Celebrar Pose nunca é uma tarefa cansativa – afinal, a série encabeçada por Ryan Murphy e por um elenco estelar quebrou paradigmas e fez história desde sua estreia ainda em 2018.

Agora, os fãs se despediram da produção depois de uma terceira temporada recheada de reviravoltas e momentos emocionantes, sentindo o gostinho agridoce de dar adeus a Blanca, Elektra, Pray Tell, Angel e tantos outros depois de breves três anos de existência.

E, para comemorar o estupendo series finale, que foi oficialmente transmitido há algumas semanas e que chegou ao Brasil através do Star+, separamos uma breve lista com os dez melhores episódios da obra (selecionados em ordem de exibição, e não em ranking).

Confira abaixo e conte para nós qual o seu favorito:



01×01 – PILOTO

Direção: Ryan Murphy

Aproveite para assistir:

O episódio que começou tudo. Pose fez sua estreia no dia 03 de junho de 2018, no começo do mês do orgulho LGBTQIA+, em um grandioso e divertido impacto que nos transportou de volta para a cidade de Nova York do final dos anos 1980. Assolados pela crescente epidemia de AIDS/HIV, os membros da Casa Abundance, liderados por Elektra (Dominique Jackson) roubam um museu de peças históricas e se apresentam com aplausos no ballroom que frequentam – em meio a divergências e a conflitos internos que fizeram com que Blanca (Mj Rodriguez) deixasse a família e fundasse sua própria dinastia.

01×08 – MOTHER OF THE YEAR



Direção: Gwyneth Horder-Payton

Sete episódios mais tarde, Pose entregou um dos melhores season finales da televisão contemporânea e conseguiu unir os arcos dos personagens principais em uma explosiva e emotiva redenção que superou todas as nossas expectativas. Aqui, Blanca e Elektra deixam suas diferenças de lado para competirem no Baile Real e enfrentarem a Casa Ferocity, enquanto Damon (Ryan Jamaal Swain) e Ricky (Dyllón Burnside) fazem audições para a turnê de Al B. Sure!, como parte do grupo de dança.

02×02 – WORTH IT

Direção: Gwyneth Horder-Payton

Em mais um episódio focado em Elektra e arrancando uma das icônicas performances de Jackson na série, a personagem embarca numa hilária e conturbada carreira como dominatrix, finalmente se sentindo empoderada e capaz de fazer tudo. Ela até mesmo funda a Casa Wintour e começa a reerguer seu império. Enquanto isso, Blanca lida com comentários transfóbicos com Frederica Norman (Patti LuPone), uma magnata imobiliária que quer impedi-la de abrir o salão de manicure que tanto deseja.

02×04 – NEVER KNEW LOVE LIKE THIS BEFORE

Direção: Ryan Murphy



“Never Knew Love Like This Before” não é apenas um dos melhores episódios da série, mas um dos mais importantes e essenciais da história da televisão. Trazendo à tona discussões sobre o alta índice de mortalidade da comunidade transfeminina negra, o capítulo é centrado na frustrante morte de Candy (Angelica Ross), assassinada no quarto do hotel onde trabalhava e abrindo espaço para medos e traumas de cada uma das personagens. O capítulo fica melhor a cada ato e, no final, temos uma performance absolutamente fantástica de Candy em uma dublagem da música titular.

02×07 – BLOW

Direção: Jennie Livingston

Nesse divertido e inesperado episódio, Pray Tell (Billy Porter) e Blanca trazem uma constatação bastante soturna sobre a comunidade LGBTQIA+ em Nova York dos anos 1980 e 1990 – que era a baixíssima média de vida daquelas pessoas. Percebendo que agora são encarados como “anciãos” pela própria comunidade, eles resolvem desafiar os membros da Casa Evangelista a organizar uma ação social que tem como principal objetivo atacar Frederica Norman e protestar contra a exploração predatória que fez contra Blanca e os outros.

02×08 – REVELATIONS


Direção: Steven Canals

Depois de muitos altos e baixos e algumas resoluções de tirar o fôlego, Ricky e Pray Tell acabam se tornando amantes, enquanto Damon finalmente se forma na academia de dança. Apostando em um profundo drama familiar que traz reminiscências de ‘Deus da Carnificina’, por exemplo, os personagens se juntam em um jantar e se confrontam sobre segredos que incluem desde mentiras até o uso oculto de drogas ilícitas – culminando em uma turbilhão de emoções.

02×09 – LIFE IS A BEACH

Direção: Gwyneth Horder-Payton

É claro que um dos episódios mais icônicos da série não poderia ficar de fora – e a diretora Gwyneth Horder-Payton conseguiu dar vida a uma “mudança de ares” muito bem-vinda às protagonistas. Aqui, Elektra, Blanca, Angel (Indya Moore) e Lulu (Hailie Sahar) saem de férias e utilizam a casa de praia de um dos clientes de Elektra para se divertirem. Apesar de tudo correr bem por um tempo, o capítulo não deixa de mostrar novamente o selvagem lado de Elektra quando confrontada por pessoas transfóbicas.

02×10 – IN MY HEELS

Direção: Janet Mock

“In My Heels”, comandado pela talentosíssima Janet Mock, pula alguns anos no futuro e mostra Blanca cuidando de um pequeno salão de manicure e pedicure na própria casa. Lidando com os fortes sintomas do HIV, ela é levada ao hospital às pressas e começa a refletir sobre o legado que deixou e sobre as pessoas que sempre estiveram do seu lado. Enquanto isso, no cenário ballroom, os homens são desafiados a se vestirem de drag queens e performarem na frente de Elektra, Angel, Blanca, Lulu e muitas outras, sendo julgados da mesma maneira que julgavam nos episódios anteriores.

03×03 – THE TRUNK

Direção: Tina Mabry

Em “The Trunk”, a diretora Tina Mabry, guiada pelo impecável roteiro de Mock e de Canals, resolve apostar fichas num panorama antológico e que, diferente do que poderia se esperar, funciona em sua completude. O episódio parece dar um singelo adeus à saga de Elektra Evangelista sem cair no melodrama novelesco e indicando que, não importa o que aconteça, seu legado viverá para sempre.

03×07, 03×08 – SERIES FINALE

Direção: Steven Canals

Pose chega ao fim de um modo bastante esperado e, por essa razão, eximiamente bem-feito. É claro que as investidas se alastram para cada uma das figuras que alimentaram nossos sonhos e nos cativaram; porém, no final das contas, é Blanca quem precisava de um encerramento que a colocasse em frente a um espelho e a fizesse pensar: “nós conseguimos”.

Comentários

Não deixe de assistir: