Já imaginou como seriam os clássicos do cinema que todos nós amamos, se eles tivessem outros títulos? A verdade é que no fim das contas continuaríamos os amando, afinal o que é a capa de um livro em comparação ao seu conteúdo? Ou seja, se o filme em si fosse o mesmo, tenho certeza que não seria o título que nos faria gostar menos deles. De qualquer forma seria estranho chamar De Volta para o Futuro de “Homem do Espaço de Plutão”, por exemplo, não é mesmo? O fato é, muitos títulos de clássicos queridos são tão certeiros que não imaginaríamos eles sendo chamados de qualquer outra coisa. Pegando este gancho, decidi por uma nova matéria em que revelaremos para você, querido leitor, quais seriam os títulos de alguns dos filmes mais populares da história do cinema. Confira abaixo e diga se o título final não acabou sendo melhor do que o originalmente planejado.

As Aventuras de Luke Starkiller


O primeiro item de nossa lista é nenhum outro senão o fenômeno responsável pelos blockbusters como os temos hoje. Star Wars teve uma penetração social e cultural inimaginável para a época. Na época de seu lançamento nos cinemas brasileiros, o filme ficou conhecido como Guerra nas Estrelas, a tradução literal. Porém, com o relançamento da trilogia original em meados dos anos 90, precedendo o novo episódio A Ameaça Fantasma em 1999, o primeiro longa foi rebatizado como Star Wars – Uma Nova Esperança. Voltando ainda mais no tempo, antes de Star Wars ser confirmado como título, por muito pouco o filme não foi chamado As Aventuras de Luke Starkiller, enfatizando ainda mais suas raízes na aventura de matinê – fonte de inspiração para o diretor George Lucas. Nesta época, ao invés de Luke Skywalker, o protagonista se chamaria Luke Starkiller (ou Matador de Estrelas – um nome mais pesado). Skywalker, ou “o que caminha no céu”, se mostrou algo mais ponderado, heroico e divino.

A Vida de um Menino


A Vida de um Menino seria o título de E.T. – O Extraterrestre, um dos maiores sucessos da carreira do diretor Steven Spielberg, que serviu para cimentar os blockbusters ainda na década de 1980. A história da criaturinha espacial que chega para mudar a vida de uma família, em especial do menino Elliott (Henry Thomas), encantou plateias do mundo inteiro, se mantendo até os dias de hoje como um dos melhores exemplares dos gêneros infantil e filme para a família. O filme, no entanto, seria chamado A Vida de um Menino (A Boy’s Life), enfatizando o quanto a vida do pequeno protagonista mudaria. Porém, a sacada de Spielberg foi rápida ao perceber que tal título não dizia verdadeiramente do que a trama tratava e poderia não atrair o público planejado. Já E.T. é direto em sua mensagem sobre o conteúdo do longa.

Aproveite para assistir:



A Vingança do Jedi

Voltamos a um filme da franquia Star Wars. A conclusão da franquia original foi recebida com bastante entusiasmo na época de lançamento, mas o que muitos podem não saber é que O Retorno de Jedi teria um outro título planejado originalmente. O próprio George Lucas havia pensando em A Vingança do Jedi, para concluir a trilogia, mas depois ligou o alerta de que os Jedi são figuras puras e bondosas, das quais a vingança não faz parte de sua natureza. Assim, o criador trocou a palavra vingança para retorno. Alguns anos depois, Lucas não precisou fazer alterações em um título que usava a palavra vingança, já que os Sith citados em A Vingança dos Sith (o episódio III da trilogia prequel) são criaturas perversas que não possuem pudor em se vingar. Outro detalhe é que o título deveria ser O Retorno do Jedi aqui no Brasil, e não “de” Jedi – soando como se Jedi fosse o nome de alguém.

Os Esmaga-Fantasmas


Hulk esmaga. Mas Os Caça-Fantasmas não. Antes do título que ficou na boca de todo e qualquer fã de cinema, Os Caça-Fantasmas, o clássico de 1984 protagonizado por Bill Murray, Dan Aykroyd e companhia, e dirigido por Ivan Reitman, por pouco não se chamou “Os Esmaga-Fantasmas”, ou “Ghost Smashers”. Uma frase dita pelo gigante esmeralda da Marvel, o Incrível Hulk. Esse era um dos títulos prévios pensados pelos realizadores. Ainda bem que na hora H, eles tiveram juízo e mudaram o nome. Outra curiosidade, no entanto, é que o original Ghostbusters também não significa Caça-Fantasmas, o título que recebeu no Brasil. Ghostbusters estaria mais para algo como “Detonadores de Fantasmas”, ou “Arrebentadores de Fantasmas”.

Indiana Jones e o Templo da Morte

Esse é outro título que sofreu uma mudança que é um pequeno detalhe, mas que possui grande significado. O segundo Indiana Jones é considerado o mais sombrio e pesado da franquia, isso porque o criador George Lucas afirmou que estava passando por uma fase ruim de sua vida, incluindo um divórcio. Assim, isso se refletiu na sua história para Indiana Jones e o Templo da Perdição, de 1984. Originalmente, o filme seria ainda mais sombrio, já que seu título planejado seria O Templo da Morte!

Beverly Drive

A história de bastidores de Um Tira da Pesada é curiosa. Primeiro, porque o filme era planejado originalmente para ser um veículo de ação estrelado por Sylvester Stallone. O astro criador da franquia Rocky acabou não indo em frente com o projeto, e o filme foi remodelado para abrigar Eddie Murphy, fazendo dele um astro. Nesta mudança, foi incluído bastante humor, que é o forte de Murphy, fazendo de Um Tira da Pesada um misto de comédia e ação. Por outro lado, Stallone pegaria um pouco desta ideia e criaria Cobra (1986). Antes de se chamar Beverly Hills Cop, ou Tira de Beverly Hills – brincando com a imagem de um policial linha dura de Detroit, Chicago, indo parar na cidade chique da Califórnia -, o filme teria o título de Beverly Drive, que se referia a uma das estradas mais conhecidas de Beverly Hills. O curioso é pensar que “Tira de Beverly Hills” também  não tem nada a ver com Um Tira da Pesada – título que recebeu no Brasil (onde nos anos 80 tudo tinha que ser da “pesada” ou “do barulho”, gírias datadas da época).


Homem do Espaço de Plutão

O exemplo dado no início do texto era verdade. Esse realmente era o título planejado pelos realizadores do clássico De Volta para o Futuro, um dos melhores nomes de filme, não apenas dos anos 80, como também da história do cinema. O título original era uma brincadeira com um momento do filme, em que Marty McFly (Michael J. Fox) finge ser um visitante espacial para o próprio pai, um fanático por ficção científica, a fim que ele convidasse sua mãe para o baile. De certa forma seria estranho dar um título a um filme simplesmente por motivo de uma única cena, que não é o núcleo da história.

O Bando do Almoço

Um dos filmes adolescentes mais queridos dos anos 80, Clube dos Cinco é criação do mesmo John Hughes de filmes como Curtindo a Vida Adoidado e Mulher Nota Mil. Se formos analisar a fundo, perceberemos mais um caso onde o título em português têm pouco a ver com seu original, já que Clube dos Cinco se chama na verdade “Clube do Café da Manhã”, que fala diretamente sobre alunos “presos” na detenção do colégio numa manhã de sábado. Sim, são cinco alunos – o que até faz sentido. Porém, a detenção ocorre desde a manhã até a tarde, passando pela hora do almoço. E justamente por isso, o filme se chamaria “O Bando do Almoço”.

Caçador


Embora O Predador não seja, por assim dizer, um título muito único e original, e recaia no território do genérico, o longa estrelado pelo astro da ação Arnold Schwarzenegger, enfrentando um ser espacial feroz e sádico se fez memorável graças ao seu enredo que fugia do lugar comum dos filmes do gênero na época. Nos anos 80, tínhamos os fortões de filmes assim em geral interpretando policiais ou guerrilheiros distribuindo tiro, porrada e bomba em criminosos e terroristas. O Predador ia além e colocava Arnold para se digladiar com uma fera de outro planeta. O visual da criatura chamou atenção, uma criação fantástica, que fez do personagem um dos mais populares do período. Antes, porém, O Predador se chamaria Caçador – que, embora ainda mais genérico, representa bem a trama do longa.

O Experimento

Quando ouvimos o título O Experimento, pensamos em algo como um filme de ficção científica, suspense ou até mesmo de terror. Mas o filme que quase levou esse título em 1988 não era nada disso, e sim uma comédia. Trata-se de Irmãos Gêmeos, outro longa estrelado por Arnold Schwarzenegger no período que ficou muito famoso. No longa, o grandalhão Arnold e o baixinho Danny DeVitto são gêmeos muito diferentes, não apenas na aparência física, como também em suas personalidades e índoles. Isso porque eles foram usados como cobaia em um experimento realizado por cientistas, onde tudo de bom (geneticamente falando) seria destinado a um bebê, enquanto não sobraria muito para o outro. Desta forma, o título O Experimento tinha a ver com a história, mesmo soando como algo misterioso ou até macabro.

Fantasmas de Casa

Finalizando a lista temos um item que igualmente poderia ser considerado um filme de terror por parte do público. Embora se prestarmos atenção de verdade, veremos uma ponta de ironia ou um teor satírico neste título. Algo que já o aproxima da comédia. E não dá outra, Fantasmas de Casa seria o título de Os Fantasmas se Divertem – nome em português tirado da cartola para Beetlejuice. Os realizadores realmente criaram um título enigmático com Beetlejuice, que é o nome do personagem fantasmagórico de Michael Keaton no longa de Tim Burton. Traduzido nas versões dubladas, o nome do personagem era literalmente “Besouro Suco”. Fantasmas de Casa seria mais rotineiro, mas fazendo todo sentido com a história. Enquanto por aqui, Os Fantasmas se Divertem soa mais infantil e algo como uma fanfarra.


Não deixe de assistir: