Nem só de filmes e séries vivem as festividades natalinas – mas também de música. E não estamos apenas falando de trilhas sonoras que marcaram época (como é o caso de longas como ‘A Felicidade Não se Compra’), e sim de canções especiais lançadas por lendas da indústria fonográfica.

Ora, é quase automático associar o Natal a nomes como Mariah Carey e George Michael, que inclusive marcaram presença na matéria que você está lendo neste momento. Porém, outras faixas de fim de ano passam escondidas do radar mainstream – e por isso resolvemos separar essa lista.

Entre nomes como Kelly Clarkson e Tchaikovski, passando pelo lendário John Lennon, criamos um ranking das melhores música da época em questão que já foram produzidas ao longo do tempo, seja pela letra, seja pelo impactante instrumental.

Veja nossas escolhas abaixo e conte para nós qual a sua favorita!

10. “UNDERNEATH THE TREE” – KELLY CLARKSON

Aproveite para assistir:

Wrapped in Red é o sexto álbum de estúdio da icônica Kelly Clarkson e sua primeira investida natalina – e, assim como suas criações predecessoras, a performer entregaria uma track específica que até hoje apareceria ou em trilhas sonoras ou em nossas escolhas para enfeitar o fim do ano.

A classy “Underneath the Tree” é uma mistura nada ortodoxa de vários elementos sonoros, como as ecoantes teclas do piano, a presença de um orquestral trompete e as batidas do dance-pop (tudo isso dentro de um pano de fundo que emula os retumbantes sinos de Natal). E, como a cereja do bolo, temos o forte mezzosoprano da lead singer que, sem exageros, é explorada nos níveis mais surpreendentes imagináveis.

9. “WONDERFUL CHRISTMASTIME” – PAUL MCCARTNEY

“Wonderful Christmastime” foi originalmente lançado em 1979 por Paul McCartney em um escopo eletrônico e sintético que representava uma ruptura com o disco e o dance da época. Entretanto, a música não ficou restrita apenas à sua voz e foi relida por outras lendas da indústria que não apenas imortalizaram a produção, como revitalizaram-na.


Se McCartney fez um trabalho impecável, Diana Ross emprestaria seus potentes vocais do soul e do R&B para uma regravação em 1994, enquanto Kylie Minogue recuperaria a estética electro em 2016, trabalhando ao lado de MIKA.

8. THE OC: A VERY MERRY CHRISMUKKAH OST

The OC é um dos dramas adolescentes mais conhecidos e conquista fãs até os dias de hoje. E, dentro desse famoso escopo, uma das épocas mais lembradas da série é o Natal – ainda mais pelo incrível compilado indie que produziram com o especial A Very Merry Chrismukkah.

Com adaptações transgressoras de canções como “Last Christmas” e utilização das inesperadas vertentes de The Raveonettes e Ron Sexsmith, o miniálbum é uma louca, divertida e emocionante aventura por inúmeros gêneros musicais que convergem para um único e especial lugar.

7. “NOITE FELIZ” – JOSEPH MOHR & FRANZ GRUBER

“Noite Feliz” não é apenas uma mera canção natalina que ganhou versões em praticamente todas os países do planeta, mas é um belíssimo conto de fim de ano austríaco que homenageia a mitologia católica da forma mais cândida possível.

Composta por Joseph Mohr e Franz Gruber, a obra foi performada pela primeira vez em 1818, na igreja de St. Nicholas na cidade de Oberndorf, que havia sido destruída por uma recente enchente. Seu poderoso liricismo e os orgânicos instrumentais carregaram seu legado para os dias de hoje e, em 2011, ela se tornou patrimônio da UNESCO.

6. “HAPPY XMAS (WAR IS OVER)” – JOHN LENNON & YOKO ONO


Imortalizada pela conhecida voz de John Lennon, “Happy Xmas (War Is Over)” vai além das costumeiras letras de prosperidade, mas também serve como um épico protesto movido pela rebeldia do rock que fala sobre a Guerra no Vietnã.

Aqui, Lennon se junta a Yoko Ono e a um espetacular coral de crianças do Harlem e entregam-se a uma releitura da tradicional balada inglesa “Skewball”. O legado dessa canção é tamanho, que nomes como Damien Rice, Laura Pausini e até mesmo o extinto grupo televisivo Glee pincelaram-na com suas próprias personalidades.

5. “JINGLE BELL ROCK” – BOBBY HELMS


A clássica “Jingle Bell Rock” ganhou ainda mais fama quando levada para a rom-com Meninas Malvadas em 2004, mas a verdade é que a track de Bobby Helms foi lançada em 1957 e, desde então, faz parte da playlist de qualquer aficionado pelas festividades natalinas.

Escrita pelas habilidosas mãos de Joe Beal e Jim Boothe, a música é uma ode ao soft-rock dos anos 1950 (o mesmo que tornou Elvis Presley tão popular), e é guiado pelos acordes de uma guitarra on-point. Para além disso, a construção faz homenagem à secular “Jingle Bells” – só que com uma perspectiva mais dançante, por assim dizer.

4. “CHRISTMAS TREE FARM” – TAYLOR SWIFT

Depois de ter tido um incrível ano, Taylor Swift voltou mais um ano para nos entregar uma das canções mais gostosas e imperdíveis de sua carreira. A teatral “Christmas Tree Farm” é evocativa, inocente e dialoga com força com elementos já utilizados por nomes como Alanis Morissette e Mariah Carey.

Sabemos que Swift é uma das melhores compositoras de sua geração e que, nos últimos anos, vem se envolvendo bastante na esfera pop. E, diferente do que esperaríamos, a cantora mergulha em uma versão mais elegante de si mesma sem perder de vista sua identidade sonora – o que deixa a faixa ainda mais especial.


3. “O QUEBRA-NOZES” – PIOTR TCHAIKOVSKY

Em 1892, Piotr Tchaikovsky mergulhava em mais uma incrível composição que seria relembrada para as eras: depois de aventurar-se pelo trágico O Lago dos Cisnes e a folclórica A Bela Adormecida, o compositor russo adaptaria outro clássico da literatura para os palcos, O Quebra-Nozes e o Rei dos Camundongos’. E, bom, não é surpresa que sua obra seja constantemente relida quando estamos perto do fim do ano.

A meticulosa e impecável produção estende-se por quase duas horas e é destinada, na verdade, para os ballets performativos; entretanto, quando ouvimos as agudas notas da seção “A Dança da Fada Açucarada”, é impossível não sermos engolfados por um místico e narcótico mundo cujas portas se abrem e nos convidam para uma espetacular jornada.

2. “LAST CHRISTMAS” – WHAM!

George Michael é um nome revolucionário dentro da esfera fonográfica e, ao lado de Andrew Ridgeley, compôs o memorável duo intitulado Wham!. O nome pode até não soar muito familiar, mas a dupla é responsável por uma das baladas dance-pop mais tocadas de todos os tempo, a contraditória e melancólica “Last Christmas”.

A música, lançada em 1984, mistura com perfeição a estética do synth-pop e do supracitado dance, guiada por uma poderosa letra que entra em conflito com a suave melodia. Afinal, em uma época como esta, esperaríamos algo romântico, otimista e à la contos de fada; entretanto, conforme a canção se segue, percebemos que o eu-lírico, na verdade, entregou seu coração para alguém que não o queria.

1. “ALL I WANT FOR CHRISTMAS IS YOU” – MARIAH CAREY

É claro que a lendária Mariah Carey não ficaria de fora da nossa lista – ainda mais tratando de uma época tão icônica para a artista quanto o Natal. “All I Want For Christmas Is You” é, até hoje, uma das canções festivas mais memoráveis da história e, ano após ano, quebra recordes e mais recordes de reproduções (tendo até mesmo entrado para o Livro dos Recordes no ano passado).

Lançada em outubro de 1994, a enérgica faixa é uma mistura de batidas clássicas e épicas exploradas nos séculos anteriores ao mesmo tempo que convida a presença de fortes sintetizadores e uma guirlanda de constantes sinos para dinamizar a forte apresentação da cantora – e, se a composição sonora já é marcante, não precisamos nem falar da incrível rendição de Carey (em praticamente todas as performances que se propõe a fazer).

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE