Depois que Ray Fisher revelou posturas extremamente abusivas do diretor Joss Whedon, que substituiu Zack Snyder no filme Liga da Justiça, chegou a vez de Gal Gadot ganhar os holofotes ao também ter sido vítima.

Diversos perfis de usuários do Twitter comentaram sobre o fato de Whedon ter ameaçado destruir a carreira da atriz caso ela se recusasse a gravar uma cena de muito mal gosto em que Flash (Ezra Miller) caía sobre os seios da Mulher-Maravilha (personagem vivida por Gadot) – chegando até mesmo a trancá-la em uma sala em meio a um surto psicótico.

Confira:

“Joss gritou na cara da Gal e ameaçou destruir sua carreira se ela se recusasse a gravar a cena”.

Gal Gadot não queria gravar essa cena, então Whedon a fez com um dublê. É por isso que você não consegue ver o rosto dela”.

Aproveite para assistir:

“Não se esqueça de dizer que ele a trancou em uma sala e ameaçou acabar com sua carreira se ela não fizesse a cena. Isso é muito importante e não deve ser omitido”.

Confira a cena em questão:

Fisher também detonou o comportamento de Whedon no set, dizendo que:

“O tratamento de Joss Wheadon no set com o elenco e na equipe da Liga da Justiça foi nojento, abusivo, pouco profissional e completamente inaceitável. Isso foi permitido, de várias maneiras, por Geoff Johns e Jon Berg. Responsabilidade> Entretenimento”, afirmou.

O intérprete do Ciborgue já havia se manifestado ontem contra Whedon:

“Gostaria de aproveitar o momento para retirar os elogios que fiz em uma entrevista.”

Na ocasião, Fisher tinha dito que Joss é um cara legal e Zack escolheu uma boa pessoa para substituí-lo e terminar o que ele fez.”

Confira:

Durante as refilmagens, o papel do Ciborgue foi drasticamente reduzido, mas Snyder prometeu que dará ao personagem o destaque merecido no novo corte do filme, que tem previsão de estreia para 2021 na HBO Max

Confira as imagens promocionais:

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE