Saído da Fornalha 

Segundo filme do jovem diretor e roteirista Scott Cooper, Tudo por Justiça é um thriller dramático de vingança simples, mas muito bem explorado. Cooper chamou a atenção do mundo cinéfilo em 2010, quando viu Coração Louco, sua estreia no comando de uma produção, ser indicado para três prêmios no Oscar e levar duas estatuetas (melhor canção e melhor ator para Jeff Bridges). Em seu segundo filme, Cooper continua em território rural, mas em uma trama dilacerante e violenta, para contar a história dos irmãos Russell e Rodney Baze.

O primeiro, vivido por Christian Bale (indicado na categoria de melhor ator no último Oscar), é o honesto e trabalhador primogênito, que pegou para si a responsabilidade pelo irmão. Após um acidente de carro, no entanto, passa anos preso e perde o amor de sua vida, Lena (Zoe Saldana). Rodney, papel de Casey Affleck, é o rebelde. Veterano de guerra que não encontra lugar na sociedade ao voltar para casa, na sua velha cidadezinha, após o conflito. O fato o leva ao terreno ilegal das lutas clandestinas, nas quais é agenciado pelo personagem de Willem Dafoe.

Out of the Furnace 2

O problema é que a dupla cruza caminho com o perigoso traficante Harlan DeGroat, mais uma personificação maravilhosa de Woody Harrelson (que recentemente brilhou na série True Detective). O sujeito é o rei do crime nas montanhas, local onde nem mesmo a lei pode tocá-lo. Pela descrição podemos sentir que o filme pega muito emprestado e serve como homenagem ao clássico de Michael Cimino, O Franco Atirador (1978). Na trama do icônico filme de guerra, após passarem o diabo na mão dos vietnamitas em uma prisão, dois homens lidam de forma diferente com o trauma ao voltarem para a América.

O clima montanhês, o ambiente metalúrgico e até mesmo o esporte da caça aos veados marcam presença na homenagem do diretor Cooper. Além, é claro, da extrema violência psicológica e gráfica, trocando apenas o aterrador suspense do jogo de roleta russa, pelo sanguinolento “esporte” das lutas ilegais. Simples em sua narrativa e desenrolar, Tudo por Justiça ganha pontos na força da atuação que os personagens recebem de seus intérpretes. Todos estão com o modo tour de force ligado e se embrenham nas personificações de tal forma que esquecemos a todo instante estar assistindo a um filme e sim a uma fatia da vida.

Aproveite para assistir:

Out of the Furnace 3

Bale tem momentos de fúria, como na cena em que destrói um telefone após descobrir que nada será feito para trazer justiça em relação à morte do irmão. Mas em geral seu personagem é o centro de estabilidade numa situação extrema. As cenas dramáticas ao lado de Zoe Saldana são extremamente melancólicas. A atriz é muito exigida aqui e aparentemente tudo o que faz em suas cenas é chorar. Este deve ter sido um papel exaustivo para a jovem atriz.

Logo na primeira cena, durante uma simples ida ao drive inn, Cooper estabelece a ameaça que será apresentada durante todo o filme. Tudo por Justiça peca apenas em seu terceiro ato, quando opta por um desfecho que o afasta de ser uma obra especial. Mesmo assim, ainda temos muito o que tirar desta produção autoral. E isso inclui a fantástica trilha, composta pela banda Pearl Jam e seu vocalista Eddie Vedder.

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE