Em 2005, o lendário ator George Clooney retornava para a cadeira de direção de seu segundo longa-metragem, o aclamado drama histórico ‘Boa Noite, e Boa Sorte’.

Tendo estreado oficialmente no Festival de Veneza, a história é centrada no conflito entre o veterano jornalista de rádio e de televisão Edward R. Murrow, interpretado por David Strathairn, e o ex-senador dos Estados Unidos Joseph McCarthy, do estado de Wisconsin, que fazia controversas declarações sobre comunistas e espiões infiltrados no governo estadunidense – levando-o inclusive a confessar que tinha uma lista dos membros do Partido Comunista e que pretendia caçá-los.

O elenco também foi formado pelos estelares Clooney, Patricia ClarksonJeff DanielsRobert Downey Jr.Frank Langella, e conquistou o coração da crítica especialziada e do público. Além de ter arrecadado quase US$55 milhões mundialmente (contra um orçamento de apenas US$7 milhões), o filme foi indicado a seis estatuetas do Oscar, incluindo Melhor Filme.

Para celebrar seu 16º aniversário, o CinePOP preparou uma lista com algumas curiosidades de bastidores, que você confere abaixo:



  • Toda manhã, Clooney reunia os membros do elenco e dava a eles cópias dos principais jornais de determinado dia, mas em 1953 (época em que o filme se passa). Ele, então, lhes concedia uma hora e meia para que copiassem as histórias do jornal em máquinas de escrever manuais. Logo depois, improvisava uma conferência de notícias com câmeras escondidas, em que os atores apresentavam as histórias para o editor, como um jornal de verdade.
  • Inicialmente, a famosa frase de conclusão “Boa Noite, e Boa Sorte”, que deu nome ao título do longa, era um hábito que Murrow mantera de seus anos como repórter de guerra em Londres. Os ingleses, sob constante ataque do exército alemão à época da II Guerra, sistematicamente terminavam as conversas com as mesmas palavras, incertos de que se veriam de novo.

Aproveite para assistir:

  • Clooney hipotecou a própria casa em Los Angeles para ajudar a aumentar o orçamento do filme.
  • A cada 23 minutos, precisamente (tempo padrão de programas de televisão dos anos 1950), o longa é pincelado por uma música de jazz apresentada por Dianne Reeves.
  • Nos comentários do DVD, Clooney comentou que cerca de 20% do público que participava dos testes de exibição nunca haviam ouvido falar de McCarthy antes – e queriam identificar quem era o ator interpretando o ex-senador. Quando McCarthy aparece, claro, são utilizadas gravações reais do político.

  • O cenário completo foi escrito em apenas um andar. O elevador interior foi construído sobre uma mesa giratória, para que rotacionasse a um novo “andar”, durante sequências contínuas.
  • Boa parte do texto do discurso conclusório de Murrow no filme foi pego palavra por palavra do caderno de anotações que jornalista entregou durante a convenção RTNDA 1958.



  • ‘Boa Noite, e Boa Sorte’ foi a primeira produçãoo totalmente em preto-e-branco a ser indicada à categoria de Melhor Filme desde ‘A Lista de Schindler’, em 1994.
  • Clooney estava muito nervoso sobre mostrar o longa-metragem para seu pai, Nick, que trabalhara como repórter. Depois de assistir à obra, ele se levantou, deu um tapinha no ombro do filho e disse: “você acertou”.
Comentários

Não deixe de assistir: