Uma Thurman revela estupro que sofreu e que Tarantino quase causou sua morte em ‘Kill Bill’

Uma Thurman revela estupro que sofreu e que Tarantino quase causou sua morte em ‘Kill Bill’

COMPARTILHE!

A atriz Uma Thurman se sentiu pronta para finalmente falar o motivo de estar com tanta raiva de Harvey Weinstein. Foi durante uma matéria ao jornal New York Times que ela abriu o verbo e descreveu todo o assédio que sofreu nas mãos do produtor, e ainda revelou detalhes de um acidente gravíssimo que havia sofrido no set de Kill Bill.

Na matéria, Thurman conta como os assédios começaram e cita duas situações em que Harvey Weinstein passou dos limites, ambas em 1994, após o lançamento de Pulp Fiction – Tempo de Violência’.

O primeiro caso ocorreu em um Hotel em Paris, após ambos se encontrarem para discutir novos roteiros no quarto do produtor, que acabou ficando sem roupão em determinado momento da conversa e insistindo para que Thurman fosse para a sauna com ele. Após reclamações por parte da atriz, Harvey se retirou do quarto brigando.

Já o segundo caso aconteceu em Londres, em outra reunião. A atriz havia levado uma amiga e tentou remarcar a conversar para que fosse no bar do hotel, mas o produtor e seu assistente convenceram-a a aceitar a reunião no quarto.



“Nessa ocasião ele me empurrou, tentou me agarrar, tentou se expor para mim. Fez tudo de mais desagradável, mas não chegou a me estuprar. Você fica como um animal se desvencilhando. Fiz de tudo para colocar o trem de volta aos trilhos. Os meus trilhos. Não os dele”

A matéria ainda releva dois fatos marcantes na vida da atriz de 47 anos. Um estupro que sofreu aos 16 anos, por um ator de 20 anos, logo no início de sua carreira em Hollywood. “Eu sei do que os homens de Hollywood são capazes”, afirma a atriz.

E um acidente grave que sofreu no set de Kill Bill, causado por uma insistência do diretor Quentin Tarantino em filmar uma cena de risco. Segundo a atriz, o diretor queria que ela mesma gravasse a cena em que sua personagem aparece dirigindo um carro em alta velocidade. Thurman revelou que preferia que a cena fosse gravada por uma dublê, pois não se sentia segura no veículo, que havia passado por reformas. Quentin teria ficado revoltado com a recusa da atriz e insistiu até que ela aceitasse rodar a cena.

A cena resultou em um acidente que deixou sequelas em seus joelhos até hoje. As gravações não puderam ser reveladas, pois a Miramax havia obrigado a atriz a assinar um contrato se aliviando da culpa pelo ocorrido, o que não fez. 15 após o caso, ela finalmente conseguiu o vídeo do acidente, que foi lhe passado por Tarantino. Assista:

O acidente foi motivo de briga entre a atriz e o diretor por anos. Revoltada com o fato de não poder ver o carro ou o vídeo do acidente, Uma chegou a acusar Tarantino de tentar matá-la, o que o deixou muito chateado. Então marido da atriz, Ethan Hawke também confrontou o cineasta sobre o caso. Segundo ele, Tarantino teria pedido perdão:

“Eu fui falar muito seriamente com Quentin sobre como ele a deixou na mão, tanto como seu diretor, como seu amigo”

Ela também contou que Tarantino sabia do assédio de Weinstein e na época escolheu não fazer nada. 

“Quentin já sabia da história e desconversou da primeira vez, dizendo que ‘o Harvey estava sempre tentando ter as garotas que ele não pode ter'”

Em Cannes, Uma o lembrou de novo do ocorrido e Quentin decidiu confrontar Weinstein.

Weinstein disse que ela estava louca e que ele estava ressentido pelas acusações. Uma o confrontou pessoalmente. Ele pediu desculpas a ela.

Uma se junta a diversas outras atrizes que sofreram assédio durante sua carreira e agora se sentiram prontas para denunciar seus agressores. Os casos de assédio estão expondo diversas celebridades de Hollywood e causando mudanças no cinema.