Os anos 10 do século XXI estão chegando ao fim e para celebrar a data o CinePOP decidiu preparar uma série de matérias de retrospectiva sobre os “Melhores da Década”. Para começar o especial, preparamos uma seleção das 10 melhores atuações masculinas nos cinemas nesta última década. 

Ao longo de 10 anos, foram incontáveis as grandes performances de atores na tela grande. Premiações são um critério importante, mas não fundamentais para a presença na lista. Não podemos ignorar a importância de tais atuações para o cenário cinematográfico atual. Nas próximas semanas, outras listas serão publicadas, inclusiva a das atuações femininas.

Enquanto isso, não deixe de comentar abaixo quais as suas atuações favoritas ou se sentiu falta de algum grande nome.

 

10) Daniel Kaluuya (Corra)

Daniel Kaluuya recebeu indicações ao Oscar, ao Globo de Ouro e à diversas outras premiações pelo trabalho em Corra, mas não levou nenhum grande prêmio. As indicações, no entanto, já significam muito em se tratando de um filme de terror/suspense, obras que geralmente são ignoradas na temporada de estatuetas. A verdade é que o ator entrega uma atuação memorável no longa de Jordan Peele. Muito expressivo e carismático, Kaluuya fez o público sofrer junto com ele e também experimentar seus momentos de catarse. Uma performance rara de um ator que parece ter muito a dar para a sétima arte.

Aproveite para assistir:

 

9) Robert Pattinson (Bom Comportamento)

Muita gente se revoltou quando o Edward de Crepúsculo foi anunciado como novo Batman. Mas isso só aconteceu porque quase ninguém viu sua brilhante e energética performance em Bom Comportamento, drama dos irmãos Benny Safdie e Josh Safdie. Robert Pattinson é muito mais do que Crepúsculo. Neste filme, o ator entrega uma atuação insana de tirar o fôlego do espectador. Pattinson vive um irmão desesperado para tentar tirar o irmão da prisão após a tentativa de roubar um banco não funcionar. Sem controle, ele vaga pelo submundo de Nova York tentando buscar uma solução.

 

8) Jake Gyllenhaal (O Abutre)

Falando em atuação insana… Até hoje é difícil acreditar que Jake Gyllenhaal não foi nem indicado ao Oscar pelo trabalho em O Abutre. Ele concorreu no SAG Awards e no Globo de Ouro, mas sem grande sorte. Mesmo sendo ignorado, a verdade que trata-se de uma das melhores e mais urgentes atuações da década. O ator brilha na pele de um jovem jornalista que acaba entrando de corpo e alma na cena do jornalismo criminal de Los Angeles. Aos poucos, ele vai mostrando que não possui limites para obter a melhor imagem ou matéria. Um belo trabalho do diretor Dan Gilroy.  

 

7) J.K. Simmons (Whiplash: Em Busca da Perfeição)

Primeiro grande trabalho do diretor Damien Chazelle, Whiplash: Em Busca da Perfeição trouxe J.K. Simmons na pele de um insano professor de jazz que ultrapassa todos os limites na tentativa de formar o aluno perfeito. A performance é tão marcante que Simmons levou o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante pelo trabalho. Sua dinâmica com Miles Teller é absolutamente fascinante. E o ator consegue bem passar a ideia de paixão e perfeição. Obviamente, estamos diante de um personagem tóxico, mas a atuação de Simmons é tão soberba que faz o espectador embarcar com ele nessa jornada. A parceria entre ator e diretor deu tão certo que repetiram a dose em La La Land: Cantando Estações, embora num papel bem mais discreto.

 

6) Mahershala Ali (Moonlight: Sob a Luz do Luar)

Falando em La La Land… O filme que desbancou o musical no Oscar mais surpreendente (e bizarro) dos últimos anos, Moonlight: Sob a Luz do Luar também ficou marcado por uma atuação gigantesca. Estamos falando, é clara, da marcante presença de Mahershala Ali como uma espécie de figura paterna para o jovem protagonista Chiron. Com muita delicadeza, esperança e responsabilidade, Ali cria um personagem formidável que é uma das luzes do longa dirigido por Barry Jenkins. Por sinal, ele também recebeu um Oscar de Melhor Ator Coadjuvante pelo trabalho. 

 

5) Joaquin Phoenix (Coringa)

Chegamos na única atuação de 2019 do nosso top 10. O que Joaquin Phoenix faz na pele do vilão e personagem-título de Coringa é algo realmente extraordinário. O ator não apenas demonstra coragem ao assumir um projeto bem mais comercial do que está acostumado, como faz questão de tratar um personagem vindo das HQs com o mesmo respeito e dedicação que entrega nos filmes de autores. Seu Arthur é complexo, fascinante e, é claro, aterrorizante. Phoenix se entrega totalmente ao personagem e as consequências físicas e psíquicas são vistas em cena. Era para ser mais uma adaptação dos quadrinhos feita por uma empresa que não cansa de derrapar. Phoenix, ao lado do diretor Todd Phillips, acabou transformando o projeto em algo maior.

 

4) Joaquin Phoenix (O Mestre)

É difícil acreditar, mas muita gente descobriu Joaquin Phoenix através de Coringa. Mas o ator está aí há muito tempo, e é, sem dúvida, um dos maiores nomes no campo da atuação. Não por acaso, é o único ator presente duas vezes na lista. E poderia estar mais vezes, com projetos como Ela e Vício Inerente. A grande atuação de Phoenix na década pôde ser vista em O Mestre, obra-prima do cultuado diretor Paul Thomas Anderson. No longa de 2012, o ator vive um marinheiro que tenta reconstruir a vida após a Segunda Guerra Mundial. Traumatizado, ele acaba se juntando a uma organização religiosa e passa a seguir cada vez mais as ideias do líder da mesma. Ele recebeu uma indicação ao Oscar de Melhor Ator pelo trabalho.

 

3) Leonardo DiCaprio (O Lobo de Wall Street)

Após uma longa espera, Leonardo DiCaprio conquistou o Oscar de Melhor Ator pelo trabalho em O Regresso (2015). Sua melhor atuação na década, no entanto, veio dois anos antes, em 2013, por O Lobo de Wall Street, quarto filme da parceria com Martin Scorsese. Leo brilhou na pele de Jordan Belfort, sujeito que acumulou muitas riquezas trabalhando com ações na bolsa de Nova York, mas que se viu envolvido em diversos esquemas de corrupção. O longa mostra bem a vida insana com muita droga e sexo do personagem principal, e DiCaprio entrega uma atuação bem condizente com o espírito do sujeito. O astro recebeu uma indicação ao Oscar, mas teve que se contentar com um Globo de Ouro de Melhor Ator.

 

2) Philip Seymour Hoffman (O Mestre)

Se Joaquin Phoenix foi o único ator a marcar presença duplamente na lista, O Mestre foi o único filme a fazer o mesmo. Como destacamos acima, o trabalho do protagonista foi algo realmente fascinante. Mas teve alguém brilhando ainda mais em cena… Trata-se do saudoso Philip Seymour Hoffman. Sua performance como o líder religioso Lancaster Dodd é arrebatadora. Com um talento raro e muito carisma, o ator cria uma figura que é ao mesmo tempo ameaçadora e cativante. Um verdadeiro camaleão, Hoffman entrega toda uma humanidade ao personagem, que é repleto de camadas. Ele recebeu indicações ao Oscar, ao Globo de Ouro e ao SAG Awards de Melhor Ator Coadjuvante por aquela que foi sua última parceria com Paul Thomas Anderson.

 

1) Daniel Day-Lewis (Lincoln)

Daniel Day-Lewis é um dos maiores atores da história do cinema. Por sinal, o único a conquistar três vezes o Oscar de Melhor Ator. Seu trabalho em Lincoln (2012), de Steven Spielberg, merece figurar no topo da nossa lista. Embora o filme tenha seus problemas de ritmo e talvez seja um pouco longo demais, a performance de Day-Lewis acaba tornando-o algo maior. Ele embarca de corpo e alma na pele do ex-presidente americano Abraham Lincoln. O ator retrata não só os momentos épicos de sua luta contra a escravidão, mas também as sutilezas e fragilidades na vida pessoal, até chegar em sua morte. Uma atuação marcante premiada com um Oscar, um Globo de Ouro, um BAFTA, um SAG Awards e muitos outros prêmios de associações e sindicatos.

 

Bônus: Robert Downey Jr. (Vingadores: Ultimato)

Sendo bastante honesto, a atuação de Robert Downey Jr. em Vingadores: Ultimato é incrível, mas não o suficiente para figurar no nosso top 10. No entanto, há de se reconhecer o trabalho de mais de uma década do ator à frente do personagem. Seu Tony Stark era um em Homem de Ferro e outro em Ultimato. E Robert deixa transparecer isso claramente em sua atuação ao longo dos inúmeros filmes. Assim, o ator entra como um bônus na nossa lista, afinal não foi uma atuação em um filme, mas várias em diversos.