Desde que interpretou o Ciborgue em ‘Liga da Justiça’, Ray Fisher vem travando uma longa batalha judicial contra a Warner Bros.

Isso porque ele alega que foi mal tratado pelo diretor Joss Whedon, enquanto o estúdio ignorou suas denúncias para ficar ao lado do cineasta.

E, depois que a Warner publicou um tuíte em comemoração ao Mês da História Negra, Fisher criticou o estúdio por conta de sua falta de respeito e apoio enquanto ele enfrentava os maus tratos durante as gravações do longa.

Na época, o ator também acusou os produtores-executivos Geoff Johns e Jon Berg de permitirem um comportamento “nojento e abusivo” durante os bastidores, o que levou a uma investigação interna.


Na publicação da Warner, foram compartilhadas as imagens dos personagens Pistoleiro, Canário Negro e Sangunário, com a seguinte legenda:

Aproveite para assistir:



“Neste Mês da História Negra, estamos destacando alguns de nossos personagens favoritos da DC. Aqui estão os poderosos momentos de entretenimento que eles trouxeram para as telonas!”

Fisher republicou o post e rebateu:

“OU… Vocês pode tentar destacar um pedido de desculpas aos negros não fictícios afetados pelas práticas racistas e discriminatórias de sua empresa.”


Logo depois, diversos internautas apoiaram o astro através da tag #IStandwithRayFisher e criticaram a ausência do Ciborgue na publicação da Warner.

Confira as reações:

“Vocês esqueceram alguém.”


Ray Fisher foi o coração deLiga da Justiça e sempre será o meu Ciborgue.”

“Vocês nem sequer fingem [que se importam] mais. Nojento.”

“Por acaso, onde está Ray Fisher? A esta altura, eles nem tentam fingir [que se importam] mais.”


Entenda o caso

O ator Ray Fisher fez sérias acusações contra o diretor Joss Whedon, alegando que os produtores-executivos Geoff Johns e Jon Berg permitiram um comportamento “nojento e abusivo” durante as filmagens de ‘Liga da Justiça‘.

“O tratamento de Joss Whedon no set com o elenco e na equipe da ‘Liga da Justiça’ foi nojento, abusivo, pouco profissional e completamente inaceitável. Isso foi permitido, de várias maneiras, por Geoff Johns e Jon Berg. Responsabilidade> Entretenimento”, afirmou.

Pouco depois, o diretor Kevin Smith apoiou Fisher e revelou mais detalhes sobre o comportamento de Whedon no set de ‘Liga da Justiça‘.


Segundo ele, já existiam histórias nos bastidores de que o cineasta estava “desmerecendo” o trabalho do Zack Snyder.

Em um episódio do podcast Fatman Beyond, Kevin Smith corroborou os comentários de Fisher:

“Um dia eu visitei o set de A Ascensão Skywalker, e fiquei conversando com pessoas que tinham trabalhado nas duas versões de Liga da Justiça. O pessoal dos efeitos especiais disse que Joss tinha o hábito de falar mal da versão de Zack [Snyder]. Ele cortava, descartava e era negativo quanto à versão de Zack, que ele havia assistido e que todas aquelas pessoas haviam feito juntas. Eles disseram que o set ficou bem tóxico”, afirmou. 

O ator que viveu o Ciborgue chegou até a alegar que o produtor-executivo Geoff Johns chegou a ameaçar sua carreira.  Após a denúncia, a Warner Bros. começou uma investigação para descobrir a verdade por trás das alegações.


Whedon e Johns permaneceram em silêncio após as alegações de Fisher em 2020.

Porém, a Warner Bros. afirmou que o ator não estava colaborando com as investigações.

Leia a declaração completa da Warner Bros.:


Em julho, os representantes de Ray Fisher pediram ao presidente da DC Films, Walter Hamada, que conversasse com o Sr. Fisher sobre suas preocupações durante a produção de ‘Liga da Justiça’. Os dois já haviam se falado quando o Sr. Hamada pediu que ele repetisse seu papel como Ciborgue em Flash, juntamente com outros membros da Liga da Justiça. Em sua conversa de julho, o Sr. Fisher relatou divergências que teve com a equipe de criação do filme em relação à sua interpretação de Ciborgue, e reclamou que as revisões sugeridas do roteiro não foram adotadas. O Sr. Hamada explicou que diferenças criativas são uma parte normal do processo de produção e que o roteirista / diretor de um filme deve, em última instância, ser responsável por esses assuntos. Notavelmente, o Sr. Hamada também disse ao Sr. Fisher que elevaria suas preocupações à WarnerMedia para que eles pudessem conduzir uma investigação.

Embora o Sr. Fisher nunca tenha alegado qualquer conduta indevida contra ele, a WarnerMedia, no entanto, iniciou uma investigação sobre as preocupações que ele havia levantado sobre a representação de seu personagem. Ainda não satisfeito, Fisher insistiu que a WarnerMedia contratasse um investigador independente. Este investigador tentou várias vezes se encontrar com o Sr. Fisher para discutir suas preocupações, mas, até o momento, o Sr. Fisher recusou-se a falar com o investigador. A Warner Bros. continua comprometida com a responsabilidade e o bem-estar de cada elenco e membro da equipe em cada uma de suas produções. Ele também continua empenhado em investigar qualquer alegação específica e confiável de má conduta, que até agora o Sr. Fisher não forneceu.

Vale lembrar que o papel do Ciborgue foi drasticamente reduzido nas refilmagens de Whedon, mas Zack Snyder deu ao personagem o destaque merecido no novo corte do filme, lançado no ano passado pela HBO Max


 

 

 

 

 


 

 

Não deixe de assistir: