Tudo bem que a maior parte do público que curte um filme de ação pega um filme desse gênero não tanto atrás de uma super história, com fundo reflexivo ou que traga grandes ensinamentos, mas sim atrás de boas cenas de luta. Entretanto, é preciso que a cola que gruda todas as cenas de ação seja consistente, do contrário, o filme pode correr o risco de ficar meio frágil. É o que acontece com ‘Bartkowiak’, lançamento da Netflix que anda fazendo muito sucesso entre os assinantes e há dias figura entre os 10 mais assistidos da plataforma.

Tomasz (Jósef Pawlowski) é um jovem lutador de MMA que compete em ringues locais na Polônia. O conhecemos já em ação, em uma luta contra seu arqui-inimigo, que o surpreende e o nocauteia de maneira injusta. Só que o seu treinador [e pai da garota que ele gosta, Dominika (Zofia Domalik)], apostara tudo nele, e perdera tudo, endividando-se. Desiludido com tudo, Tomasz se afasta de todos e vai morar no meio do mato, deixando essa vida para trás. Porém, quando seu irmão Wiktor (Antoni Pawlicki) pede que ele assuma a boate da família e, em seguida, morre misteriosamente em um acidente de carro suspeito, Tomasz decide assumir os negócios e descobrir por conta própria o que estaria por trás da súbita morte de seu irmão e do interesse repentino de uma empreiteira, que quer querer comprar todos os imóveis da região incluindo a boate de sua família.

Com literalmente cena de luta do início ao fim, ‘Bartkowiak’ é um filme de ação que se vale pelo punho. De fato, as lutas são bem coreografadas – não tanto no sentido espalhafatoso ensaiado de Jackie Chan, mas mais no sentido brucutu de Steven Seagal –, ainda que quase todas terminem em um mata-leão. Aliás, o roteiro de Daniel Bernardi e Monika Skawecka parece buscar argumentos para inserir mais brigas no enredo, de modo que as justificativas para que boa parte delas aconteça soa meio fraco (como a briga inicial com o DJ Steppy D, interpretado por Rafal Zawierucha, que acontece apenas para chacoalhar a trama, mas que não acrescenta em nada à evolução da história).



Quando observamos o argumento de ‘Bartkowiak’, ele soa interessante: o protagonista vai comprar briga com grandes empresários que querem desalojar o comércio local para botar tudo abaixo e construir um centro comercial no lugar. Mas tudo que o longa de Daniel Markowicz levanta fica pela metade, como se decidisse, com o avançar da trama, que aquilo não precisava de mais desenvoltura. Assim, os conflitos apresentados ficam soltos e mal construídos, seja a insinuação do interesse do chefe de Dominika por ela, seja a decisão dos comerciantes locais, de voltarem aos seus estabelecimentos ou não.

Aproveite para assistir:

Bartkowiak’ é um filme que sobra no soco e falta na história. Em clima olímpico, é até um filme bacana para assistir, já que a maior parte das competições de luta estão acontecendo durante a madrugada. ‘Bartkowiak’ entrega as lutas que o espectador espera, mas não mais que isso. Talvez essa seja mesmo a proposta dessa produção polonesa da Netflix.



Comentários

Não deixe de assistir: