Você abre sua Netflix, vai assistir a um filme e vrá… comercial de um cosmético ou de outro produto. Como você reagiria?

A Netflix está tentando encontrar uma maneira de reduzir tal prática dos usuários de compartilharem suas contas com amigos e familiares, e vai testar adicionar anúncios ou implementar uma taxa extra sobre o custo da assinatura para usuários que utilizam o serviço fora de sua rede doméstica.

Esse experimento começará a ser implementado nas próximas semanas, sendo testado primeiro em países como Chile, Costa Rica e Peru. A taxa deste experimento será de aproximadamente 30% do custo da assinatura – no Plano Básico, o valor seria de 4 dólares, para os residentes nos EUA, por exemplo.

“Sempre procuramos facilitar a utilização dos nossos serviços para as pessoas que moram juntas e compartilham sua conta na Netflix, utilizando recursos como perfis separados e outros fluxos em nossos planos Básico e Premium”, escreveu Chengyi Long, diretor de inovação dos produtos Netflix, no blog oficial da empresa.


“Embora seja uma prática comum, alguns usuários ainda se confundem sobre quando e como a Netflix pode ser compartilhada. Devido a isso, as contas estão sendo compartilhadas entre famílias que residem em outros lugares além da residência do assinante, impactando a nossa capacidade de investir mais em novas produções de filmes e séries”, complementou Long.

Aproveite para assistir:



Outro recurso que será testado pelo serviço é o de transferir perfis para uma conta diferente. Atualmente, a Netflix permite que até cinco perfis diferentes criem suas listas exclusivas, com esses perfis possuindo históricos de visualização próprios e o sistema criando sugestões com base naquilo que os usuários consomem. A transferência de um perfil para uma nova conta permitirá a adição de um membro extra, mantendo o seu histórico para garantir sugestões selecionadas para cada usuário.

“Reconhecemos que as pessoas têm hoje diversas opções de entretenimento, por isso queremos garantir que todos os novos recursos sejam flexíveis e úteis para os nossos membros, cujas as assinaturas financiam todas as nossas produções. Trabalharemos para entender a utilidade desses recursos dos usuários primeiro nesses três países, antes de fazer ou não as alterações em todo mundo.”

Atualmente, não se sabe ao certo quais serão os outros países afetados por esse novo teste ou se a Netflix começará a restringir os acessos, de maneira geral, fora da rede original dos assinantes.



Não deixe de assistir: