Antes de começar a ler, saiba que essa matéria é 100% composta por Spoilers do último episódio da segunda temporada de The Mandalorian. Então, se você ainda não assistiu, passe longe disso aqui.

O season finale da segunda temporada de The Mandalorian tem TUDO para agradar tanto aos fãs antigos quanto aos novos de Star Wars. Isso porque ele consegue fazer a integração perfeita entre passado e futuro, conectando as gerações por meio de um dos personagens recentes mais carismáticos da Disney: o bebê Gogru. A trilogia nova estrelada por Daisy Ridley, John Boyega e Oscar Isaac tem seus momentos, inclusive contando com grandes personagens da trilogia clássica, mas esbarrou em um grande problema que foi a falta de um nome de peso indicando por qual caminho seguir para manter a coerência da história. Por isso, os episódios VII e IX se conectam muito bem, enquanto o VIII fica completamente perdido, já que ignora o VII e é ignorado pelo IX. Isso afastou muita gente e criou um problema de identificação, já que fez os filmes parecerem descartáveis.

Mesmo me agradando bastante, a nova trilogia não conseguiu criar o elo entre os fãs antigos e os novos, o que ligou o sinal de alerta na Disney, já que poderia significar o fim da franquia nos cinemas.

Então, o feito de The Mandalorian é ainda maior, porque resolve esse problema tendo Jon Favreau como figura central dessa nova empreitada. Ele criou o universo do Caçador de Recompensas, mas colocou outros diretores talentosos, como Robert Rodríguez, Bryce Dallas e Taika Waititi para dirigirem os episódios da série, sempre acrescentando algo não apenas aos personagens envolvidos, como também encorpando a própria mitologia do Mandaloriano (Pedro Pascal) e de Star Wars num geral.



Jon Fraveau revolucionou Star Wars trazendo novidades, mas sem perder o espírito da saga original em “The Mandalorian

A segunda temporada é o grande exemplo disso, porque conseguiu trazer elementos da trilogia original, representado pela Galáxia após a queda do Império e todos os reflexos que a ausência de um grande poder é capaz de trazer, mostrando coisas como a instauração de poderes paralelos – as famosas “milícias” galácticas – e abordando uma nova ótica acerca da Nova República. Se tratar a Força nessa “área cinzenta” entre o bem e o mal foi um dos méritos de Star Wars: Os Últimos Jedi (2017), mesmo tratando isso de forma superficial, The Mandalorian vai além, porque não depende de trabalhar esse conceito sob um ponto de vista de bem ou mal. Como o protagonista não tem ligação com os personagens clássicos, a gente passa a enxergar Star Wars como apenas mais um habitante da galáxia muito, muito distante.

Aproveite para assistir:

E isso é fantástico, porque traz inovação sem perder o espírito clássico que fez com que milhões de pessoas se tornassem fanáticos pela franquia nos últimos 40 e poucos anos. Ao mesmo tempo em que acontece esse resgate, eles criam novos personagens para que a saga viva por mais anos e anos. E o melhor: são personagens bons e carismáticos, coisa que a trilogia prequel falhou em conceber. A adição do Bebê Yoda ou Gogru no caminho de Mando/ Djin é a prova disso. Dois nomes que nunca estiveram nos grandes cânones, mas que surgiram e tomaram as rédeas da franquia, mostrando que Star Wars não precisa usar a nostalgia como muleta e que há muito a ser explorado nesse universo.

Ahsoka Tano (Rosario Dawson) surgiu como um elo entre as Guerras Clônicas e o futuro de Star Wars no cenário pop do entretenimento. Passado, presente e futuro colidem para animas aos fãs antigos e os novos.

Por fim, vamos falar desse último episódio. A consagração de tudo que a série construiu até aqui. Dirigido por Peyton Reed, que ficou responsável por comandar os dois filmes mais “família” do Universo Cinematográfico MarvelHomem Formiga e O Homem Formiga e a Vespa – o season finale é perfeito. Ele conclui um ciclo construído ao longo de duas temporadas e abre as portas para um novo caminho, ainda mais conectado ao universo em questão, e começa a dar indícios dos novos caminhos que a série vai tomar. Infelizmente, só teremos a terceira temporada em dezembro de 2021, o que dá tempo da equipe criativa trabalhar da melhor forma possível o que veremos por aí. Temos novos núcleos e uma possível situação de conflito entre Mando e os Mandalorianos, liderados por Bo-Katan (Katee Sackhoff) em sua busca por poder e controle do Dark Saber para tentar retomar Mandalore. Ou ainda pode ser que Mando lidere esse grupo, mesmo que contrarie Bo-Katan. São tantas as possibilidades, que chega a ser difícil prever o que vão fazer. No entanto, pela carga dramática, seria interessante se colocassem o protagonista contra seu próprio credo mais uma vez, só que sem o artifício do Gogru para justificar esse questionamento. Além, claro, de ainda contar com a ameaça de Moff Gideon (Giancarlo Esposito), que não vai querer deixar barato a humilhação sofrida nesse último episódio.



Aliados ou rivais? Mando fez a promessa de integrar o grupo para reaver Mandalore. Porém, o porte do Dark Saber pode mudar as relações de poder.

O núcleo de Gogru agora passa a ser outro também. Sem a presença confirmada na terceira temporada, ele está agora como padawan do lendário Luke Skywalker (Mark Hamill), que fez uma aparição do mesmo nível que seu pai, Darth Vader (James Earl Jones) nos minutos finais de Rogue One. Sua entrada triunfal acabando com a raça do Troopers foi para animar qualquer um. Principalmente porque suas habilidades de luta e uso da Força tinham sido pouco exploradas em tela até aqui, muito por conta da tecnologia da época, é verdade, então foi incrível vê-lo em ação. E sabendo do potencial que esses dois personagens têm, é altamente improvável que Luke e Gogru não voltem a aparecer/ não sejam tema de alguns episódios da nova temporada.

E caso você tenha desligado o episódio antes do fim, saiba que ele teve uma pós-créditos MARAVILHOSA mostrando o mercenário Boba Fett (Temuera Morrison) e Fennec Shand (Ming-Na-Wen) tomando conta do cartel dos Hutt, terminando com ele sentando no trono de Jabba e anunciando O Livro de Boba Fett para dezembro de 2021, que é a mesma data para qual está programada a estreia da terceira temporada de The Mandalorian. Ou seja, mais um personagem clássico que terá seu caminho destrinchado no Disney+. Mas fica a dúvida: Boba Fett será protagonista da terceira temporada ou isso é um spin-off? De qualquer forma, o que mais os fãs e os novos entusiastas poderiam querer?

Agora com um universo bem estruturado, que passa pela terceira temporada de The Mandalorian, por O Livro de Boba Fett – seja ele um spin-off ou não – e principalmente pela série solo de Ahsoka Tano, que deve introduzir de vez o Grande Almirante Thrawn no cânone da franquia, parece que finalmente vão explorar o vasto potencial que Star Wars tem. É claro que os Casos de Família dos Skywalker seguirão permeando o universo, mas enfim não serão só o que a saga vai oferecer ao público. Tudo indica que dias gloriosos virão para os fãs antigos e para os novos.

Agora é paciência e meditação para esperar mais um ano inteirinho para ver quais novos caminhos nossos tão amados personagens vão seguir.

As duas temporadas de The Mandalorian estão disponíveis no Disney+

Comentários

Não deixe de assistir: