Quando foi anunciado o início da produção do filmeA Menina que Matou os Pais‘, muitos leitores do CinePOP ficaram indignados que a horrível história de terror real brasileira seria contada nos cinemas.

A história foi dividida em dois filmes de 80 minutos, ‘A Menina Que Matou os Pais e ‘O Menino Que Matou Meus Pais‘, que tiveram seus direitos adquiridos pelo Amazon Prime Video e agora serão lançados direto no streaming no dia 24 de setembro.

Os filmes vão adaptar a história real do julgamento de Suzane Von Richthofen e Daniel Cravinhos, réus confessos do assassinato dos pais de Suzane em um crime que chocou o País, em 2002.

Recebemos muitas mensagens questionando se a Suzane ou os Cravinhos vão receber dinheiro para ter suas histórias contada nas telonas. E a resposta é: NÃO!



Nem Suzane, nem os irmãos Cravinhos ou qualquer outra pessoa retratada nos filmes receberá dinheiro da produção, do Amazon Prime Video ou de direitos autorais. Como é um caso público e a produção só se baseia nos autos do processo, sem conexão com os envolvidos, não haverá qualquer tipo de pagamento.. Ou seja: eles não vão ganhar um centavo pelo filme.

 

Aproveite para assistir:

Separamos mais algumas curiosidades dos filmes:

  • Estes filmes são produzidos 100% com investimento privado, sem verba pública (Lei Rouanet, fundo setorial ou outros meios).
  • Suzane Von Richthofen, Daniel e Cristian Cravinhos não estão envolvidos com os filmes e tampouco têm contato com atores, produtores, diretor ou equipe.
  • Os filmes são uma adaptação cinematográfica de uma história real, reconstituída a partir das informações que constam nos autos do processo, em especial os depoimentos dos envolvidos.
  • O produtor, o diretor e os roteiristas tiveram acesso aos autos do processo, nos quais se baseia a história dos filmes.
  • Os filmes foram desenvolvidos a partir dos depoimentos dos envolvidos no crime. A produção deixa ao público a interpretação dos fatos e das versões.
  • Os atores e a equipe técnica passaram por treinamento com Ilana Casoy, coautora do roteiro e que acompanhou todo o processo na época do crime, e estava presente na reconstituição e no julgamento.

Assista ao trailer:



Os roteiros têm como base informações contidas nos autos do processo que terminou com a condenação dos dois pela morte dos pais de Suzane.

O crime ocorreu em 2002 e chocou o Brasil e o mundo na época. Atualmente, Suzane permanece cumprindo pena no presídio feminino de Tremembé.

O roteiro é assinado por Ilana Casoy, criminóloga, escritora e maior especialista em serial killers do Brasil, juntamente com Raphael Montes, escritor brasileiro de literatura policial sucesso de público e de crítica, traduzido em mais de 20 países.

Não deixe de assistir: