No novo suspense da Netflix, ‘A Mulher na Janela’, Amy Adams interpreta Anna Fox, uma nova-iorquina com a síndrome do agorafobia, quando a vítima tem pavor de conhecer lugares novos ou lotados de pessoas.

Na trama, ela vive espiando o lado de fora de sua casa e acaba testemunhando um assassinato na casa de seu vizinho do outro lado da rua.

Mas, depois que ela chama a polícia, é revelado que a vítima – Jane Russell – não está apenas bem, mas é uma mulher com uma aparência completamente diferente (inicialmente interpretada por Julianne Moore e depois por Jennifer Jason Leigh).

Dirigido por Joe Wright e baseado no romance homônimo de A.J. Finn, o longa apresenta várias possibilidades diferentes para o que poderia estar acontecendo.



Seria a segunda Jane Russell uma impostora que faz parte de uma conspiração para encobrir o assassinato da verdadeira Jane?

O inquilino de Anna, David (Wyatt Russell), está de alguma forma ligado ao assassinato? Ou realmente não houve assassinato? Será que foi apenas uma alucinação provocada pelas bebidas diárias de Anna misturadas com remédios?

Aproveite para assistir:

Alguns fãs suspeitaram desta última teoria quando é revelado que o marido de Anna e sua filha estão mortos… No entanto, ela vivia ao telefone conversando com eles. Ela estaria alucinando?

Anos antes da trama principal, Anna havia causado um acidente de carro, no qual só ela saiu viva, perdendo seus entes queridos, e tudo dá a entender que ela havia bloqueado esse acontecimento para não sofrer pela perda daqueles a quem mais amava.



Esse conflito é adicionado justamente para projetar nos espectadores a dúvida sobre a sanidade de Anna. Como ela poderia convencer as autoridades de o assassinato realmente aconteceu se Jane estava aparentemente bem?

Ao relembrar da morte de sua família e sentindo-se desorientada com a aparição de jane, Anna toma a decisão de se matar por overdose, abusando de sua medicação controlada junto com um porre de vinho.

Mas, no final, é a foto de um gato que acaba esclarecendo parte do mistério.

Anna faz uma pausa em seus planos de suicídio quando percebe que uma foto de seu gato, Punch, também mostra o reflexo da verdadeira Jane numa taça de vinho, quando elas passaram uma noite conversando.

Ainda confusa, Anna pede a David para confirmar se ele pode ver o rosto no vidro, e ele revela a verdade sobre a primeira Jane Russell (Moore).

O nome dela é Katie, e ela é a mãe biológica de Ethan Russell (Fred Hechinger), um adolescente que faz amizade com Anna.

Katie perdeu a custódia de Ethan quando ele era um bebê, depois que Alistair Russell (Gary Oldman) encontrou os dois vivendo em uma ‘cracolândia’ e decidiu levar o filho com ele.



Embora Alistair tentasse pagá-la para ficar longe de sua família, ela os localizou em Boston e continuou a persegui-los quando se mudaram para Nova York.

Outro detalhe interessante é que Anna se lembrava de Katie se apresentando como Jane. Mas, na verdade, foi a própria Anna que pensou que Katie era Jane, pensando que ela morava na casa da verdadeira Jane.

Katie simplesmente aceitou esse mal-entendido depois de saber que Anna tinha feito amizade com seu filho, por isso ela queria se aproximar de Anna aceitando seu convite para conversar.

O engano foi reforçado quando Katie entrou no prédio dos Russell depois de deixar a casa de Anna. Mais tarde, o que Anna interpretou como uma briga doméstica entre Alistair e Jane Russell foi na verdade Alistair forçando Katie a deixar sua casa após sua última tentativa de se aproximar de Ethan.

Infelizmente, o amor de Katie por seu filho foi o que a condenou… Mas então, quem a matou?


Anna testemunha o assassinato de Katie através das janelas da casa dos Russell, o que se mostra crucial para sua interpretação do ocorrido, já que o assassino estava escondido de sua vista.

Quando Anna presencia o ataque, ela só consegue ver Katie, que ela pensava ser Jane, andando para trás e para a frente entre duas janelas que são separadas por uma seção de parede.

O assassino nunca é mostrado, mas Anna imagina que Alistair era o assassino. Afinal, Ethan parecia um menino gentil e vulnerável, enquanto Alistair Russell era reservado e interagiu agressivamente com Katie na última vez que Anna os viu.

A verdade é que Ethan é um assassino em série que já havia assassinado pelo menos uma outra mulher antes de Katie: a assistente de Alistair Russell, Pamela Nazin.

Alistair e Jane sabiam que Ethan era o assassino de Pamela e se mudaram de Boston para Nova York para começarem uma vida nova.

Eles estavam lá apenas alguns dias antes de Ethan matar Katie, e mais uma vez eles foram forçados a encobrir o assassinato para protegê-lo.

Mas, enquanto Alistair faria qualquer coisa para proteger seu filho, Jane Russell estava menos entusiasmada em ter um assassino como enteado, resultando na acalorada discussão durante o jantar que Anna testemunhou.

Ethan fez amizade com Anna somente para analisá-la e tentou fazer dela sua próxima vítima devido à vulnerabilidade e o isolamento dela.

Lembram quando Katie e Alistair ficam confusos quando Anna tenta agradecer a Jane Russell pela vela perfumada que ela supostamente enviou? Ethan inventou a história sobre sua mãe enviá-lo com um presente para conhecer a nova vizinha.

Na verdade, foi Ethan quem comprou a vela, como forma de entrar na casa de Anna e roubar um molho de chaves para que ele pudesse entrar e sair quando quisesse. Como Anna nunca saía de casa, ela não percebeu que as chaves estavam faltando.

Ao ter sua casa invadida por Ethan, Anna decide se vai viver ou morrer, e aúnica forma de viver, é saindo de seu apartamento. Então ela enfrenta seu medo e vai para o telhado, onde luta contra o assassino.

Ela consegue derrubá-lo em cima de um teto de vidro, se salvando e matando-o de um vez por todas. Depois disso, Jane Russell decide contar tudo à polícia.

O filme termina com um salto de nove meses e vemos uma Anna recuperada, não apenas dos ferimentos físicos, mas também de su síndrome de agorafobia.

Alguns cinéfilos criticaram a mudança, mas é bom deixar claro que Anna foi forçada a sair de casa para salvar sua própria vida e a briga com Ethan foi apenas o primeiro passo par sua recuperação.

Provavelmente, ela passou aqueles nove meses numa intensa terapia para se livrar da agorafobia, que era causada por sua negação em aceitar que fora de casa ela se sentiria solitária sem seu marido e sua filha.

Reconhecer a origem de seu trauma possibilitou que ela começasse a se curar, e a cena em que Anna se despede de sua casa, sugere que a agorafobia não foi motivada pelo seu medo do exterior, mas por medo de perder a conexão com a família.

E aí, o que você achou do filme?

Na trama, Anna Fox (Adams) mora sozinha em uma casa que um dia abrigou sua família feliz. Separada do marido e da filha e sofrendo de uma agorafobia que a mantém reclusa, ela passa os dias bebendo vinho, assistindo filmes antigos, conversando com estranhos na internet.

Quando uma nova família se mudam para a casa do outro lado do parque, Anna fica obcecada por aquela vida perfeita. Até que certa noite, bisbilhotando através de sua câmera, ela vê um assassinato que muda tudo para sempre.

Mas será que ela realmente presenciou o crime ou o criou em sua mente?

O elenco também conta com Gary Oldman, Brian Tyree Henry, Julianne Moore, Wyatt Russell e Anthony Mackie.

Comentários

Não deixe de assistir: