sábado, julho 20, 2024

Crítica | Luccas Neto e Gi em: Dinossauros – Produção Brasileira Reúne os Dois Elementos Mais Queridos Pela Criançada

Papais e mamães do país todo há alguns anos tentam entender o motivo da fascinação da meninada por dois elementos bem curiosos: o primeiro deles é os dinossauros, que, sem muita explicação, quando a meninada chega a determinada idade ela simplesmente fica hipnotizada pelas criaturas pré-históricas; o segundo elemento é igualmente curioso: um rapaz chamado Luccas Neto, que há anos também vem fascinando algumas gerações de jovens brasileiros com seus vídeos no Youtube, e, mais recentemente, com longas produções para a televisão e para o streaming.

Há qualquer coisa nesses dois que simplesmente consegue capturar a atenção das crianças – agora, imagina juntar os dois elementos em uma só produção! É o que ocorre em ‘Luccas e Gi em: Dinossauros’, o mais novo filme brasileiro realizado pela Luccas Toon e que chega ao circuito nacional a partir do próximo dia 11, abrindo as férias.

luccas e gi

Luccas (Luccas Neto, de ‘Príncipe Lu e a Lenda do Dragão’) e sua irmã Gi (Gi Alparone, que co-estrelou 17 filmes ao lado de Luccas) estão de viagem com a amiga Camila (Roberta Piragibe) para a cidade de Miguel Pereira, onde Luccas pretende realizar seu sonho de conhecer dinossauros de verdade. Só que dinossauros não existem mais, e, apesar da frustração, os três amigos conseguem experenciar um passeio bem bacana no Parque dos Dinos… até se depararem com uma máquina que analisa a genética das pessoas, e que revela que o DNA de Gi é superespecial. Isso acende o alerta para Litza (Juliana Knust, de ‘Achados e Perdidos’), uma cientista meio sem escrúpulos que pretende recriar os dinossauros. No meio disso tudo, dois agentes internacionais da C.O.C.O, Miguel (Júlio Levy) e Pereira (Alan Rocha) virão ao Brasil atrás de um suposto ovo de dinossauro, e o caminho de todos eles irão se cruzar numa aventura muito doida.

Com uma proposta bem semelhante, ‘Dois é Demais em Orlando’, sucesso de público nas férias passadas, estrelado por Eduardo Sterblitch demonstra o interesse do público infantil em filmes voltados para sua faixa etária. Através do humor, reviravoltas e troslagens típicas às quais o público que acompanha a dupla Luccas e Gi irá facilmente identificar, ‘Luccas e Gi em: Dinossauros’ demonstra certo amadurecimento na narrativa que veio sendo construída pela dupla por mais de uma década. É claro que as piadas de pum, arroto e outras escatologias estão lá, afinal, é disso que a pimpolhada ri. Mas, dessa vez, o roteiro de João Costa Van Hombeeck, Henrique Freitas e Leandro Neri insere algumas posturas diferentes no enredo, em comparação com as produções anteriores, e os papais e mamães vão sentir essa diferença.

luccas e gi1

Um dos pontos interessantes de observar é a forma como o personagem Luccas se apropria de críticas feitas a ele ao longo dos anos para transformá-las em piada e se fortalecer com isso: por exemplo, logo na primeira cena, Gi chama Luccas de uma criança de barba, e Luccas devolve que a barba dele é bonita. Algo assim. Ou seja, o incômodo reside na ofensa à barba, pois o personagem concorda em ser chamado de criança. É disso que se trata manter a cabeça erguida, apesar das críticas.

Outro fator interessante é observar como o roteiro insere certos conhecimentos ao público através do entretenimento, de maneira orgânica (ainda que de supetão na trama). Exemplo disso é na primeiríssima cena, que literalmente explica que arqueólogo não é o profissional que estuda dinossauros, e sim o paleontólogo – o que, de certa forma, corrige o filme no qual se inspira, ‘Indiana Jones’.

Aliás, sobram referências cinematográficas a outras produções de sucesso, o que torna o trabalho do diretor Leandro Neri (que também foi responsável pelo filme anterior da dupla) algo para no qual devemos manter nossa atenção voltada. Sem forçar o elenco com gestos demasiado dramáticos, o diretor mantém as cenas de ação e de aventura mantidas o tempo todo ao público infantil – o que é difícil de conseguir, uma vez que a tendência é vez por outra adultecer o tom.

Mantendo-se 100% fiel à sua proposta de agradar às crianças (e apenas elas, se for o caso) e com participação de Bruna Griphão e Heitor Martinez, ‘Luccas e Gi em: Dinossauros’ é a melhor aventura da dupla Luccas e Gi nos cinemas, pois entrega o que os pequenos fãs querem sem deixar os papais e mamães nervosos. Em considerarmos a participação especial do filho do ator na cena final do longa, entendemos o compromisso de Luccas Neto em continuar produzindo cinema de entretenimento em live-action para o público infantil brasileiro por muito tempo ainda.

Não deixe de assistir:

luccas e gi2

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS

Papais e mamães do país todo há alguns anos tentam entender o motivo da fascinação da meninada por dois elementos bem curiosos: o primeiro deles é os dinossauros, que, sem muita explicação, quando a meninada chega a determinada idade ela simplesmente fica hipnotizada pelas...Crítica | Luccas Neto e Gi em: Dinossauros – Produção Brasileira Reúne os Dois Elementos Mais Queridos Pela Criançada