Recentemente, foram divulgadas informações de que a jovem estrela Margot Robbie assumirá as rédeas da franquia bilionária Piratas do Caribe no cinema, na forma da nova protagonista. Isto significa que Robbie, que acaba de completar 30 anos no último dia 2, “herdará” a vaga deixada após o “cancelamento” de Johnny Depp e seu Capitão Jack Sparrow, como o novo rosto e símbolo desta verdadeira galinha dos ovos de ouro da Disney.

Robbie, apesar da pouca idade, já é dona de um currículo invejável. Ela é, claro, a personificação da Arlequina nos cinemas, e fez a personagem alçar voos ainda maiores dentro da cultura pop – ao mesmo tempo em que impulsionou a própria carreira rumo ao estrelato com esta atuação. A moça já esteve em produções de centenas de milhões de dólares (A Lenda do Tarzan, Esquadrão Suicida), entregou ótimas atuações (O Lobo de Wall Street, Os Últimos na Terra, Duas Rainhas e Era uma Vez em Hollywood), e trabalhou com diretores renomados (Martin Scorsese e Quentin Tarantino). Ah sim, e foi indicada duas vezes ao Oscar (Eu, Tonya e O Escândalo).

Em breve, Robbie viverá Arlequina mais três vezes nas telonas, Lady Marian em uma nova reinterpretação da lenda de Robin Hood e, acreditem, a boneca Barbie em carne e osso. Pensando em tudo isso, no reboot de Piratas do Caribe e no aniversário desta talentosa estrela, o CinePOP homenageia Margot Robbie com uma matéria sobre os papeis que a atriz deixou passar – afinal, é muita coisa para uma mulher só. Vamos conhecer.

Birdman (2014)

Sim, Margot Robbie era a primeira opção para a protagonista feminina neste vencedor do Oscar de melhor filme. E se tivesse aceitado a proposta, seriam dois golaços consecutivos da atriz – já que esta obra do mexicano Alejandro Iñárritu foi lançada no ano seguinte de O Lobo de Wall Street. Mas foi sua participação em Golpe Duplo (2015) que a obrigou a abrir mão do drama existencial com Michael Keaton – já que foram filmados na mesma época.

Aproveite para assistir:

Robbie estava de férias e precisou encurtá-las quando recebeu a ligação para um segundo teste. E quem não correria, afinal é um filme com Will Smith. Com a saída de Robbie, Emma Stone pegou sua vaga no papel da filha do protagonista e foi indicada ao primeiro Oscar de sua carreira. Será que a loira se arrepende?

Quarteto Fantástico (2015)

Olha só como a vida pode ser irônica. Margot Robbie havia participado de O Lobo de Wall Street, roubado cenas e chamado atenção, mas ainda não era um nome quente na indústria. Assim, fez teste para o elenco de uma nova superprodução de heróis da Marvel/FOX como qualquer mero mortal e, vejam só, não passou. Ou melhor, foi preterida em nome da atriz que realmente ficou com o papel da heroína Sue Storm, Kate Mara – irmã mais velha da indicada ao Oscar Rooney Mara.

Bem, podemos notar hoje, cinco anos passados, que Kate, apesar do talento, não possui o status de Robbie em Hollywood. E vendo o resultado desta, me perdoem, “bomba” de Josh Trank, é seguro dizer que a loira australiana saiu ganhando nessa, ao ter ficado de fora. Apenas um ano depois, no entanto, Margot estrelaria Esquadrão Suicida, que igualmente não angariou as melhores críticas. A diferença foi que Robbie recebeu elogios por seu desempenho, fazendo sua personagem transcender o filme em si. É um dos casos raros no qual o personagem é adorado, e o filme não muito.

Um Mergulho no Passado (2015)

Drama cult lançado antes do diretor italiano Luca Guadagnino se tornar um chamariz com o indicado ao Oscar Me Chame Pelo Seu Nome (2017) e subsequentemente o remake do terror Suspíria (2018). Este aqui também é um remake, de uma produção francesa de 1969, intitulada A Piscina. Margot Robbie era a preferida para um dos papeis de destaque, e com sua saída por motivos de agenda, Dakota Johnson entrou em seu lugar – dando início assim a uma parceria com Guadagnino que se estenderia por Suspíria.

Um Mergulho no Passado não é muito conhecido e no Brasil foi lançado direto em vídeo. Mas Robbie abriu mão do projeto em nome do blockbuster A Lenda de Tarzan, no qual viveu Jane. O filme não foi um sucesso de crítica ou público, e desta vez nem mesmo a performance da atriz a salvaria de um resultado esquecível – que sejamos sinceros, quantos de vocês lembram? Com certeza foi o desejo de trabalhar com o britânico David Yates, o cineasta que mais dirigiu filmes da franquia Harry Potter e seus derivados.

As Panteras (2011)

Peraí, você diz. “Eu conheço a série clássica das Panteras da década de 1970, os filmes de 2000 com Diaz, Barrymore e Liu, e o reboot de 2019 com Kristen Stewart. Que diabos é As Panteras de 2011?”. Pois bem, querido leitor, é isso mesmo. A franquia As Panteras tentou uma revitalização após os blockbusters da década de 2000 no cinema, e o destino de um novo trio de mulheres detetives particulares era a telinha. O motivo para você não lembrar ou quem sabe nunca ter ouvido falar disso, é porque a maioria dos seres deste planeta também seguem nessa linha.

Mas mesmo assim, a série existiu e durou apenas oito episódios de uma primeira temporada, exibida pela rede norte-americana ABC. A pergunta que não quer calar, no entanto, é: será que lembraríamos caso Margot Robbie fizesse parte do elenco? A atriz fez teste para uma das integrantes do trio, mas ao invés de estrelar a série, foi remanejada para outro programa do mesmo canal, o mais interessante Pan Am – série sobre a época gloriosa da companhia aérea homônima passada durante a década de 1960, relatando os dramas e romances de pilotos e aeromoças. Infelizmente, apesar da promessa, Pan Am – que também foi ao ar em 2011 – durou apenas uma temporada de 14 episódios.

Bônus 1: O Lobo de Wall Street (2013)

Calma. Não estamos ficando loucos. Sabemos que o excelente drama de Martin Scorsese foi a produção que abriu portas e mudou para sempre a carreira da australiana Margot Robbie. Mas incluímos o filme na lista porque por muito pouco o destino não foi totalmente diferente para a atriz. Acontece que uma das preferidas para o papel na época era Blake Lively (que tinha sua própria série de sucesso no período – Gossip Girl), mas Robbie terminou levando a melhor e conquistando o renomado diretor em seu teste quando esbofeteou o colega de cena Leonardo DiCaprio.

Parece que estes diretores das antigas gostam de ousadia, já que foi uma manobra parecida que arrebatou Brian De Palma em Scarface (1983) – quando uma então desconhecida Michelle Pfeiffer quebrou um copo na mão de Al Pacino em seu teste. Seis anos depois, Robbie e DiCaprio voltaram a se encontrar, em Era uma Vez em Hollywood, dirigidos por outro grande cineasta: Quentin Tarantino.

Bônus 2: Esquadrão Suicida (2016)

Sim, agora vocês já entenderam a ideia aqui. O que não podemos negar é que o destino foi bom para Margot Robbie. Seus dois trabalhos mais importantes para a consolidação de sua carreira e seu status como estrela por pouco não ficaram nas mãos de outras atrizes. Este talvez não seja mais novidade para ninguém, aqui mesmo no CinePOP constantemente citamos o ocorrido. Mas vamos lá de novo. A primeira opção para a amalucada personagem da DC nesta superprodução era a sobrinha de Julia Roberts, Emma Roberts, que prontamente abriu mão do papel para estrelar a série de comédia e terror, Scream Queens.

O programa da FX durou apenas duas temporadas, num total de 23 episódios. Já Robbie, apesar do resultado do longa, entraria para o time A de Hollywood graças ao papel. Além disso, ganhou seu próprio filme com o recente Aves de Rapina (2020), e já tem mais três participações na pele de Arlequina engatilhadas – com a primeira estreando logo no ano que vem.

Bônus 3: Duas Rainhas (2018)

Grandes atrizes também são inseguras. Ainda mais se não tiverem uma longa carreira e muita experiência. Assim, Margot Robbie quase desistiu do papel da Rainha Elizabeth I, simplesmente pelo fato de não se achar no mesmo nível das intérpretes que haviam vestido a histórica personagem no cinema em anos recentes, vide Judi Dench (Shakesperare Apaixonado) e Cate Blanchett (Elizabeth e Elizabeth: A Era de Ouro).

O fato é até compreensível, já que a primeira levou um Oscar e a segunda foi indicada cada uma das vezes que interpretou o papel. Mas a diretora Josie Rourke a convenceu, e Robbie entregou um desempenho memorável, recebendo muitos elogios e indicações a prêmios, como o SAG. Fora isso, Robbie acabava de sair de uma indicação ao Oscar (Eu, Tonya) e dividiu os créditos com uma jovem atriz igualmente em tal posição – Saoirse Ronan, que havia sido indicada por Lady Bird.

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE