A Longa Marcha é apenas mais uma das inúmeras adaptações dos escritos de Stephen King que chegará aos cinemas nos próximos anos e, em entrevista ao Coming Soon, o diretor André Øvredal (‘A Autópsia’) confirmou que o filme segue na ativa.

Øvredal confessou aos fãs que a pandemia do “COVID-19 está arruinando tudo”, mas que o projeto “segue vivo e em frente”.

Em entrevista ao site Rue Morgue, o realizador ofereceu alguns detalhes sobre o projeto, dizendo que ele será “muito claustrofóbico, visto que nunca saímos da estrada”.

“Eu acho que o estúdio e os produtores realmente gostaram do meu trabalho em A Autópsia“, declarou. “Você está andando do lado daquelas crianças; o fato de ter uma expansiva natureza ao redor deles ao invés de paredes é apenas uma variação, mas [o filme] será bastante claustrofóbico”.



Assinado com seu pseudônimo Richard Bachman, a história de King se passa no futuro, no qual cem garotos adolescentes embarcam numa viagem competitiva conhecida como A Longa Marcha. As regras são simples: manter uma velocidade acima de 6 quilômetros por hora. Receba três avisos e você é assassinado com um tiro. O último a sobreviver ganha o que quiser pelo resto da vida. Sob essas circunstâncias, os garotos desenvolvem amizades muito profundas apesar de saber que, eventualmente, apenas um irá ganhar.

Ovredal também é conhecido por dirigir a adaptação Histórias Assustadoras para Contar no Escuro, co-escrita por Guillermo del Toro.

Aproveite para assistir:

Seu novo filme será um remake do clássico de 1979, abarcado por Frank Darabont (O Nevoeiro).

Nenhuma outra informação foi revelada.



COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: