Enquanto produzia seu filme de estreia (a distopia futurista intitulada THX 1138), George Lucas havia revelado para seu compositor que gostaria de produzir uma versão cinematográfica do clássico seriado sci-fi Flash Gordon. Entretanto, em um constante vaivém, ele decidiu dar origem a um panteão único, que veio a se concretizar em 1977 com o lançamento de Star Wars: Uma Nova Esperança’, contando a história do jovem Luke Skywalker e de suas aventuras para salvar a galáxia de um Império maligno e opressor comandado por Darth Vader.

Desde então, a saga intergaláctica alavancou uma legião de fãs, inúmeras sequências, prequências, spin-offs e produções seriadas que transformaram esse envolvente universo em um legado ambulante que influencia jovens realizadores até os dias de hoje – e que foi influenciado, é claro, pelo classicismo do monomito descrito por Joseph Campbell em sua obra O Herói de Mil Faces.

No dia de hoje (04 de maio), os fãs da franquia comemoram o Dia de Star Wars devido a um inteligente trocadilho – e, por mais que sejam seguidores incontestáveis do cânone dessa aventura irretocável, é possível que parte do gigantesco grupo não tenha muita ideia do que existe nos bastidores e na construção de cada protagonista e coadjuvante dos longas.

Por isso, o CinePOP preparou essa singela matéria especial que analisa o background etimológico dos personagens da franquia (ou seja, o significado de seus nomes), através de uma lista primeiramente preparada pela Babbel Magazine.



LUKE SKYWALKER

O corajoso herói vivido por Mark Hamill remonta aos tempos gregos e dialoga com Loukas, o homem de Lucania (região localizada na Itália). Diferente do que se possa imaginar, ele não carrega nenhum sentido mítico ou místico – o que faz sentido, considerando sua personalidade humilde apresentada no capítulo de estreia da série.

Entretanto, seu nome remonta também à palavra leukos, que significa luz – o que também faz sentido, visto que sua principal missão é lutar contra “o lado negro da força”. Vale lembrar que, antes de ganhar seu icônico sobrenome (que significa “peregrino do céu”), Lucas revelou que o protagonista evocaria o autoexplicativo Starkiller (matador de estrelas).

LEIA ORGANA



Lucas cresceu em meio a icônicos romances de ficção científica, que tiveram seu boom entre as décadas de 1920 e 1960. Não é surpresa, pois, que o cineasta tenha honrado um de seus ídolos, Edgar Rice Borroughs, ao nomear a personagem vivida por Carrie Fisher como a Princesa Dejah Thors, de John Carter of Mars.

Organa, por sua vez, se relaciona com os vocábulos orgânico e organismo, representando sua posição em prol da natureza em um momento de dualidade entre dois mundos completamente opostos entre si.

HAN SOLO

Aproveite para assistir:



Segundo vários dicionários etimológicos, Han é uma forma arcaica de um nome mitológico que aparece em diversas culturas mundiais e milenares: John (ou Hansel, João, Hans e Jean). Solo, por sua vez, é encarado como uma homenagem ao espião Napoleon Solo, charmoso protagonista de The Man from UNCLE – série de TV estadunidense popular nos anos 1960.

CHEWBACCA

Uma das criações mais queridas do panteão intergaláctico tem uma história adorável por trás de sua fisionomia: o cachorrinho de George Lucas, um malamute do Alasca chamado Indiana. O nome, todavia, é bastante similar à tradução do vocábulo cachorro para a língua russa (escrita собака).

OBI-WAN KENOBI



Lucas nunca escondeu sua afeição pelo cinema asiático e, como muitos devem saber, pelo lendário Akira Kurosawa, apaixonando-se por sua estética e por suas habilidades narrativas extremamente narcóticas e suntuosas. Não é surpresa que sua gratidão tenha ganhado palco em Star Wars, seja com a palavra jedi (que tem origem na vestimenta dos dramas samurais conhecida como jidai-geki), seja com o mentor de Luke, Obi-Wan.

Um dos melhores personagens criados pelo diretor faz clara menção a Kurosawa: obi é uma faixa usada para amarrar o quimono, enquanto ken é a tradução japonesa para espada. Wan, por sua vez, é uma brincadeira com o título san, utilizado para se referir a alguém de mesma hierarquia (etária ou profissional, por exemplo).

YODA

Assim como grande parte da história que circundaStar Wars, o nome do mestre Yoda não tem uma origem certeira e é infundido com mistério que apenas acrescenta mais camadas de profundidade à sua construção. Uma das fontes mais plausíveis é a palavra em sânscrito para guerreiro (yoddha); outra, é o hebraico para sábio (yodea) – e ambas têm bastante coerência.

DARTH VADER


Bem como Yoda, o temível Darth Vader não tem uma raiz única: rumores indicam que o nome faz alusão ao holandês donker vader, que significa pai negro. Lucas, porém, afirmou que ele é uma combinação de duas frases poéticas: death water e dark father – mas a conexão não bate, visto que os primeiros rascunhos do roteiro não colocavam o vilão como pai de Luke Skywalker.

R2-D2 & C3PO

E mais uma vez Kurosawa é resgatado para a saga, mas dessa vez para a dupla de robôs conhecida como R2-D2 e C3-PO. Lucas afirmou em diversas entrevistas que os coadjuvantes foram baseados nos dois camponeses trapalhões do clássico A Fortaleza Escondida. R2-D2 também surgiu durante a montagem do filme Loucuras de Verão, em que seu assistente abreviou a frase “reel 2, dialog 2” para “r-2-d-2”.

KYLO REN

O vilão da nova trilogia, interpretado por Adam Driver, teve seu nome revelado nas HQs de Star Wars. Ren, na verdade, significa sabre de luz e, segundo o próprio personagem, ele vive segundo a natureza que a arma laser representa. Kylo, por sua vez, é de origem saxônica e significa céu.

REY

A protagonista vivida por Daisy Ridley é uma poderosa guerreira cujo nome tem basicamente tudo a ver com sua personalidade. Vindo do latim, o vocábulo é a tradução espanhola de rei que, por sua vez, vem da união entre rex e regere – alguém que lidera. A escolha não poderia ser mais perfeita; afinal, a personagem é Líder da Resistência que luta contra a ascensão dos Cavaleiros de Ren.

Comentários

Não deixe de assistir:

🚨 INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE 🚨http://bit.ly/CinePOP_Inscreva