Bright’ já é considerado um dos filmes mais vistos da Netflix e, embora a produção tem uma grande validação do público em geral no Rotten Tomatoes, a crítica especializada massacrou o filme.

Para o ator Joel Edgerton, a discrepância seria a versão contrária de ‘Star Wars: Os Últimos Jedi’, cuja rejeição do público foi inversamente proporcional à aceitação da imprensa.

E em uma entrevista ao site Collider, o ator falou sobre a avaliação dos jornalistas sobre ‘Bright’, salientando que houve uma espécie de “ódio crítico” em relação à produção. Edgerton ainda pontuou que a opinião pública precisa reassistir a produção e reavaliá-la.

Disse:

“Tudo o que eu sei é o que foi relatado, que foi algo tipo 11 milhões de de pessoas assistindo no primeiro fim de semana. Independente do número que foi, o montante foi de $100 milhões, mais o fim de semana de estreia. Mas eu preciso ser franco, isso é considerando o fato de que as pessoas não precisam sair de casa, entrar no carro e comprar um ingresso de cinema e um balde de pipoca. Existe uma era onde você pode simplesmente zapear pela TV, decidindo o que assistir pelo controle remoto. Mas de acordo com as avaliações, esses números estão lá e eu acho que isso seria sustentado pela grande discrepância entre a avaliação da audiência e do agregador de notas, Rotten Tomatoes, quase como o inverso de ‘Star Wars: Os Últimos Jedi’. Lá você tem a porcentagem de aprovação da crítica, que corresponde a 90% e a do público, referente a 48%. Já com ‘Bright’ – que foi massacrado pelos críticos – a situação é completamente diferente, com 85% de aceitação dos telespectadores. Eu acho que houve um pouco de ódio crítico em relação ao filme, talvez porque ele esteja mudando a paisagem da indústria cinematográfica, mas ‘Bright’ talvez seja uma produção que deva ser revista pela opinião pública, ao invés de ser assistida pelo prisma do criticismos de cinema”.

Bright 2’ ainda não tem data de estreia definida.

Confira o anúncio:

Aproveite para assistir:

O híbrido do gênero policial e fantástico contou com um orçamento referente a US$ 100 milhões e foi visto aproximadamente por sete milhões de pessoas nos Estados Unidos, entre as faixas etárias de 18 e 49 anos.

Crítica | Bright – Filme da Netflix é PIOR que ‘Esquadrão Suicida’

Assista nossa crítica:

Comentários