Prime Video divulgou hoje (19) o primeiro teaser oficial de sua aguardada e ambiciosa série O Senhor dos Anéis: Os Anéis de Poder’, baseada na aclamada e revolucionária saga fantástica O Senhor dos Anéis, de J.R.R. Tolkien.

Diferente da franquia de filmes comandada por Peter Jackson, que seguiu à risca as aventuras de Frodo, Sam e tantos outros icônicos personagens em sua missão para destruir as forças sombrias de Sauron e de seus asseclas, a produção irá retornar bastante no tempo, contando a história sobre a “forja dos anéis, a ascensão do Lorde das Trevas, o épico conto de Númenor e a Última Aliança de Elfos e Homens”, conforme revelaram os showrunners J.D. PaynePatrick McKay.

Para aqueles que não se recordam, a história principal de ‘A Sociedade do Anel’, livro que dá início à jornada de Frodo Bolseiro, tem como força-motriz o Um Anel, perigoso e sedutor objeto que outrora pertencia a Sauron e que, de alguma forma (revelada em ‘O Hobbit’), foi parar no Condado e agora deve ser levado de volta ao sombrio território de Mordor para ser destruído e livrar a Terra-Média de todos os males (ou boa parte delas).

Entretanto, a narrativa da série não irá focar no Um Anel, e sim em todo o grupo desses poderosos objetos que ficou conhecido no cânone de Tolkien como Anéis de Poder.



Mas o que são eles?

Aproveite para assistir:

Nos livros originais, o romancista inglês desmembra uma belíssima epígrafe que lança um pouco de luz acerca dos artefatos:

“Três Anéis para os Reis-Elfos sob este céu,
Sete para os Senhores-Anões em seus rochosos corredores,
Nove para os Homens Mortais fadados ao eterno sono,
Um para o Senhor do Escuro em seu escuro trono
Na Terra de Mordor onde as Sombras se deitam.
Um Anel para a todos governar, Um Anel para encontrá-los,
Um Anel para a todos trazer e na escuridão aprisioná-los
Na Terra de Mordor onde as Sombras se deitam.”

Os Anéis de Poder foram forjados pelos Gwaith-i-Mírdain, também conhecidos como Elfos Artesãos, da região de Eregion. Tais trabalhadores eram comandados por Celebrimbor (o mesmo elfo que aparece nos elogiados games ‘Shadow of Mordor’‘Shadow of War’, também do universo ‘Senhor dos Anéis’), neto de Fëanor.

A história conta que o ímpeto e o desejo da criação dos Anéis veio de Sauron, que, à época da forja, conseguia materializar uma aparência condizente o suficiente para enganar até mesmo parte dos Elfos, considerados como parte de uma raça superior quando comparada aos humanos, aos hobbits, aos anões e a tantos outros. Um total de dezenove Anéis foram criados e, dentre eles, dezesseis tiveram a mão de Sauron na criação.



Os Três Maiores foram criados pelo próprio Celebrimbor – e, mais importante, nunca tocados por Sauron. Conhecidos como Narya (Anel de Fogo), Nenya (Anel de Água) e Vilya (Anel de Ar), eles permaneceram escondidos até o fim da Terceira Era, logo após a destruição do Um Anel e a derrota de Sauron. Vale lembrar que, como se não bastasse, eles também ficavam invisíveis a qualquer criatura a Terra-Média, em vez de tornarem o usuário invisível como o Um Anel.

Cada um deles possuía propriedades especiais, porém, com limitações. O Narya tinha o poder de inspirar outros a resistir à tirania, à dominação e ao desespero, cultivando esperança naqueles ao redor do portador, além de fornecer resistência à fadiga do tempo; o Nenya, por sua vez, concedia preservação, proteção e uma possível ocultação do mal; por fim, o Vilya, caracterizado como o maior dos Três Anéis, permanece na escuridão até agora: seu poder exato não é mencionado em nenhum dos livros de Tolkien, mas acredita-se que ele tinha o poder de curar e de preservar.

Outros anéis de patamar inferior também foram feitos e, conforme Gandalf os descreve em O Silmarillion, são considerados como meros ensaios na arte da forja – ou seja, apenas práticas, para os Elfos. Entretanto, Sauron planejava utilizá-los para dominar os Elfos restantes da Terra-Média.

Além dos dezenove anéis supracitados, Sauron também partiu para Mordor e forjou o Um Anel nas chamas da Montanha da Perdição, almejando a reunir todos os Anéis e seus respectivos portadores. Todavia, quando Sauron colocou o Um Anel em seu dedo, os Elfos imediatamente perceberam suas verdadeiras intenções e arrancaram-no da mão do Lorde das Trevas, culminando em um confronto bélico que ficaria marcado na história da Terra-Média.

Enquanto os Elfos conseguiram esconder os Três Maiores e dar um consecutivo aos anões de Khazad-dûm, Sauron recuperou os quinze restantes e resolveu dar continuidade ao seu reino de caos. Sete foram concedidos a cada uma das Casas dos Anões; e nove, dados aos humanos, que lhes davam a capacidade de ficar invisíveis e uma vida mais longa que o normal. Tudo arquitetado através de minúcias para que Sauron pudesse dominá-los.



Os humanos que se curvaram ao poder dos Anéis se tornaram Espectros, também conhecidos como Nazgûl, criaturas medonhas com habilidades perigosas sob o comando do Lorde das Trevas. Os anões, em contrapartida, foram presenteados com riquezas diversas, mas não cederam à autoridade de Sauron – encontrando ruína em si próprios em virtude de ganância desmedida.

Como fica claro, a história dos Anéis de Poder se estendem por ramificações e mais ramificações – e é bem provável que vejamos cada um desses artefatos misteriosos e ameaçadores ter sua narrativa contada na série do Prime Video, ou, até mesmo, de que forma Sauron partiu em busca de cada um deles para dominar, de uma vez por todas, a Terra-Média.

Lembrando que a produção tem estreia agendada para o dia 02 de setembro de 2022.

Não deixe de assistir: