Todo o amante da sétima arte sempre sonhou em ter um filme marcante na sua vida exibido, em uma espécie de sessão VIP, de maneira especial em uma sala de cinema. A telona, aquelas cadeiras confortáveis, o cheirinho da pipoca… a relação que nós temos com as salas de cinema se torna a cada dia algo inesquecível. Com a chegada da COVID e o impacto dessa terrível doença no planeta ficamos órfãos durante meses, longe do nosso lugar especial. Uma saudade que para muitos só aumenta a cada segundo!

Todo filme, de alguma forma, nos faz refletir sobre nossa sociedade, sobre o mundo que vivemos e as mudanças constantes que acontecem. Mas vamos fazer o exercício que se você leitor ou leitora pudesse escolher um único filme para assistir em uma sessão especial, sozinho, tendo a sala toda pra você, um longa-metragem que você nunca viu nos cinemas, que filme seria esse?



No meu caso, desde a primeira vez que entrei em uma sala de cinema (tem uma matéria sobre isso aqui) com 6 anos de idade eu não consegui mais parar de ir ao cinema. A gente cresce, conhece centenas de pessoas, faz nossas escolhas de vida, vive intensamente os amores que surgem mas sempre o cinema foi pra mim um paralelo a isso tudo, como se fosse a cereja do bolo de uma vida alegre, com altos e baixos mas sempre positiva. Eu acredito que um filme pode mudar um dia, uma vida!

Aproveite para assistir:

Voltando a questão de qual filme eu gostaria de assistir sozinho em uma sala de cinema, a resposta vem bem rápida: Um Sonho de Liberdade de Frank Darabont. Eu era pequeno quando o filme foi lançado, mais precisamente tinha cerca de 8 anos, quando o filme saiu dos cinemas e foi lançado em VHS anos mais tarde, meu avô Heráclito sempre alugava nas locadoras (sim! Locadoras existiam e ainda existem!) e eu passava longas tardes de sábado vendo o filme com ele e pausando em várias partes, onde conversávamos sobre a vida e onde aprendi muito sobre esse mundão as vezes tão duro e complicado onde vivemos. O filme, baseado na novela Rita Hayworth and Shawshank Redemption, do grande Stephen King, conta a saga do banqueiro Andy Dufresne condenado injustamente pelo assassinato da sua esposa e do amante dela, passando anos na prisão ele consegue sua liberdade em uma das fugas mais espetaculares da história do cinema. Eu tenho tatuagem que lembra esse filme e uma pulseira com a palavra Zihuatanejo (quem viu sabe sobre o que estou falando).



Bem, essa é a minha escolha! E a de vocês? Se você pudesse escolher um filme para assistir sozinho em uma sala de cinema, qual filme seria?

Deixem seus comentários! Saudações cinéfilas!

 

 

 

COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: