O mundo mudou muito por motivo da pandemia do coronavírus. Um dos setores mais afetados sem dúvida foi o das artes e do cinema. Com as salas de exibição fechadas por um longo período, e mesmo depois de reabertas precisando enfrentar o esvaziamento em massa, uma das soluções encontradas pelos grandes estúdios e realizadores foi lançar suas obras direto no streaming. Grande parte dos lançamentos planejados para 2020 precisaram ser adiados para este ano. Iniciativas como a da Warner, para impulsionar seu streaming Hbo Max, colocaram os maiores blockbusters do estúdio de forma simultânea nos cinemas e para serem assistidos em casa.

A Disney seguiu caminho similar, aumentando consideravelmente o valor de certos filmes em sua plataforma, que se encontravam ao mesmo tempo nas salas ainda abertas, vide Raya e o Último Dragão e o recente Cruella. O futuro ainda é incerto, mas com grande parte da população vacinada em certos países, a vontade de aglomerações em salas de cinema é grande, e pode ser que a segunda metade de 2021 já traga melhorias quanto ao número de público.

Seja como for, 2021 já chegou à sua metade, e aqui nesta matéria iremos analisar e comentar os maiores lançamentos dos primeiros seis meses do ano. Neste ranking, iremos contar com as avaliações que tais superproduções receberam da imprensa especializada, e do grande público em dois dos maiores sites de cinema na rede, o IMDB e o Rotten Tomatoes. Confira abaixo e comente colocando na ordem os seus preferidos também.

15 | Infinito



Começamos a lista com um filme recém-lançado, tendo estreado no dia 10 de junho nos EUA na plataforma Paramount+ como forma de impulsionar o serviço de streaming do estúdio. E o investimento é ambicioso já que se trata de uma ficção científica com ares de Matrix e A Origem, protagonizada por Mark Wahlberg e Chiwetel Ejiofor, e com direção de Antoine Fuqua (Dia de Treinamento, O Protetor e Sete Homens e um Destino). Apesar do pedigree, Infinito abriu com uma avaliação baixa dos críticos com 19%, sofrendo uma queda para 16% atuais. Com o público no Rotten sofre um leve aumento com 37%, e 54% no IMDB. Como é planejada uma estreia nos cinemas em setembro para países como a França, Austrália e Alemanha, é provável que o Brasil entre nesse lote e vejamos o longa nas telonas por volta desta época – já que não se encontra no acervo da plataforma citada em nosso país.

14 | Sem Remorso

Aproveite para assistir:

Outro que parece não ter agradado tanto é o mais novo veículo de ação e espionagem do jovem astro promissor Michael B. Jordan. Baseado no livro do autor especialista em missões de agências governamentais, Tom Clancy, o filme foi uma das grandes apostas da Amazon para esta primeira metade de 2021. O longa amarga atualmente 45% de aprovação dos críticos, com 39% de aprovação do público no mesmo Rotten, e 58%, sua melhor média, com o público no IMDB.

13 | Mundo em Caos



Com produção e lançamento da Lionsgate (e Paris Filmes no Brasil), esta ficção científica baseada num livro cultuado é tido como um dos maiores fracassos da primeira metade de 2021. Produção problemática adiada várias vezes, até mesmo antes da pandemia, a expectativa da produção era grande, já que juntava em tela dois dos jovens astros mais quentes da Hollywood atual: Daisy Ridley (a Rey dos novos Star Wars) e Tom Holland (o novo Homem-Aranha da Marvel). Fora isso, quem dirige é Doug Liman, que obteve sucesso no gênero com No Limite do Amanhã (2014). A trama de Mundo em Caos fala sobre um mundo sem mulheres, perturbado com a chegada da primeira delas – que possui o estranho dom de “ver” os pensamentos dos homens. O filme tem 22% de aprovação dos críticos, mas enxutos 71% de aprovação do público no mesmo Rotten. Já no IMDB, soma 57% com o público.

12 | Espiral – O Legado de Jogos Mortais

Uma das ideias de filmes mais estranha dos últimos anos foi esta espécie de reboot / continuação para a franquia desgastada Jogos Mortais. Mudando até o nome para dar aquela disfarçada, a ideia surgiu da mente do comediante Chris Rock. Mas o novo filme não é uma comédia e parece não trazer muito de inovação para o que já havia sido apresentado até agora. Para que fazer então, certo? Bem, se você tinha curiosidade de ver num filme Samuel L. Jackson como pai de Rock, então esse é para você. E talvez só valha por isso. Espiral obteve 37% de aprovação dos críticos, mas fez bonito com 76% de aprovação dos fãs no mesmo Rotten. No IMDB, 53% de aprovação do público.

11 | Dupla Explosiva 2: E a Primeira Dama do Crime

Por falar em Samuel L. Jackson, aqui está o ator de novo em mais um filme… digamos, morno. Nada de ruim que o grande Jackson faça jamais tirará nosso carinho por ele. Mas você lembra de Dupla Explosiva, no qual ele faz par numa relação disfuncional com Ryan Reynolds? Pois é, mesmo que você tenha assistido ao longa de ação e comédia no cinema ou em casa, muito provavelmente deve ter esquecido também. É daqueles filmes chicletes para o cérebro. Fez certo sucesso e garantiram de tascar uma sequência. Que infelizmente segue pelo mesmo caminho sem qualquer ressonância. Com os críticos, a continuação marca 27% de aprovação e com o público no Rotten marca uma aprovação bem mais alta, com 79%. No IMDB, o público garantiu ao filme 65% de aprovação.

10 | A Guerra do Amanhã

É um blockbuster com acertos e erros que se mostra um bom entretenimento para quem busca diversão, suspense, uma pitada de ficção e uma overdose de Chris Pratt. É o tipo de filme ideal para se desprender da realidade e curtir com toda a família por pouco mais de duas horas. E provavelmente seria ainda melhor se pudesse ser visto com o som ensurdecedor e a telona dos cinemas. Mas, como está na Amazon sem nenhum custo adicional, já fica a dica para o que assistir no fim de semana. Tem 52% de aprovação dos críticos, mas os fãs no Rotten deram uma ótima aprovação de 80%.



9 | Velozes & Furiosos 9

O grande público sempre abraçou a franquia sobre carros turbinados capitaneada pelo brucutu Vin Diesel. Os filmes foram ficando cada vez mais exagerados e cartunescos, mas o que os fãs e os críticos enalteciam era o clima emotivo da “família” de protagonistas, fato este evidenciado após a partida de um de seus principais membros, o saudoso Paul Walker. Porém, existe um momento em que precisamos traçar uma linha na areia e dizer: “daqui não estamos dispostos a passar”. Essa linha na areia, ao que tudo parece, se chama Velozes e Furiosos 9. Comparado aos demais, o nono filme da franquia marcou medianos 60% de aprovação dos críticos, mas segue impressionando os fãs no Rotten com 84%, e no IMDB a nota do grande público segue mais de perto a dos jornalistas, com 55% de aprovação.

8 | Army of the Dead: Invasão em Las Vegas

O diretor Zack Snyder retorna com força total em 2021. Aqui, como muito anunciado, o cineasta volta às origens, lembrando que Snyder começou a carreira como diretor de cinema no terror Madrugada dos Mortos (2004). Mas será que a essa altura, hoje como um dos realizadores mais megalomaníacos de Hollywood, ele voltaria para algo mais minimalista? Quem esperava que sim, enganou-se feio. Army of the Dead é tudo menos um filme de terror. É sim um filme sobre zumbis, onde um esquadrão de mercenários armados até os dentes precisa invadir uma Los Angeles tomada de mortos-vivos para roubar um cofre em um cassino. O filme, no entanto, está mais para um Fuga de Nova York que tomou esteroides, do que para um Madrugada dos Mortos. O longa se encontra acima da média na avaliação dos críticos com 68% de aprovação. Melhor ainda com o público no Rotten, onde soma 75% de aprovação e no IMDB dá uma leve decaída com 58%.

7 | Mortal Kombat


As adaptações de videogames para o cinema ainda não viram seu lugar ao sol como as de quadrinhos. Isso é seguro dizer. Mas os produtores não se cansam de tentar. Aqui, quem ganha sobrevida é o jogo de luta sangrento Mortal Kombat, que já havia sido levado aos cinemas em 1995, com um filme que até tem seus seguidores, mas cuja continuação desastrosa (1997) encerrou os planos de uma franquia. Agora, o Midas James Wan é quem apadrinha esta possível franquia para a Warner. E sim, aqui temos sangue e violência de sobra. Os críticos, porém, não se impressionaram muito e garantiram uma aprovação mediana de 55%. Já os fãs no Rotten adoraram, com uma avaliação de 86%. No meio termo está o grande público no IMDB, com 62%.

6 | Aqueles que Me Desejam a Morte

Chegando agora na metade da lista, com os cinco filmes preferidos desta primeira parte de 2021. Bem, ao menos as superproduções preferidas, devemos dizer. Em quinta posição se encontra a volta da musa Angelina Jolie aos filmes de entretenimento e ação. Aqui ela vive uma bombeira florestal precisando tomar conta de um menino jurado de morte. Os críticos deram uma avaliação favorável ao longa, com 62% de aprovação, mas impressiona mais a avaliação dos fãs, com 85%. No IMDB, o público avaliou com 60% o filme.

5 | Em um Bairro em Nova York

Em primeiríssimo lugar se encontra uma obra capitaneada por um artista que, assim como os citados James Wan e Zack Snyder, possui uma verdadeira legião de fãs, se tornando um dos mais queridos da atualidade. A especialidade de Lin-Manuel Miranda, no entanto, são os musicais, e dos palcos da Broadway é de onde ele é oriundo. Miranda foi responsável por exemplo pelo super ultra mega elogiado Hamilton, “filme-peça de teatro musical” que você nunca encontrará ninguém dizendo que é menos que maravilhoso. Aqui, ele segue nessa escalada ao ver adaptado para as telas outro de seus musicais dos palcos. A história fala sobre imigrantes latinos ganhando a vida em um bairro de Nova York. Miranda criou a história, produz, participa como ator e está envolvido também com as músicas do longa. Não por menos, tamanho esforço garantiu ao filme a melhor nota do ano (até o momento) com os críticos, com impressionantes 96% de aprovação. Maior até do que com os fãs no Rotten (94%) e no IMDB (76%).

4 | Invocação do Mal 3: A Ordem do Demônio

Por falar em James Wan, o onipresente realizador está com a agenda muito cheia, e justamente por isso não pôde retornar para dirigir o terceiro capítulo da franquia que ajudou a erguer. Conhecido como “Invocaverso”, tudo começou nesta série cinematográfica, cujos dois primeiros filmes são tidos como alguns dos melhores exemplares do terror dos últimos anos para os fãs. O terceiro, porém, com Wan apenas na produção resultou numa avaliação mista da imprensa com 56% de aprovação. Já os fãs, continuaram comprando a ideia, com 86% de aprovação. No IMDB, o grande público cedeu ao filme apenas 64%.

3 | Godzilla vs Kong

Em quarta posição o duelo mais esperado de 2021 nos cinemas. Bem, ou quem sabe na Hbo Max, já que o blockbuster foi lançado de forma simultânea nos EUA para ser assistido em casa também. Para quem não sabe, este longa é o quarto dentro de uma franquia conhecida como “universo dos monstros” da Warner. Tudo começou com Godzilla (2014), seguiu para Kong: A Ilha da Caveira (2017) e depois para Godzilla: Rei dos Monstros (2019). A julgar pelo resultado deste embate muito bem sucedido, que é um dos filmes mais queridos do ano, esperem por novas aparições dos colossos. O encontro dos maiores monstros das telas agradou bastante os críticos, garantindo uma aprovação de 75%. Os fãs gostaram ainda mais, com 91% de aprovação no Rotten, e no IMDB, com 64%.

2 | Liga da Justiça de Zack Snyder

Quem diria que um dos filmes de heróis mais água com açúcar dos últimos anos receberia nova chance para brilhar? Muito mais do que uma superprodução ou do que uma segunda chance para um diretor tido como “maldito”, a versão de 4 horas de Liga da Justiça cedida ao cineasta Zack Snyder pela Warner demonstra a força da paixão dos fãs. Foram eles que fizeram uma campanha incansável para que o estúdio deixasse o diretor realizar finalmente sua visão da obra. No começo, ninguém levou muito a sério. Hoje, quatro anos depois da versão que de fato vimos no cinema, a campanha fez tanto barulho que o estúdio cedeu a transformando em realidade. Quem diria? Essa nova Liga da Justiça fez por merecer e os críticos tascaram 71% de aprovação na obra. Já os fãs, muitos dos quais pediram a nova versão, o abraçaram de vez com 94% no Rotten e 81% no IMDB. E toma-lhe “SnyGod”.

1 | Cruella

Subindo no pódio em com medalha de bronze em terceiro lugar está o elogiado Cruella, reimaginação da Disney para uma de suas vilãs mais clássicas das animações. Surgida em 101 Dálmatas (1961), Cruella De Vil é uma estilista rica cujo sonho é fazer um casaco de pele de dálmatas. Bem politicamente incorreto, certo? Revisitando a origem da personagem, a Disney escalou a musa vencedora do Oscar Emma Stone para mostrar a juventude da vilã e seu início de carreira na moda. Comparada a uma versão light de Coringa, Cruella obteve 74% de aprovação dos críticos e os fãs abraçaram ainda mais com 97%. O grande público no IMDB avaliou na mesma forma dos críticos, com 74%, garantindo ao filme a terceira colocação do ano até o momento.

 

Comentários

Não deixe de assistir: