O cineasta Joss Whedon se envolveu em uma série de polêmicas, em virtude de críticas ao seu comportamento agressivo e manipulador nos bastidores de suas produções.

E um dos casos mais conturbados, a atriz Gal Gadot revelou que Whedon tentou obrigá-la a gravar uma cena em que o personagem Flash caia sobre o seu corpo de forma um tanto intimista e invasiva. Ela se recusou a fazer a tomada em questão, o que fez com o que o diretor ameaçasse sua carreira, afirmando que a tornaria “miserável”. O cineasta ainda teria ameaçado a atriz, caso ela reclamasse sobre o seu incidente com ele.

Pela primeira vez, Joss Whedon rebateu as declarações e culpou o elenco e a equipe de ‘Liga da Justiça‘ por hostilizá-lo quando ele entrou no projeto.

Ele afirma não ter ameaçado a atriz Gal Gadot e afirmou que ela não deve ter entendido o que ele falou.



“Eu não ameaço as pessoas. Quem faz isso? Inglês não é a primeira língua dela, e eu tendo a ser irritantemente floreado em meu discurso”, ele disse à NY Magazine.

Aproveite para assistir:

Ele contou um debate sobre uma cena que teve com a atriz israelense, que ele afirma que ela interpretou completamente errado.

Sobre as declarações de Ray Fisher, Whedon insiste que ele não estava sozinho em pensar que a atuação do ator como o Ciborgue era fraca, por isso ele cortou grande parte das cenas do personagem.

“Estamos falando de um ator ruim em ambos os sentidos”, continua. 



Ele também culpou os fãs de Zack Snyder por toda a reação que recebeu.

“Não sei quem começou [a campanha de ódio online]. Só sei em nome de quem [Zack Snyder] foi feita.”.

Whedon credita o momento em que o diretor e sua ex-esposa publicaram uma carta mordaz sobre ele como a criação da tempestade perfeita de vingança na Internet:

“O início da internet me levantou, e a internet moderna me derrubou”, diz Whedon. “A simetria perfeita não está perdida em mim.”

fontes ligadas à Warner Bros disseram que Joss Whedon ameaçou a carreira de Gal Gadot quando ele substituiu Zack Snyder como diretor de ‘Liga da Justiça’.



E, durante uma entrevista para o site israelense Mako, a intérprete de Diana Prince/Mulher-Maravilha confirmou a polêmica.

Tudo aconteceu quando Gadot se irritou com as alterações que Whedon fez no papel da Mulher-Maravilha na adaptação, diminuindo seu heroísmo e promovendo uma exagerada sexualização sobre ela.

A declaração foi divulgada por um usuário do Reddit, na qual Gadot diz:

Joss Whedon me disse que faria de tudo para acabar com a minha carreira se eu fizesse algo [para mudar seus planos], ele me disse diretamente que iria garantir que minha imagem seria ridicularizada.”

Confira:



Após o lançamento do Snyder Cut, ficou claro que Diana Prince tem um papel fundamental na nova versão do filme, unindo e os heróis e inspirando-os com sua força e determinação.

No entanto, a versão de 2017 a reduz a um mero símbolo sexual e ofusca toda a construção que a personagem ganhou em seu filme solo, dirigido por Patty Jenkins.

Gadot fez sérias críticas ao papel da Amazona, que chega a ser ridicularizada em uma cena em que o Flash (Ezra Miller) cai em cima de seus seios e ela também é destacada em várias cenas que se aproveitam de seu corpo.

Não deixe de assistir: