“Grande coisa. Eu sou John e sou um desgraçado”

Recentemente uma matéria exclusiva do site The Direct trouxe à tona que a Warner Bros. em parceria com o estúdio Bad Robot estaria planejando uma nova adaptação de John Constantine. Até o fechamento dessa matéria, o site não concedeu maiores informações sobre o tipo de abordagem que será concedida a esse filme: um soft reboot (um leve reinício de uma obra anterior que muda várias coisas, mas nem tudo) do filme de 2005; ou algo completamente novo.

Ainda segundo a matéria do portal, J.J Abrams (diretor dos dois primeiros reboots de Star Trek, Star Wars Episódio VII e Episódio XI) participaria como produtor da obra, fazendo assim uma ponte entre a abordagem desse filme e do projeto da Liga da Justiça Sombria para a HBO Max, no qual Abrams também terá participação. Para dar mais embasamento à teoria, consta também a presença da produtora de J.J Abrams, a Bad Robot, nessa produção.

Após o relativo sucesso de Constantine, filme de 2005 protagonizado por Keanu Reeves, sempre rondou pelos corredores da Warner Bros. a ideia de uma sequência desta primeira adaptação cinematográfica do famoso investigador sobrenatural da Vertigo – antigo selo de histórias mais adultas da DC Comics. Mesmo que ela jamais tenha ganhado forma. Os casuais rumores dessa continuação, porém, serviram para manter o personagem vivo no imaginário do público.

No IMDB, a adaptação de 2005 consta uma nota 7 de 10 dada pelos usuários do site, enquanto no compilado referente à crítica especializada, o filme angaria nota 50. Já no Rotten Tomatoes, outro banco de dados de avaliações, a obra conta com 46% de aprovação por parte da crítica especializada e 72% por parte do público.

Aproveite para assistir:

Tanto é que em 2014 o canal americano NBC lançou o seriado Constantine, protagonizado por Matt Ryan, cuja intenção era ser mais próxima das histórias originais do personagem publicadas na revista Hellblazer. No entanto, a série durou apenas uma temporada, tendo o motivo do cancelamento caído sobre a grande diferença de tom entre as histórias do detetive sobrenatural e a postura da NBC com relação a certos temas.

Nos quadrinhos, Constantine também tem sobrevivido. Durante a fase dos Novos 52!, um reboot gigantesco que reiniciou as histórias da DC Comics, entre 2011 e 2015, o feiticeiro contou com 23 revistas solo. Na atual fase do Rebirth, momento em que os personagens da editora foram mais uma vez reiniciados, ele também possui suas próprias histórias, dessa vez resgatando o título tradicional Hellblazer.

“O que aconteceu em Newcastle?”

John Constantine fez sua primeira aparição oficial em Monstro do Pântano #37, publicado em 1982 sob a autoria de Alan Moore, originalmente apresentado como um ocultista britânico que busca mais informações sobre uma possível ameaça que o retorno de Alec Holland (Monstro do Pântano) poderia representar, uma vez que o mesmo estava em processo de renascimento junto à natureza.

Em 1993 Alan Moore concedeu uma entrevista a William Christensen e Mark Seifert da Wizard Magazine onde ele expôs o processo de criação do personagem. Segundo ele: “ …Eu sempre tento trabalhar o mais próximo possível com os artistas do livro, então eu imediatamente fiz o meu melhor para iniciar uma amizade com Steve Bissette e John Totleben (artistas de Monstro do Pântano)… em uma dessas notas mais antigas ambos queriam criar um personagem que parecesse com Sting (ex vocalista do The Police)…”

Em janeiro de 1988 Constantine ganhou sua própria revista solo com Hellblazer #1 escrita por Jamie Delano e com arte de John Ridway. Publicada pela Vertigo, a série contou com 300 edições entre 1988 e 2013 e estabeleceu Constantine como uma pessoa com traumas pessoais bastante complexos (tendência muito forte nos quadrinhos de fins dos anos 80) relacionados à sua família e um enorme sentimento de culpa por erros cometidos em um episódio na cidade de Newcastle –  que envolveu seus amigos e o demônio Nergal.

Ao longo do tempo o personagem viria a ganhar mais espaço além dos limites da Vertigo, sendo abraçado pela própria DC Comics através de aparições especiais em outros títulos ou em aventuras maiores. Uma célebre aparição do ocultista foi em Sandman #3, de Neil Gaiman, no qual Constantine auxiliou Sonho a recuperar sua algibeira em troca de poder voltar a dormir sem ter pesadelos.

Já em 2011, a DC criou a linha da Liga da Justiça Sombria, uma ramificação da Liga da Justiça da América voltada a lidar com o sobrenatural. A equipe, encabeçada pelo próprio Constantine, tinha como demais membros Zatanna, Madame Xanadu, Deadman e Shade. Em 2017, o grupo ganhou uma animação de mesmo nome produzida pela Warner Bros. Animation e, em 2020, uma sequência intitulada Apokolips War . Ambas estão inseridas dentro do Universo de Filmes Animados da DC Comics.

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE