Noah Hawley estava (e ainda está) atado para dirigir a próxima iteração da franquia Star Trek, na qual introduziria uma nova tripulação da Frota Estelar e iria desafiar os tenentes da Federação dos Planetas.

O projeto, entretanto, está em suspensão devido à pandemia do COVID-19 e, visto que ainda não desistiu do longa-metragem, Hawley revelou detalhes sobre a narrativa e o que ele trará como influência.

“O que eu amo sobre Star Trek’ é que não é uma história de guerra. Não é uma história em que o poder faz justiça”, ele disse em entrevista ao Observer“É uma história sobre exploração. Uma história sobre resolver problemas de modo criativo. Meu momento favorito de todo o panteão é em ‘A Ira de Khan’, quando Kirk coloca seus óculos de leitura para derrubar os escudos de Khan. É um momento de tirar o fôlego, porque ele está usando a melhor arma que tem: sua mente. Por mais que eu ame os filmes de Chris Pine, eles são basicamente sobre correr de um lado da nave até o outro, impedir alguma coisa ruim de acontecer e, antes de recuperarmos o fôlego, fazer a mesma coisa de novo. São filmes de ação, e eu queria trazer essa ideia de humanidade de volta, justificando a existência no universo ao mostrar suas melhores qualidades”.

O novo longa-metragem da franquia havia ganhado sinal verde antes da pandemia do novo coronavírus e, em entrevista à Variety, Hawley confirmou que seu projeto conseguiu contratar os figurinistas antes de ser colocado “em hiato” até o momento.

Ele também confirmou que o filme giraria em torno de um novo elenco, e não daquele que já foi visto nas três últimas iterações ou em qualquer outra entrada da saga intergaláctica. Mais do que isso, o realizador disse que a trama iria cruzar com o cânone pré-estabelecido do panteão.

Aproveite para assistir:

“Não vamos fazer Kirk e não vamos fazer Picard. É um começo do zero que permite que façamos a mesma coisa que ‘Fargo’, onde, pelas primeiras três horas, você pensa: ‘nossa, realmente não tem nada a ver com o filme’, e então você encontra o dinheiro. Então estamos recompensando o público com algo que amam”.

De qualquer forma, Chris Pine, que viveu o icônico James T. Kirk na trilogia produzida por J.J. Abrams, já manifestou interesse em reprisar o papel caso Hawley mude de ideia.

Durante uma entrevista para o podcast Things Are Going Great For Me, Pine revelou que adoraria voltar para um quarto capítulo da saga.

“Eu sempre sou a última pessoa a descobrir as coisas… Não tenho ideia se haverá um novo filme… Mas se acontecer, eu adoraria reprisar meu papel [como Kirk]. Eu sei que a Paramount está passando por uma reestruturação corporativa. Então, espero que algo concreto esteja nos planos quando toda essa poeira baixar.”


Antes da estreia de ‘Star Trek: Sem Fronteiras‘, o 4º filme já estava sendo planejado e traria o Kirk de Pine ao lado de George Kirk de Chris Hemsworth (que morreu no primeiro filme) em uma narrativa de viagem no tempo.

Infelizmente, a ideia foi engavetada após as bilheterias nada animadoras do 3º filme, que arrecadou apenas US$ 343 milhões pelo mundo, a partir de um orçamento de US$ 185 milhões.

Além disso, foi dito que Pine estava cobrando cada vez mais caro para continuar na franquia e os produtores não acreditavam no sucesso financeiro de mais um filme após a falta de popularidade do anterior.

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE