Em entrevista ao Boo Crew Podcast, o diretor William Brent Bell confirmou que não usará CGI – efeitos digitais – como base do processo de rejuvenescimento da atriz Isabelle Fuhrman, que retornará como a psicótica Esther, na pré-sequência de ‘A Órfã‘.

“Nós sabemos o segredo do primeiro filme, então a diversão em trazer a Isabelle Fuhrman de volta para o papel – que foi um grande processo para ser aprovado – é um grande desafio por si só. Nós não iremos usar CGI moderno… Quero dizer, vamos usar CGI para nos ajudar, mas não para criar a aparência dela. Usaremos técnicas antigas: perspectiva forçada, ângulos de câmeras e iluminação.”

Ele continua, “Eu amo essa personagem e eu quero ser respeitoso com o público que gostou do primeiro filme. Quero expandi-la como personagem, fazer com que ela seja melhor compreendida. Mas, ao mesmo tempo, ter tanta diversão com ela quanto tivemos no primeiro filme… e até mais. E termos a Isabelle de volta é muito legal.”

Confira a primeira imagem dos bastidores:



O novo filme, intitulado ‘Orphan: First Kill‘ (A Órfã: A Primeira Matança, em tradução livre), seguirá Leena Klammer, que orquestra uma fuga brilhante de um centro psiquiátrico da Estônia e viaja para a América personificando a filha desaparecida de uma família rica. Mas a nova vida de Leena como “Esther” vem com problemas inesperados e a coloca contra uma mãe que protegerá sua família a qualquer custo.

Julia Stiles também estrelará a produção.

A pré-sequência será dirigida por William Brent Bell (‘Boneco do Mal‘), com um roteiro escrito por David Coggeshall.



O filme original foi lançado em 2009 e foi comandado por Jaume Collet-Serra. Apesar de ter feito um barulho considerável nas bilheterias (arrecadando quase US$80 milhões), a produção teve recepção mista por parte da crítica especializada, alcançando 56% de aprovação no Rotten Tomatoes.

Comentários

Não deixe de assistir:

🚨 INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE 🚨http://bit.ly/CinePOP_Inscreva