Após ser escalado como o Gavião Negro na adaptação de Adão Negro’, Aldis Hodge vem dando uma série de entrevistas para promover o filme e sua preparação para o papel.

Desta vez, o astro conversou com Geeks of Color e falou sobre a importância da representatividade em filmes de super-heróis.

“Depois que me escolheram, eu comecei a pensar sobre o espaço que os negros estão alcançando, principalmente nos filmes de super-heróis, e isso é tão motivador para outras pessoas. Sei disso porque eu não cresci assistindo super-heróis que se parecem comigo.”

Ele continuou:



“Lembro que na minha juventude havia um ou outro herói negro, tipo o ‘Blade’ e o ‘Spawn‘. Apesar de serem apenas dois, foi incrível vê-los e me imaginar como um deles. Saber que as crianças serão capazes de ver isso cada vez mais é fantástico, é inspirador. Isso é muito saudável quando você está crescendo.”

Para quem não conhece o arco do Gavião Negro, o herói é o alter-ego do arqueólogo Carter Hall que, supostamente, é a reencarnação de um antigo príncipe egípcio chamado Khufu.

Aproveite para assistir:

Nos dias atuais, ele atua como vigilante e protetor de relíquias históricas.

Anteriormente, Hodge conversou com o The Hollywood Reporter e disse que ficou muito emocionado ao saber que havia sido escolhido para o papel porque não tinha esperança de entrar para o elenco.



Ele até chegou a comparar a oportunidade com um prêmio de loteria porque ele sempre quis ser um herói, mas só recebia respostas negativas.

“Eu recebi uma ligação de Dwayne Johnson e ao ouvir sua voz eu já desanimei porque achei que ele iria me consolar por perder o papel. Mas ele estava me parabenizando. Quando ele disse: ‘Bem-vindo ao time’… Para mim, foi como ganhar na loteria e demorei a acreditar que era real. Eu estava muito, muito ansioso para fazer parte de qualquer adaptação de super-heróis. Não importa qual fosse o filme, eu só queria ser um herói porque sou um grande fã desse gênero, mas eu sempre recebia um NÃO.”

Ele também explicou o que o atraiu para o papel.

“Eu amo a natureza do Gavião Negro. Ele é um guerreiro absoluto. Ele é selvagem, no melhor sentido da palavra. Ele é destemido e bem-intencionado. Mas o que eu mais nele e ao qual me identifico pessoalmente é sua compreensão e amor de tentar corrigir a história. Tudo se resume à parte cerebral. Ele é um professor e, porque vive muitas vidas, ele entende; ele estava lá. Ele é a história. E quando se trata de certas coisas nos livros didáticos, ele quer corrigi-los.”

Inicialmente previsto para dezembro de 2021, o filme foi removido do cronograma da Warner Bros. em virtude do COVID-19.

Por enquanto, não tem estreia confirmada. De qualquer forma, anunciou Johnson em seu perfil do Instagram, indicando que: “na primavera [norte-americana], vamos rodar o grande Adão Negro para o universo DC, na Geórgia.

Confira:



Além de Johnson e Hodge, o elenco também é formado por Noah Centineo como o Esmaga-Átomo, Quintessa Swindell como Ciclone e Sarah Shahi, cujos detalhes sobre o papel não foram revelados.

Marwan Kenzari está sendo cotado para interpretar Ishmael Gregor/Sabbac.

Apesar dos detalhes sobre a narrativa não terem sido revelados, os fãs já sabem que Adão Negro é o antagonista principal do herói conhecido como Shazam. Nos tempos modernos, entretanto, o personagem evoluiu para um anti-herói extremamente complexo e conturbado – tornando-se uma das criações mais proeminentes do panteão da DC.

O filme é dirigido por Jaume Collet-Serra (‘Jungle Cruise’).

Confira as primeiras artes da adaptação:


Comentários

Não deixe de assistir: