Oscar 2015 foi sobre preconceito, machismo e intolerância

Oscar 2015 foi sobre preconceito, machismo e intolerância

COMPARTILHE!

A cerimônia do Oscar nunca havia sido tão focada na defesa dos direitos humanos como em 2015. Apesar das denuncias dos indicados serem formados apenas por brancos, sem a presença de negros, os próprios vencedores se encarregaram de acabar com a injustiça e rechearam seus discursos com frases de efeito e defesa das minorias e dos direitos humanos.

Confira os Melhores Discursos:

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – PATRICIA ARQUETTE (‘Boyhood’)




oscar_patriciaarquette_1  =

A atriz deu um discurso extremamente emocionado defendendo os direitos e salários iguais para mulheres e homens. Uma legião de fãs deu a ela o Oscar improvisado de Melhor Discurso da cerimônia.

“A todas as mulheres que deram à luz a todos os pagadores de impostos e cidadãos desta nação. Temos lutado pelos direitos igualitários de todos os outros. É nossa vez de ter salários iguais de uma vez por todas, e direitos iguais para todas as mulheres dos Estados Unidos da América”, afirmou.

Assista ao discurso:




 

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL – JOHN LEGEND E COMMON (‘Selma’)

Selma‘ foi considerado o maior injustiçado do Oscar 2015, e devia ter levado – no mínimo – indicações para Melhor Ator (David Oyelowo) e Melhor Diretora (Ava DuVernay). Como não levou, causou revolta na comunidade que iniciou a campanha #OscarsSoWhite (#OscarTãoBranco).

Levando isso em consideração, os cantores John Legend e Common subiram no palco e reencenaram uma bela cena do filme enquanto cantavam, e depois encerram com uma forte defesa pela igualdade racial.

No emocionado discurso, falaram em defesa dos direitos civis iguais para brancos, negros, mulheres, homossexuais, transsexuais…

“Para falar a verdade, John e eu fomos a Selma [cidade onde se passa o filme] para tocar ‘Glory’ em cima da mesma ponte por onde o Dr. [Martin Luther] King e as pessoas do movimento dos direitos civis marcharam há 50 anos. Essa ponte foi um marco de uma nação dividida, mas hoje é um símbolo da mudança”, revelou Common.

“O espírito desta ponte transcende qualquer raça, gênero, religião, orientação sexual e status social. O espírito desta ponte conecta aquele garoto do sul de Chicago, que sonhava com uma vida melhor, com o povo na França defendendo sua liberdade de expressão, com as pessoas em Hong Kong protestando pela democracia. Essa ponte foi construída em cima da esperança; moldada pela compaixão, e elevada pelo amor por todos os seres humanos”, concluiu, emocionando a todos.

Legend continuou o discurso.

“É dever dos artistas refletirem sobre os tempos em que vivemos. Nós escrevemos essa canção para um filme baseado em eventos de 50 anos atrás, mas nós afirmamos que ‘Selma’ ainda existe porque a luta por justiça continua nesse momento, nesse país, hoje! Nós sabemos que a lei eleitoral pela qual eles lutaram há 50 anos está comprometida. Nós sabemos que agora mesmo a luta por liberdade e justiça é real.”, concluiu Legend.

Assista:

 

MELHOR ATOR – EDDIE REDMAYNE (‘A Teoria de Tudo’)

oscar_redmayne

Eddie Redmayne estava visivelmente emocionado ao receber o Oscar de Melhor Ator por ‘A Teoria de Tudo‘, e mesmo sem fôlego, arrasou no discurso.

Ele defendeu que devemos dar mais atenção ao pacientes que vivem com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).

“Estou completamente consciente de que sou um homem sortudo, sortudo… Uau! Esse Oscar… Esse Oscar… pertence a todos que precisam lidar com ELA. Este Oscar pertence a uma família excepcional: Stephen, Jane, Jonathan e as crianças de Hawking”, afirmou.

Assista:

 

MELHOR ATRIZ – JULIANNE MOORE (‘Para Sempre Alice’)

oscarjuliannemoore_1

Indicada cinco vezes ao Oscar de Melhor Atriz, a foférrima Julianne Moore finalmente levou o prêmio por ‘Para sempre Alice‘, e o dedicou aos pacientes com Alzheimer.

“Muito Obrigado. Eu li um artigo que diz que se você ganhar um Oscar você viverá cinco anos a mais. Se for verdade, gostaria de agradecer à Academia, porque meu marido é mais novo que eu… risos.”, brincou.

“Estou muito feliz e emocionada que tenhamos sido capazes de quem sabe chamar a atenção do mundo para a doença de Alzheimer. Tantas pessoas com essa doença se sentem isoladas e marginalizadas, e uma das coisas maravilhosas sobre o cinema é que ele nos faz sentir vistos, e não sozinhos. E as pessoas com Alzheimer devem ser vistas, para que possamos encontrar uma cura”, concluiu.

Assista:

 

MELHOR DIRETOR – ALEJANDRO GONZÁLES IÑARRITU (‘Birdman’)

oscar_inarritu

A piada de Sean Penn no encerramento do Oscar 2015 não foi muito bem vista pelos espectadores. Ao anunciar que ‘Birdman‘ havia levado o prêmio de melhor filme, o ator fez mistério antes de revelar o vencedor e emendou uma surpreendente – e um tanto preconceituosa – frase:

“Quem deu o green card para esse filho da puta?”

Alejandro González Iñárritu afirmou que levou a piada na esportiva, mas em seu discurso ele abordou o tema dos imigrantes latinos nos EUA.

“Quero dedicar esse prêmio aos meus amigos mexicanos. Eu rezo para que tenhamos o governo que merecemos. Que a geração atual de imigrantes seja tratada com a mesma dignidade e respeito que os imigrantes que ajudaram a construir este enorme país”, afirmou em um discurso inflamado. Ai.

Assista:

Curta nossa ENTREVISTA com a Nina Dobrev:


» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «