Ah, a eterna Sessão da Tarde. O programa diurno da TV aberta brasileira foi o responsável pela formação de diversos cinéfilos em nosso país e o primeiro contato que muitos, através de gerações, tiveram com filmes. Hoje, com inúmeros canais de TV a cabo e serviços de streaming, o público tem inúmeras fontes de apreciação da sétima arte em casa. Mas somente quem viveu nos anos 1980 e 1990 sabe como foi o processo para que estas obras cinematográficas chegassem até nós. Sim, tínhamos as inesquecíveis locadoras e os cinemas – embora estes não tivessem ao alcance de todos.

Assim, as exibições da TV aberta era o caminho a ser seguido pelos pequenos em formação. E embora conforme fôssemos ficando mais velhos o interesse pela programação noturna – que incluía filmes de terror, por exemplo – fosse ficando mais evidente, foi na programação vespertina que garantimos inúmeras horas de diversão em frente a TV. Pensando nisso e nessa inesquecível época de toda uma geração, o CinePOP relembra com você alguns dos mais emblemáticos longas de comédia exibidos na Sessão da Tarde.

Leia também: Relembre 10 Comédias Clássicas da Sessão da Tarde dos anos 80

Apertem os Cintos, O Piloto Sumiu

Título longo e criativo no Brasil para o bem mais curto e direto Airplane!, esta comédia nonsense foi a grande responsável pela criação de todo um subgênero. E se hoje temos filmes adorados como a franquia Todo Mundo em Pânico, podemos agradecer a esta obra produzida pela Paramount. Poucos talvez saibam, mas Apertem os Cintos… foi um enorme sucesso, desbancando pesos pesados como Popeye, Flash Gordon e O Iluminado, lançados no mesmo ano, se tornando o quinto filme mais lucrativo nas bilheterias em 1980. O longa é pura tiração de sarro com o cinema catástrofe, muito em voga nos anos 1970, em especial a franquia Aeroporto (1970, 1974, 1977 e 1979). Apertem os Cintos, O Piloto Sumiu está completando 40 anos em 2020, e é a oportunidade perfeita para rever esse clássico do humor.

Aproveite para assistir:

A Dama de Vermelho

O saudoso Gene Wilder, o eterno Willy Wonka original, é quem comanda o show aqui, como roteirista, diretor e protagonista desta comédia que é refilmagem de uma obra francesa. Praticamente uma versão moderna do clássico O Pecado Mora ao Lado (1955), o filme traz Wilder na pele de um homem comum, pai de família, tentado ao adultério pela visão de uma beldade sedutora, papel da britânica Kelly LeBrock – a Mulher nota Mil em pessoa. Aqui, temos replicada inclusive a cena com Marilyn Monroe no duto de ventilação e seu vestido esvoaçante, trocando o icônico traje branco por um, é claro, vermelho de LeBrock. Além de todos os atrativos, A Dama de Vermelho ficou marcado pela inesquecível canção de Stevie Wonder, “I Just Called To Say I Love You”.

Trocando as Bolas

Hoje, talvez poucos dimensionem o que foi o fenômeno Eddie Murphy nos anos 1980. Uma explosão sem precedentes, o jovem humorista saía do programa Saturday Night Live para ganhar o mundo como um dos maiores astros de Hollywood. Trocando as Bolas, versão atualizada do clássico Pigmalião, trazia uma receita vencedora que se traduziu em muito sucesso para a Paramount. De um lado tínhamos o carisma de um então jovem Eddie Murphy em seu segundo trabalho no cinema – e a um ano do fenômeno Um Tira da Pesada. De outro, o novo projeto de Dan Aykroyd com o diretor John Landis, do sucesso Os Irmãos Cara de Pau (1980). Na trama, dois irmãos milionários brincam de Deus e fazem de joguete as vidas de um sem-teto (Murphy) e um riquinho (Aykroyd). De quebra ainda temos Jamie Lee Curtis em papel de destaque.


A Vingança dos Nerds

Há certo tempo um reboot desta franquia vem sendo prometido, e a última notícia a respeito da produção a colocava como uma pré-sequência do filme original. Grande sucesso da Sessão da Tarde, assim como sua continuação de 1987, A Vingança dos Nerds é a clássica história de superação e volta por cima dos chamados underdogs. O expectador adora uma trama onde os humilhados são exaltados, por ser uma ideia de fácil identificação. Assim, passado num ambiente de fraternidades universitárias norte-americanas, um grupo de estudantes rejeitados precisa criar seu próprio grêmio e superar as adversidades. A comédia trazia uma gama de personagens únicos e queridos para toda uma geração.

O Garoto do Futuro

Nem só de De Volta para o Futuro viveu o astro Michael J. Fox, o eterno Marty McFly. No mesmo ano do revolucionário blockbuster sobre viagem no tempo, era lançada esta comédia que talvez nem todos conheçam. De fato, Teen Wolf no original, só ganhou este título no Brasil por causa da superprodução de Steven Spielberg citada – os responsáveis por títulos nacionais sempre foram muito criativos, não é mesmo? Na trama J. Fox vive um estudante colegial tímido e perdedor. Porém, quando descobre uma “maldição” em sua família, se torna o rapaz mais popular da escola. Esta é uma divertida brincadeira com os filmes de lobisomem. E embora possa não parecer, fez sucesso como obra cult gerando um desenho animado (1986-1988), uma continuação (1987) e uma série recente (2011-2017), que tinha mais a ver com Crepúsculo do que com o filme original.

A Garota de Rosa-Schocking

O que seria de uma lista das comédias dos anos 1980, sem a presença de um filme com a icônica ruivinha Molly Ringwald? A carismática atriz pode ter sumido nas décadas seguintes, mas foi imortalizada em nossos corações pelas inúmeras reprises da época em filmes como Gatinhas e Gatões e Clube dos Cinco. Na primeira parte da lista comentamos sobre O Rei da Paquera – que a uniu a Robert Downey Jr. – e agora vamos de um dos títulos mais lembrados e associados a Ringwald no período. Ela é a dona da cor definitiva. Escrito por seu “padrinho” John Hughes, no filme a atriz vive uma jovem de classe humilde, precisando escolher entre o amor do melhor amigo ou de um riquinho de bom coração.

O Segredo do Meu Sucesso

Michael J. Fox pode ser baixinho na vida real, mas é um gigante de talento e um ser humano incrível que merece todas as homenagens que pudermos fazer a ele. Aqui o astro retorna à lista com mais uma comédia que marcou em exibições na TV aberta. Pegando carona na onda dos yupies norte-americanos da década – os chamados “Young urban Professional” eram jovens ambiciosos que começavam sua vida Professional muito cedo e tinha como mérito a realização de uma vida confortável e bem sucedida. Neste meio ambiente, J. Fox vive um rapaz do interior tentando a sorte na cidade grande, e usando de muita sagacidade (e certa artimanha) a fim de subir na empresa de seu tio, onde trabalha. O elenco conta ainda com a Supergirl do cinema em pessoa, a graciosa Helen Slater.


As Bruxas de Eastwick

Deixe para um cineasta do peso de George Miller (da quadrilogia Mad Max) criar uma comédia “infernal” de inúmeros significados, relevante até hoje, e que fala sobre preconceito, fanatismo religioso, liberdade sexual, libertinagem e empoderamento feminino. De quebra, taxando Jack Nicholson no papel mais deliciosamente diabólico de sua carreira, como o homem dos sonhos de um trio de beldades enfeitiçantes do nível de Cher, Michelle Pfeiffer e Susan Sarandon. Quem viu não esquece!

Ela Vai ter um Bebê


Por falar em John Hughes, o cineasta é outro tesouro mundial quando o assunto é cinema nos anos 1980. Se falarmos em filmes adolescentes e comédias, seu nome chega logo no topo. E aqui o saudoso diretor deixa o universo juvenil um pouco de lado para se aventurar numa história um pouco mais madura, sobre a entrada na vida adulta. O tema é o casal recém-casado, vivido por Kevin Bacon e Elizabeth McGovern, que passam por uma verdadeira provação ao terem que fazer malabarismo com sua vida juntos e a chegada inesperada do primeiro bebê. Este clássico da Sessão da Tarde foi escrito e dirigido por Hughes.

Sem Licença para Dirigir

Fechando a lista temos outra comédia muito lembrada por todos que passavam horas perante a TV se divertindo na infância e adolescência. O longa reúne os Coreys, Corey Haim e Corey Feldman, do sucesso oitentista Os Garotos Perdidos, um dos mais notórios filmes de vampiros da história do cinema. Aqui, a dupla reprisa a parceria logo no ano seguinte, numa produção que nada tem a ver com o filme citado, a não ser a plena diversão. Na trama, Haim está louco para tirar a carteira de motorista, mas o pior acontece quando ele é reprovado e precisa mentir para a família e amigos a fim de pegar o carro do pai e conquistar Mercedes (Heather Graham), a menina de seus sonhos.

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE