Há exatos 80 anos, o passarinho mais sacana da TV, dos cinemas e da internet fazia sua estreia nos Estados Unidos. Criado por Walter Lantz, o Pica-Pau surgiu como um antagonista no desenho de Andy, O Panda. Implicante desde a origem, o personagem com aparência esguia e grotesca logo caiu nas graças do público e ganhou um título próprio.

Sucesso americano dos anos 1940 até os anos 1970, não é exagero dizer que a marca só sobrevive até os dias de hoje por conta do Brasil. Mesmo sendo um dos pouquíssimos personagens animados a ostentarem uma estrela da Calçada da Fama e ser o mascote oficial da Universal Studios, o Pica-Pau permaneceu como um símbolo dos personagens surtados do século XX, e acabou não sendo muito bem aceito mundialmente pelas crianças do século XXI. Talvez ele fosse dono de uma violência ultrapassada, talvez os pais dessa geração não quisessem que as suas crianças aprendessem sobre trapaça desde cedo. Enfim, é complicado estimar o motivo desse insucesso ao redor do mundo, mas a verdade é que, indo contra as estatísticas, o desenho segue extremamente popular no Brasil, onde ele segue como sucesso de audiência e acabou virando um dos memes mais populares do país.

A relação da ave com o país começa há muito tempo, em 19 de setembro de 1950, quando ele se torna a primeira animação a ser exibida na história da televisão brasileira. Na época, a TV Tupi exibia o desenho legendado, mas ainda assim rendeu bastante audiência. Ao longo das décadas, o passarinho americano mais famoso do Brasil passou por TV Tupi, Record, SBT, Rede Globo, até retornar para a Record, onde voltou a ganhar espaço no horário nobre. Em 2006, após adquirir os direitos do personagem mais uma vez, a Record passou a transmitir diariamente uma seleção de episódios na faixa das 18h. O sucesso foi imediato e a emissora alcançou a vice-liderança do horário, desbancando até mesmo as exibições de Chaves no SBT. Desde então, poucas foram as vezes que o Pica-Pau ficou de fora da grade da emissora.



Com embates épicos com o Chaves, o Pica-Pau tem lugar cativo na grade da Record.

Atualmente, o desenho é exibido nas manhãs de domingo. Parte do sucesso do personagem no país se deve à dublagem. E curiosamente, ele foi o primeiro papel de um dos maiores dubladores do Brasil: Garcia Junior. Famoso por ter dublado o Simba, o He-Man e o MacGyver, o primeiro trabalho dele como dublador foi justamente o Pica-Pau, quando ele tinha apenas 10 anos de idade. Ele substituiu Olney Cazarré e o resultado foi tão bom que ele acabou ganhando o personagem.

Garcia foi a voz do Pica-Pau com apenas 10 anos de idade.

 

Aproveite para assistir:



Dos EUA para o Brasil

Percebendo a queda da marca Pica-Pau nos EUA, a Universal Studios passou então a fortalecer a imagem do personagem em países onde o nome do passarinho ainda era forte. Por isso, todo o material promocional envolvendo Pica-Pau: O Filme (2017) foi feito visando o Brasil. O próprio anúncio de que o longa estava em produção foi feito na CCXP 2016. E então veio um fato interessante. Mesmo ostentando as cores da bandeira americana, o Pica-Pau passou a ser vendido como “A ave mais amada do Brasil”. Além disso, a brasileira Thaila Ayala foi uma das protagonistas do filme. Não a toa um dos poucos lugares nos quais o longa foi lançado nos cinemas foi aqui, enquanto estreou em home video na maior parte do mundo.



Outro indicador desse sucesso astronômico no Brasil é o canal no YouTube do personagem (sim, existe). Enquanto o canal em português tem mais de 5 milhões de inscritos, o canal americano tem pouco mais de 500 mil, aproximadamente 10 vezes menos inscritos. Impressionante, não é mesmo? Vendo esse nicho de popularidade brasileira, a Universal lançou uma nova série chamada O Pica-Pau, onde ele tem um visual divertido e segue como uma mistura do Pica-Pau original com o dos anos 2000. A série é um sucesso no Brasil, onde cada episódio tem média de 800 mil visualizações. E, sim, tem um episódio no qual o passarinho enfim vem ao Brasil.

Com setenta anos de relação, Brasil e Pica-Pau são um daqueles casos que parecem não fazer sentido. Mas quem diria que o agora octogenário personagem e seu humor politicamente incorreto seguiriam fazendo sucesso aqui depois desse tempo todo? Bem, parece que as trapaças e trapalhadas do passarinho americano mais amado do Brasil vão seguir encantando gerações enquanto o tempo permitir.

O Novo Pica-Pau e Pica-Pau: O Filme estão disponíveis no Amazon Prime Video.



Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE