sexta-feira, julho 12, 2024

Ana de Armas | Conheça os MELHORES e PIORES filmes da estrela de ‘Agente Oculto’, da Netflix

A jovem estrela Ana de Armas, de 34 anos, deve ser para sempre enaltecida pelo seu feito – de conseguir penetrar num mercado tão competitivo quanto o de Hollywood, que muitas vezes não dá chance nem mesmo para os americanos nativos. Acontece que a atriz saiu lá de Cuba, seu país de origem, se tornando um dos raros talentos da atuação do país exportados para os EUA e o mundo. Ana de Armas definitivamente é a cubana número 1 em Hollywood, dando enorme orgulho a seus conterrâneos. A atriz já esteve em grandes produções dos maiores estúdios da meca do cinema, participando de franquias renomadíssimas. Bons contatos ajudam, mas é preciso ter talento também. Fora isso, a atriz estrelou dois filmes ao lado do nosso Wagner Moura, que vira e mexe emplaca algum trabalho na terra do tio Sam também.

Seu mais recente lançamento, a superprodução Agente Oculto (um dos filmes mais caros da história da Netflix) já é o novo sucesso de sua carreira, tendo emplacado forte no gosto do grande público. Agente Oculto (The Gray Man) se tornou a segunda maior estreia da história da Netflix, tendo sido assistido durante 88,5 milhões de horas no primeiro fim de semana. Fora isso, a Netflix já confirmou a continuação do longa, assim como também um derivado. Na trama, Armas interpreta Dani Miranda, uma agente da CIA que termina se aliando ao caçado protagonista, vivido por Ryan Gosling. A estrela latina já havia trabalhado com ambos os galãs anteriormente, fazendo de Agente Oculto a segunda parceria com Gosling e Chris Evans. Sem dar muito spoiler, basta dizer que ambos os filmes aparecerão aqui nestas listas.

Leia também: Chris Evans | Conheça os MELHORES e PIORES filmes do astro de ‘Agente Oculto’, da Netflix

Como forma de comemorar este novo sucesso dos irmãos Joe e Anthony Russo (responsáveis por quatro dos melhores filmes da Marvel) em sua primeira parceria com a Netflix, e também celebrar esta ainda subestimada atriz que é Ana de Armas (cujo próximo trabalho é a biografia de uma das maiores lendas de Hollywood, Marilyn Monroe, no projeto mais ambicioso de sua carreira e que pode vir a lhe render prêmios, Blonde, da Netflix), resolvemos recapitular rapidamente a filmografia da jovem estrela, apontando os cinco melhores e também os cinco piores filmes de sua carreira – na opinião dos críticos e também do grande público. Confira abaixo.

Leia também: Ryan Gosling | Conheça os MELHORES e PIORES filmes do astro de ‘Agente Oculto’, da Netflix

MELHORES

5. O Informante (2019)

Começamos a lista do top 5 melhores filmes da cubana Ana de Armas com este thriller policial dono de um elenco de peso e produzido pelos mesmos realizadores de John Wick e Sicario. Quem protagoniza é o sueco Joel Kinnaman, no papel de um ex-presidiário coagido pelas autoridades a servir de informante de seus antigos colegas da máfia polonesa. Ele começa a ver o cerco se fechar quando sua mulher e filha sofrem ameaças. Ana de Armas interpreta a esposa do protagonista, Sofia. O filme conta ainda com as participações dos britânicos indicados ao Oscar Rosamund Pike e Clive Owen.

4. Cães de Guerra (2016)

Dirigido por Todd Phillips, o mesmo do fenômeno Coringa (2019) e da trilogia cômica Se Beber, Não Case, este é um dos filmes mais subestimados da carreira do diretor, e que passou relativamente em branco sem que muitos sequer o conheçam. Apesar disso, fica aqui a recomendação para que todos encontrem e assistam ao longa, já que na opinião dos fãs e dos críticos, é o número 4 dos melhores de Ana de Armas. Na trama, Miles Teller e Jonah Hill protagonizam como dois amigos que investem na carreira ilegal de contrabandistas de armas, fazendo contato com todo tipo de gente perigosa. A atriz vive a namorada do personagem de Teller, aqui em um de seus primeiros e importantes passos na escalada da carreira.

3. 007 – Sem Tempo para Morrer (2021)

Não deixe de assistir:

O mais recente episódio na franquia 007, a mais duradoura do cinema, deu o que falar, fez enorme sucesso e foi responsável – ao lado de Velozes e Furiosos 9 e Homem-Aranha: Sem Volta para Casa – pelo retorno do grande público aos cinemas. É o tipo de cinema espetáculo que consegue cativar a audiência e arrastar multidões. Quem pôde conferir a despedida de Daniel Craig do papel, após cinco filmes como o espião, foi só elogios para o desempenho de Ana de Armas como a atrapalhadinha, mas extremamente eficiente e letal agente cubana Paola, que roubou a cena na breve sequência que aparece, e deixou todos com o gostinho de quero mais, desejando um derivado só com a personagem. Hollywood, por favor, faça acontecer!

2. Blade Runner 2049 (2017)

Mais uma propriedade icônica e milionária de Hollywood, na qual Ana de Armas molhou seus pés com uma participação importantíssima. Como dito no início do texto, Armas e Ryan Gosling já haviam colaborado anteriormente, e o projeto que os uniu pela primeira vez foi esta obra do renomado Denis Villeneuve. Obviamente, se trata da tardia sequência do clássico cult Blade Runner – O Caçador de Androides, que está completando 40 anos em 2022. No filme, a atriz interpreta Joi, basicamente uma “boneca inflável do futuro”. Brincadeiras à parte, Joi é uma inteligência artificial no estilo de Ela (2013), só que com as formas da atriz graças a uma tecnologia de holograma. Ela serve de companhia para o protagonista vivido por Gosling, um replicante solitário que trabalha como Blade Runner.

1. Entre Facas e Segredos (2019)

Em primeiro lugar dos melhores filmes de Ana de Armas na opinião dos críticos e do público, está a primeira parceria entre a atriz e o ator Chris Evans. Depois de Agente Oculto, os dois ainda irão reprisar a parceria novamente, na aventura romântica Ghosted. Mas a primeira vez em que trabalharam juntos foi aqui neste suspense com tintas de crítica social e muito humor ácido, que brinca com a estrutura das histórias de Agatha Christie a modernizando para os novos tempos. O patriarca idoso de uma família rica morre com indícios de que foi assassinado. Agora seu grande clã familiar tem uma extensa lista de suspeitos – já que todos estavam de olho na fortuna. Ana de Armas tem um papel importante como Marta Cabrera, a cuidadora latina e melhor amiga do idoso, a quem o sujeito deixa toda a sua herança. A mulher termina virando alvo de sua família.

PIORES

5. O Recepcionista (2020)

Inaugurando o top 5 dos piores filmes da carreira da cubana na opinião de críticos e fãs, está este suspense lançado durante o auge da pandemia e estrelado pelo menino Tye Sheridan. O jovem ator interpreta Bart, o recepcionista de um hotel no turno da noite, que possui uma condição clínica semelhante ao autismo e tem o hábito de bisbilhotar os hóspedes através das câmeras. Quando uma mulher hospedada no local é morta durante seu turno, a polícia começa a investigar o sujeito, que se torna o principal suspeito. Ao mesmo tempo, ele começa a desenvolver uma relação de afeto com outra hóspede, papel de Ana de Armas, e precisa descobrir a identidade do assassino antes que ela se torne a próxima vítima.

4. Águas Profundas (2022)

Era para ser a volta maestral do diretor Adrian Lyne, que tem no currículo clássicos dos anos 80 como Flashdance, 9 ½ Semanas de Amor e Atração Fatal, dos anos 90 como Proposta Indecente, e 2000 como Infidelidade. Todos estes possuem um forte teor sexual em sua narrativa, que é a linha pela qual Águas Profundas também era vendido. Fora isso, é a adaptação de um livro da autora Patricia Highsmith, a mesma que serviu de base para filmes como Pacto Sinistro, O Talentoso Ripley e Carol. Na trama com ares de Garota Exemplar, Ben Affleck vive mais um relacionamento caótico e doentio, desta vez ao lado da personagem de Ana de Armas. Eles são Vic e Melinda, um casal aparentemente perfeito, que tem uma pequena filha. Mas eles gostam de apimentar o relacionamento com os casos extraconjugais da mulher – uma tara para ambos. As coisas, porém, sairão completamente do controle.

3. Bata Antes de Entrar (2015)

Esse foi o filme que serviu de porta de entrada de Ana de Armas em Hollywood. O primeiro filme americano da atriz. E ela começou sendo dirigida por Eli Roth, um especialista em terror, numa obra na qual contracena com o “muso” Keanu Reeves. Remake de uma produção dos anos 70, Armas e Lorenza Izzo, a esposa do diretor, interpretam duas belas jovens que aparecem perdidas numa noite de chuva torrencial na porta do sujeito vivido por Keanu Reeves. Ele é um pai de família que ficou em casa sozinho após a esposa e filha terem ido viajar, para terminar um trabalho. Ele acolhe as jovens precisando de abrigo – numa noite que ainda trará muitos jogos de sedução e outros mais assustadores. O filme, no entanto, não emplacou no gosto dos críticos e do público, mas serviu para impulsionar a carreira de Armas em Hollywood.

2. No Limite (2017)

Você já tinha ouvido falar neste filme? Tudo bem, quase ninguém ouviu. Trata-se de um veículo B de ação para Scott Eastwood, filho do lendário Clint Eastwood. O filho, no entanto, não conseguiu emplacar até o momento como astro de Hollywood. Há cinco anos ele tentava com este “clone” de Velozes e Furiosos, escrito pelo mesmo roteirista do segundo filme da franquia citada. No filme, Eastwood vive um ladrão de carros habilidoso, que termina capturado por sua última vítima e precisa fazer um acordo para roubar um carro raro de um sujeito poderoso. Ana de Armas vive sua parceira de falcatruas, num de seus papeis de destaque no início da carreira nos EUA.

1. Filha de Deus (2016)

Quando uma atriz ou um ator se destaca no cinema de Hollywood, logo surgem diversos convites para estrelar todo tipo de filme. É preciso selecionar bem e ter um agente de confiança, que saiba detectar quando a aposta é certeira, ou quando se trata de um risco. Bem, após chamar atenção em Bata Antes de Entrar, Ana de Armas e seu agente acharam por bem repetir a dobradinha com o astro Keanu Reeves. E bem que poderia realmente ter sido uma boa coisa, mas resultou thriller dramático pouco memorável, onde Reeves vive um policial tentando proteger uma mulher – papel de Ana de Armas. Junte à narrativa elementos sobrenaturais dignos dos filmes apocalípticos do fim da década de 1990. Na opinião dos críticos e dos fãs, Filha de Deus é o pior filme da jovem carreira de Ana de Armas até o momento, e quem sabe o pior de Keanu Reeves também.

Mais notícias...

Siga-nos!

2,000,000FãsCurtir
370,000SeguidoresSeguir
1,500,000SeguidoresSeguir
183,000SeguidoresSeguir
158,000InscritosInscrever

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MATÉRIAS

CRÍTICAS