coisas boas e algumas coisas que não funcionavam, o que acontece. Mas era muito difícil levar todo mundo a um consenso e concordar em relação aos elementos – Steven, Harrison [Ford], o roteiro, a Disney – isso nunca aconteceu”.

Apesar da decepção quanto ao fato de Spielberg não voltar como diretor, o produtor Frank Marshall, tranquilizou o público, afirmando que a combinação entre o cineasta indicado ao Oscar, James Mangold, e Spielberg na produção trará “o melhor de tudo” para as audiências.

Em uma entrevista ao Collider, o produtor revelou por que a Disney escolheu Mangold para a função:

“Ele tem um amor pela franquia. Ele é um ótimo cineasta E eu acho que ele também tem uma relacionamento com Harrison. Foram todos os pedaços certos se juntando no momento certo. E com Mangold e Spielberg juntos nós teremos o melhor de todos”.

Lembrando que foi Spielberg quem decidiu passar o manto para um cineasta mais jovem, a fim de trazer uma perspectiva renovada ao personagem.

Mangold é conhecido por seu trabalho em Ford vs. Ferrari, drama indicado ao Oscar de Melhor Filme, e no aclamado Logan, que também foi nomeado na categoria de Melhor Roteiro Adaptado.



Durante a divulgação de ‘O Chamado da Floresta, Ford revelou novidades sobre o próximo filme da saga:

“O filme irá mostrar o passado de Indiana. Veremos novos desenvolvimentos em sua vida, em seu relacionamento. Veremos parte da história dele sendo revelada. É um roteiro muito bom. Estou ansioso para isso.”, afirmou.

Originalmente, o novo longa-metragem da franquia seria rodado a partir de abril de 2019. Entretanto, divergências artísticas no tocante ao roteiro adiaram o início da produção, com Dan Fogelman (This Is Us) ficando responsável pela reescrita completa.

Por enquanto, ainda não há previsão de estreia para a sequência.

Não deixe de assistir: