Não são poucos os casos de cineastas que atuam em duplas nos filmes. Desde os primórdios do cinema, com os irmãos Auguste e Louis Lumière sendo considerados os pais da sétima arte, até casos mais recentes, com as irmãs Lilly e Lana Wachowski, da série Matrix, e os irmãos Russo, que assinaram os dois últimos Vingadores (além de dois filmes de Capitão América), atuar em dupla tem se mostrado uma tendência na indústria cinematográfica.

Essa tendência é acompanhada pelos talentosos e competentes norte-americanos Anna Boden e Ryan Fleck. Ao contrário dos casos citados anteriormente, eles não têm nenhum parentesco e não são um casal – embora já tenham namorado no passado. Porém, a sinergia entre os dois diretores é notável.

O sucesso mais recente da dupla no cinema foi Capitã Marvel, estrelado por Brie Larson, Samuel L. Jackson, Jude Law, Ben Mendelsohn e outros nomes do Universo Cinematográfico Marvel, mas a trajetória de ambos é mais longa. É hora de relembrar alguns sucessos de Boden e Fleck!

Half Nelson (2006)

A primeira grande dobradinha – embora tenham trabalhado juntos em alguns curta-documentários antes – veio com Half Nelson, em 2006. Na ocasião, Fleck ficou com a direção e Boden, com o roteiro e produção do filme, que contou a história do professor de ensino médio Dan Dunne, interpretado por Ryan Gosling, que lutava para alterar os paradigmas de ensino aos jovens ao mesmo tempo em que enfrentava problemas com o vício em drogas e angústia na vida pessoal.

Apesar do pouco investimento, o longa, que também contou com Shareeka Epps e Anthony Mackie no elenco, teve boa recepção da crítica especializada, com 90% de aprovação no Rotten Tomatoes. Além disso, rendeu a Gosling sua primeira indicação ao Oscar como melhor ator (acabou perdendo para Forest Whitaker).

Aproveite para assistir:

 

Sugar (2008)

Dois anos mais tarde, os dois dirigiram juntos pela primeira vez em Sugar. O filme conta a história de Miguel Santos (Algenis Perez Soto), um jogador de beisebol dominicano que decide abandonar o status de ídolo em sua comunidade local para tentar a sorte nos Estados Unidos, onde enfrenta diversos problemas relacionados ao preconceito para se firmar em ligas menores, mas acaba seduzido pelo “sonho americano”.

Assim como o primeiro longa de Bodden e Fleck, Sugar teve boa recepção da crítica, com 92% de aprovação do Rotten Tomatoes. O filme foi nomeado pelo American Film Institute como um dos dez melhores do ano, sendo destaque também no Hamptons International Film Festival.

 

Mississipi Grind (2015)

Não há como deixar de fora um dos filmes de maior destaque da dupla, Mississippi Grind (ou “A Febre do Mississippi”, como ficou conhecido no Brasil). Lançado em 2015, o roteiro traz a história de amizade entre Gerry (Ben Mendelsohn), um corretor endividado, e Curtis (Ryan Reynolds), um jogador de poker que decide ensinar o amigo a jogar Texas Hold’em.

Com a ajuda de Curtis, Gerry parte para desafios maiores e juntos embarcam para uma viagem a New Orleans onde irão participar de torneios. O desafio maior para Gerry, porém, é saber lidar com as tensões e, sobretudo, com as derrotas. A Febre do Mississippi foi bem recebido pelo público e crítica, recebendo 91% de aprovação no Rotten Tomatoes.

 

Capitã Marvel (2019)

Depois de Mississipi Grind, a dupla se ausentou do cinema por alguns anos, embora tenham trabalhado em algumas séries, como The Affair, Billions e Room 104. Em 2017, veio o convite para dirigir um dos projetos do ambicioso Universo Cinematográfico Marvel, a Capitã Marvel, que jamais havia sido adaptada para os cinemas.

Curiosamente, a dupla Boden e Fleck quase dirigiu outro grande sucesso da Marvel alguns anos antes. Eles foram cotados para Guardiões da Galáxia, lançado em 2014, mas acabaram perdendo o posto para James Gunn, que está à frente da franquia até hoje.

Capitã Marvel foi lançado em 2019, logo após Vingadores: Guerra Infinita, contando a história de Carol Danvers (Brie Larson) e os conflitos entre os Skrull, Kree e os humanos. Embora divida opiniões entre os fãs do UCM, Capitã Marvel foi um sucesso absoluto de público, com a 5ª maior arrecadação de 2019, superando filmes como Coringa, Star Wars: Episódio IX, Toy Story 4.


O longa ainda trouxe uma marca especial para Anna Boden, já que ela se tornou a primeira mulher a dirigir um filme live-action com mais de US$ 1 bilhão de faturamento com bilheteria. Apesar do sucesso, a dupla não estará à frente da sequência de Capitã Marvel, esperada para o ano que vem, que terá a direção de Nia DaCosta.

 

O que vem por aí?

Após Capitã Marvel, Boden e Fleck voltaram a focar na televisão e dirigiram quatro episódios da série Mrs. America, da FX, que trouxe Cate Blanchett no papel principal. A dupla dirigiu o piloto e o episódio final da temporada, que foi muito elogiada pela crítica e público como uma das melhores produções de 2020.

Agora, Boden e Fleck se preparam para outro trabalho na televisão: Masters of the Air, sobre a força aérea norte-americana na 2ª Guerra Mundial. Dos mesmos produtores de Band of Brothers e The Pacific, a série conta com Tom Hanks e Steven Spielberg como diretores executivos e ainda não tem data para estreia.

Comentários

Não deixe de assistir: