O diretor Daniel Espinosa abriu o jogo sobre as críticas que ‘Morbius‘, tentou explicar as cenas pós-créditos confusas e ainda revelou que a Marvel não se envolveu com a produção.

Sobre as críticas:

Em  entrevista ao Insider, Espinosa reagiu aos comentários negativos ao longa-metragem – que teve recepção ainda mais fraca que ‘Venom’ (30%) e ‘O Espetacular Homem-Aranha 2’ (51%).

“Quando fiz meu primeiro filme, era um pequeno chamado ‘Babylon Disease’. Eu me lembro de, um dia, estar no metrô indo para casa e eu tinha bebido um pouco. Alguém chamou minha atenção no trem e disse: ‘preciso dizer para você o que está errado com a segunda cena no filme’. E eu fiquei: ‘ah, OK'”, ele contou. “O que quero dizer é que é muito estranho fazer algo que é tão público”.

Espinosa continua: “olhe, eu tenho bastante de mim mesmo, então critico bastante meu próprio trabalho. Eu sempre estou tentando fazer melhor. Mas também tenho orgulho do que faço. Há partes em todos os meus filmes das quais tenho muito orgulho”.


Sobre as cenas pós-créditos:

Quem já viu ‘Morbius‘ ficou sem entender muito bem qual foi a função de sua cena pós-créditos, onde vemos o Abutre de Michael Keaton tentando recrutar o Vampiro Vivo para lutar contra o Homem-Aranha – mesmo sabendo que o Cabeça de Teia não existe mais no mesmo universo dos vilões.

Aproveite para assistir:



Falando à Variety, Espinosa tentou esclarecer o que a equipe criativa quis fazer quando criou essa sequência.

“Desde que lançou ‘Venom’, a confiança da Sony cresceu bastante. ‘Homem-Aranha no Aranhaverso’, então, é para muitos roteiristas e diretores um dos melhores filmes de quadrinhos já feitos. O filme mudou o universo cinematográfico e a forma como a Sony assumiu essa ideia de todas essas linhas do tempo paralelas”, falou, Espinosa.

Que completou dizendo: “Agora estão fazendo Kraven, então acho que eles estão olhando para o futuro. Mas eu não sei sobre exatamente para onde eles estão indo. Eles me matariam se eu dissesse alguma coisa, e não sei muito. Só sei que eles têm um plano. E eles disseram que há certas coisas que serão desenterradas, como todas essas questões que existem. Existe um Homem-Aranha em seu universo? Quem deveria ser? Há uma resposta vindo, aparentemente, e estou ansioso por isso”.


Ou seja, não sabemos ao certo qual será o Homem-Aranha utilizado nesse universo que está sendo construído pela Sony. Provavelmente, não será o Tom Holland.

Sobre o envolvimento da Marvel:

Espinosa revelou ao Uproxx que a ideia de “linhas do tempo diferentes” foi algo que a Sony Pictures “tentou fazer” sem a ajuda da Marvel e do Kevin Feige.

“O conceito de ter linhas de tempo diferentes veio, acredito, da Sony, não de Kevin Feige. Foi a Sony que iniciou essa ideia. Mas Sem Volta para Casa acabou acontecendo depois, então ficamos no escuro de como abordar em Morbius”, concluiu.  

Ele teve que cortar as cenas do Abutre de Michael Keaton após ‘Sem Volta para Casa‘, por que ele não sabia como trazer o personagem de outro universo e como seriam os efeitos especiais da Marvel para o multiverso.

“A primeira coisa que aconteceu foi que tínhamos Michael Keaton porque estávamos planejando fazer isso. Mas quando Homem-Aranha: Sem Volta para Casa saiu, ele disse: ‘É assim que os efeitos visuais do multiverso são’. E então a ideia de tê-lo apenas encontrando-o naquele universo parecia muito complicada, e então colocamos no final.”


Espinosa redobrou o raciocínio, observando que “não sabia” como a aparência do Abutre teria funcionado sem adicionar os efeitos do multiverso parecidos com os vistos em ‘Sem Volta para Casa‘.

“Sim, porque temos que combinar… eu não sabia como seria a passagem dos personagens pelo multiverso.  

Assista ao trailer e siga o CinePOP no YouTube:


Não deixe de assistir: