Ok, todo mundo já sabe que o Disney+ está super orgulhoso de ter inventado o Baby Yoda, da boa repercussão dos curtas especiais da Pixar e, é claro, de Hamilton e Black Is King. A gente entende que de coisa boa o Mickey Mouse é especialista, mas todo mundo tem aqueles esqueletos no fundo do armário, e é claro que, em se tratando de um conglomerado do tamanho da Disney, a história não seria diferente.

Embora o catálogo brasileiro do streaming ainda esteja bem, digamos… modesto, separamos 10 produções que estão entre “ruins” e “bem estranhas” que é melhor você evitar. Quem avisa amigo é, viu?

Compramos um Zoológico



Verdade seja dita, este filme não chega a ser ofensivo, mas também não é o tipo de produção chega a mudar a sua. É um filme bobo, despretensioso e que não traz nada de inovador, que de tanta falta de autenticidade tem dificuldades de prender o espectador. Então, não seria exatamente a melhor das escolhas dentro do catálogo do Disney+. Nem Scarlett Johansson salva.

O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos

Aproveite para assistir:



Se você não se lembrava sequer da existência deste filme, não se preocupe: a Disney provavelmente gostaria de se esquecer também. O filme teve orçamento de US$ 133 milhões sem contar os custos de marketing. Com a arrecadação total de US$ 174 milhões, o filme deu prejuízo à Disney, e amarga 32% de aprovação no Rotten Tomatoes, e o consenso da crítica o rotula como um espetáculo vazio e esquecível. 

Príncipe da Pérsia

Esse aqui praticamente dispensa apresentações. Protagonizado por Jake Gyllenhaal como o príncipe Dastan, da Pérsia, o filme já começa errado com esse embranquecimento. A partir daí, as coisas só pioram: o que era para ser o início de uma franquia morreu na praia com uma aprovação baixa da crítica devido à pouca substância e falta de criatividade.



Esqueceram de Mim 3

Esqueceram de Mim 3 é o tipo de “sequência que não é uma sequência” triste que você gostaria de não saber que existe. Apesar de produção e roteiro de John Hughes, o filme sem Chris Columbus, Macaulay Culkin ou o compositor John Williams não conseguiu cativar a audiência como o original e chegou a ser indicado ao Framboesa de Ouro. 

Dumbo

Você pode até gostar de um ou outro filme dessa onda de adaptações em live-action dos clássicos da Disney, mas é inegável que entre um ou outro com um resultado positivo, eventualmente nos sufocamos em uma onda de filmes sem criatividade ou espírito que mais servem para tomar espaço nos complexos de cinema que qualquer outra coisa. Esse é o caso do live-action de Dumbo, que até tenta atualizar uma coisa ou outra da animação original, mas tem um resultado sem inspiração e bastante esquecível. 

Quarteto Fant4stico



Ah, a tragédia que é o Quarteto Fantástico dirigido por Josh Trank. O filme afundou com péssima recepção da crítica, com rumores de mau comportamento do diretor no set e, no fim das contas, um resultado que sequer parecia um filme de verdade. É terrível. Se você viu o trailer, já assistiu ao filme. Não precisa se torturar, não. Sério mesmo. 

A Cidadela dos Robinson

Você pode até não pensar muito nesse filme agora, mas levando em conta os reajustes de inflação, Swiss Family Robinson é uma das melhores arrecadações dos cinemas estadunidenses. O filme em si é até bastante inofensivo, com uma premissa conhecida mesmo por aqueles que nunca o assistiram (família se perde no mar e precisa se virar em meio aos empecilhos da vida, a la Perdidos no Espaço), mas tem uma mensagem colonizadora quando a família ‘coloniza’ uma ilha e a imagem que é transmitida dela é de uma família bem intencionada e inocente. A ideia de tomar o lado do colonizador pode até não ter sido algo pensado à época, mas ressoa diferente hoje em dia e, por isso, o filme deve ser visto com precaução. 

Aristogatas



Cheio de estereótipos racistas, o filme da década de 1970 se passa na Paris de 1910 e se constrói sobre a ideia de classicismo e segregação. Por isso, novamente: proceda com cautela. 

Noiva de Boogedy

Originalmente um episódio da antologia ‘The Disney Sunday Movie’, de onde saíram alguns dos títulos de terror mais bizarros da Disney, o título acompanha uma pacata família que se muda para uma casa nova sem saber que ela é habitada por um fantasma. O grande problema de Noiva de Boogedy é que os momentos em que o longa deveria assustar se transformam em sequências completamente cômicas, e o filme se transforma em uma paródia de si mesmo.

Aviões



Pegando “carona” na onda de Carros, Aviões até tentou estender o conceito iniciado com o “Relâmpago Marquinhos”,  mas não deu muito certo. O filme não é da Pixar, é da DisneyToon Animations, não agradou público ou crítica e não apresenta nada realmente marcante. Apesar disso, ganhou uma sequência. Não embarque.

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE