Sonic – O Filme’ estreou nos cinemas brasileiros e promete se tornar uma das melhores adaptações de jogos das últimas décadas (cujo gênero não se configura como promissor o suficiente para nos envolver).

Felizmente, as críticas parecem indicar que a adaptação da clássica franquia trazida à vida pela Sega e pela Paramount Pictures é divertida e aprazível o bastante para conquistar a família inteira – seja os membros mais velhos, que serão engolfados por uma deliciosa nostalgia, seja pela nova geração, que poderá se divertir com as aventuras do ouriço azul e de seus amigos. Mais do que isso, o longa-metragem carrega consigo um potencial considerável de se transformar numa saga, ainda mais pelo comando de Jeff Fowler e pelo roteiro assinado por Patrick Casey, Josh Miller e Oren Uziel, que deixa não apenas um, mas dois ganchos para futuras iterações.

Cuidado: muitos spoilers à frente.

Durante a batalha final entre Sonic (Ben Schwartz) e o Dr. Robotnik (Jim Carrey), o herói acaba utilizando seus mágicos anéis de viagem interdimensional para expulsar o vilão para longe da Terra, mais precisamente para um horrendo mundo habitado por nada além de gigantescos cogumelos.

Levando em conta que o perigoso cientista possui um intelecto gigantesco, era de se imaginar que conseguisse sobreviver e já começasse a arquitetar um novo plano para concluir sua missão de capturar Sonic e utilizar suas poderosas habilidades para dominar o mundo (e talvez o universo). Afinal, antes de ser banido de sua realidade, ele conseguiu esconder e manter a salvo um dos espinhos do ouriço, carregado com uma força inexplicável. Nas cenas finais, podemos inclusive ver que o icônico bigode de Robotnik já começou a crescer – e que sua loucura também atingiu níveis assustadoramente mortais

Aproveite para assistir:

Entretanto, como já mencionado, isso não é tudo: a segunda cena pós-créditos é o primeiro vestígio da ampliação da mitologia de Sonic, introduzindo outro personagem clássico dos games: Miles “Tails” Prower.

Para aqueles que não se recordam, Tails é uma raposa com múltiplas caudas fundidas em alusão à mitológica criatura kitsune, da cultura japonesa. Seu principal poder a permite se impulsionar no ar como um helicóptero (porém, por um tempo limitado) e, assim que dá as caras nos últimos segundos do longa-metragem, percebemos que ela vem para a Terra também em busca de Sonic.

Tails é o melhor amigo do personagem titular nos jogos, tendo sido criado justamente para acompanhá-lo em suas diversas aventuras. E agora, novas perguntas surgem – e clamam por respostas que precisam ser respondidas pela sequência: afinal, somos levados a pensar que a raposa, assim como o ouriço, habitava uma ilha solitária e tinha como companhia apenas um guardião, forçada, eventualmente, a deixar sua terra natal para sobreviver. Ou então, a antiga guardiã de Sonic pode tê-la mandado para algo muito maior.

Entre essas dúvidas, outras também surgem, inclusive a seguinte: será que outros personagens da franquia Sonic também irão aparecer? Será que veremos Knuckles, Nack, Chaotix e Amy Rose nas futuras produções?

A história gira em torno de Sonic enquanto ele tenta se adaptar à nova vida na Terra com seu novo melhor amigo humano, o policial Tom Wachowski (James Marsden). Sonic e Tom unem forças para tentar impedir que o vilão Dr. Robotnik (Jim Carrey) capture Sonic e use seus poderes para dominar a humanidade.

Ben Schwartz (‘Parks and Recreation’) dubla o Sonic. O elenco conta com Jim CarreyAdam Pally Neal McDonoughA direção é de Jeff Fowler.

Patrick Casey e Josh Miller assinam o roteiro. 

Lançado pela primeira vez em 1991, o game ‘Sonic‘ já vendeu mais de 360 milhões de cópias em diversos formatos.

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE