Nostalgia! Clássicos dos anos 80 e 90 Recém-Lançados no Catálogo da Netflix para Curtir nesse fim de ano!

Para os nostálgicos, para além das novidades que cada plataforma de streaming disponibiliza em seu catálogo (que é onde se encontra a grande força desses canais), é sempre um atrativo a mais reparar em quais são os clássicos que estas empresas decidiram revigorar para abrilhantar seu conteúdo. Hoje, existe um grande movimento saudosista das épocas de 80 e 90, e suas produções inesquecíveis.

Assim, aqui no CinePOP temos colunas dedicadas a este segmento: revisitar obras badaladas ou esquecidas do período. Pegando essa onda extremamente popular, a Netflix vira e mexe decide investir nesse segmento. Seja trazendo obras inéditas do passado para seu acervo ou mesmo trazendo de volta filmes que já fizeram parte de seu catálogo, foram retirados, mas por “pressão” dos assinantes retornaram para a plataforma. Confira abaixo esses filmes imperdíveis dos anos 90 e 80 atualmente na Netflix.

O Último dos Moicanos (1992)

Estreando as dicas de filmes dos anos 90, temos um longa que estreia na Netflix. Um dos maiores sucessos de 1992, o que acontece é que ‘O Último dos Moicanos’ é na verdade uma produção da Fox, mas que no Brasil recebeu distribuição da Warner. Justamente por isso, anteriormente a obra fazia parte do acervo da HBO Max. Agora, os assinantes da Netflix poderão degustar essa aventura de Michael Mann, estrelada pelo multi-Oscarizado Daniel Day-Lewis em seu único filme de ação. Ele vive um nativo de uma tribo que se apaixona por uma mulher branca (Madeleine Stowe) em meio a uma guerra com os franceses.

Uma Linda Mulher (1990)

Retornando para a plataforma da Netflix, uma das comédias românticas mais clássicas não apenas dos anos 90, como da história do cinema. O condo de fadas da Cinderela trazida para o mundo real como nunca anteriormente, onde a gata borralheira vira uma prostituta de rua e o príncipe encantado é um rico empresário em busca de companhia. Uma subversão que não caiu no mau gosto devido ao imenso coração e graça que o longa possui, ainda fazendo de Julia Roberts uma estrela internacional.

Pulp Fiction – Tempo de Violência (1994)

Outro que retornou recentemente para o acervo da Netflix é a obra quintessencial de Quentin Tarantino, que revolucionou o cinema independente e sua narrativa, e escreveu o nome do diretor na história. ‘Pulp Fiction’ ainda hoje é considerado um dos melhores filmes de todos os tempos, e não pode ficar de fora do catálogo dos principais streamings. É aquele filme de cabeceira que precisa sempre estar disponível, mesmo que já tenhamos assistido cem vezes.

Clube da Luta (1999)

Outro que precisa sempre estar incluído no catálogo de algum dos streamings mais populares, ‘Clube da Luta’ é um destes filmes cult atemporais, que se popularizou tanto ao ponto de se transformar em um dos longas mais queridos do cinema. Assim como ‘Pulp Fiction’, elevou o nome de seu diretor a outro patamar. David Fincher pode ser considerado um dos grandes, e este filme tem muita “culpa” nisso. Mas vai que, ainda existe alguém por aí que relutou até este momento em assistir a essa obra-prima. Esta é sua chance.

Não deixe de assistir:

Gênio Indomável (1997)

Outro que retorna para a plataforma da Netflix, ‘Gênio Indomável’ também é um filme extremamente querido, e de quebra deu não apenas o Oscar de melhor roteiro para os então “garotos” Matt Damon e Ben Affleck; como finalmente premiava o saudoso Robin Williams com o Oscar de atuação. Outro destes filmes atemporais, o longa pode ser descoberto por gerações mais novas, afinal sempre tem gente crescendo, se tornando cinéfilo e descobrindo as maravilhas do passado da sétima arte. Ah sim, a Netflix presenteia também com ‘O Talentoso Ripley’, que vale como sessão dupla de Matt Damon nos anos 90.

Lancelot – O Primeiro Cavaleiro (1995)

Mais um filme que já esteve presente no acervo da Netflix, foi removido momentaneamente, marca seu retorno na plataforma. Outro longa cult dos anos 90, que deu o que falar em seu lançamento pelo encontro de dois grandes atores. O saudoso Sir Sean Connery, o primeiro 007 do cinema, aqui viveu um Rei Arthur já envelhecido, casado com uma bem mais jovem Lady Guinevere (papel de Julia Ormond, atriz inglesa em ascensão na época). Richard Gere vive o primeiro cavaleiro da Távola Redonda, Lancelot – formando um triângulo amoroso na corte real.

De Volta à Lagoa Azul (1991)

O clássico da Sessão da TardeA Lagoa Azul’ (1980), com Brooke Shields, é um filme que não sai do acervo da Netflix. E por que deveria, já que o filme traz uma das histórias de amadurecimento mais queridas pelos fãs? Mas o que muitos podem não saber, ou escolher ignorar, é que o clássico dos anos 80 teve uma continuação nos anos 90. Mas nada de Brooke Shields ou Christopher Atkins, já que a nova trama traz uma Milla Jovovich bem jovenzinha em seu primeiro papel de destaque no cinema e Brian Krause como protagonistas. Não confundir com o caça-níqueis feito direto para a TV em 2012, ‘Lagoa Azul – O Despertar’, também presente no acervo da plataforma.

Christine – O Carro Assassino (1983)

Clássico cult absoluto de John Carpenter, baseado no livro de Stephen King, ‘Christine’ ganhará um remake em breve nos cinemas. A trama é muito mais do que um carro assassino, é uma grande metáfora para as obsessões de um adolescente entrando na vida adulta, e despertando para a aceitação social. O tímido Arnie começa a reformar um velho carro que ninguém dava bola, e no processo começa a reformar a si mesmo, se transformando em um jovem popular no colégio. Porém, assim como adolescentes que sofrem bullying muitas vezes fazem, ele resolve destilar sua fúria interior em seus malfeitores, e sua arma é um carro, um Plymouth Fury 1958.

Pixote – A Lei do Mais Fraco (1980)

A Netflix também está investindo bastante em verdadeiros clássicos de nosso cinema nacional. Alguns dos títulos mais adorados dos últimos anos estão disponíveis na plataforma de streaming número 1 do mundo, como ‘Cidade de Deus’, ‘Tropa de Elite’, ‘Bruna Surfistinha’, ‘Carandiru’, ‘Estômago’ e ‘O Palhaço’. Mas voltando aos anos 80, temos uma obra muito nostálgica e à frente de seu tempo, que descortina sem papas na língua, a vida e o dia a dia de garotos de rua, aderindo ao crime, à prostituição e às drogas, já no início dos anos 80. Na direção, um verdadeiro mestre: Hector Babenco.

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS