[ANTES DE COMEÇAR A MATÉRIA, FIQUE CIENTE QUE ELA ESTÁ RECHEADA DE SPOILERS] 

Se você ainda não assistiu ao último episódio de Cavaleiro da Lua, evite esta matéria, pois ela contém spoilers.


Cavaleiro da Lua chegou ao fim nesta quarta-feira (4), enquanto não confirmam uma segunda temporada ou um filme focado no anti-herói. Repleto de alguns dos melhores momentos da produção, esse episódio final atendeu às expectativas deixadas pelo penúltimo capítulo e encerrou a série deixando um gancho que praticamente garante que essa não foi a última vez que vimos o avatar de Khonshu pelo MCU.

O episódio começa com Marc Spector (Oscar Isaac) negando o paraíso egípcio para resgatar Steven Grant (Oscar Isaac) para que juntos escapassem dali e retornassem à vida para derrotarem Arthur Harrow (Ethan Hawke) e a entidade Ammit. Enquanto se recupera, a série foca em Layla (May Calamawy) tentando libertar Khonshu para impedir a ameaça. No caminho, ela passa a ser abordada por Tuéris, que tenta convencê-la a se tornar sua avatar. A mulher reluta, mas termina aceitando.


Layla havia tomado posse do escaravelho que guiou Harrow até Ammit. Isso foi um easter egg da origem do personagem que foi adaptado em Layla. Sim, ao assumir a forma do avatar de Tuéris, a mulher se transforma na Escaravelho Escarlate.

Aproveite para assistir:



Nos quadrinhos, o Escaravelho Escarlate é Abdul Faoul, um arqueólogo egípcio que invade uma tumba e encontra o amuleto sagrado conhecido como Escaravelho Rubi. Ao pegá-lo, Abdul se torna um semideus egípcio que passa a atuar como vilão. A versão da série manteve o escaravelho, a origem egípcia da portadora, mas atribuiu a questão do semideus à deusa Tuéris. E convenhamos, se o Escaravelho Escarlate aparece em cinco quadrinhos é muito. Foi uma boa sacada transformar um vilão egípcio em uma super-heroína 100% africana, que já mostra sua representatividade em sua primeira aparição na série.

Arthur Harrow, ao atingir seu objetivo de libertar Ammit, se põe diante da entidade e demonstra plena fé nela, reforçando que ele era indigno e deveria ter seu destino subjugado por ela.

Foi um ponto bacana, porque mostra que ele não era um charlatão, mas sim um fanático religioso que acreditava plenamente em algo que existia mesmo, apesar de ser terrível e trazer o caos para as pessoas do Cairo. É aquele negócio, você pode chamá-lo de mau, mas de hipócrita? Jamais. Mesmo oferecendo sua vida, Harrow acaba sendo poupado e usado como avatar de Ammit.


Enquanto isso, Marc e Steven se encontram com Khonshu e fazem um acordo com ele para virarem um avatar temporário. Khonshu é conhecido por seu caráter questionável, se aproveitando das situações deploráveis em que seus “hospedeiros” se encontram. E como a Marvel adora colocar os trapaceiros sendo trapaceados, a dupla de um supostamente passa a perna no deus egípcio, que luta em sua forma física gigantesca contra uma Ammit igualmente colossal. As sequências do embate dos dois são os momentos mais incríveis desse episódio final.

Paralelamente, Marc e Steven alternam entre Cavaleiro da Lua e Senhor da Lua para descer a porrada em Arthur Harrow e seu machado místico.

E nesse momento, em noite de lua cheia, o Cavaleiro da Lua atinge o ápice de seus poderes, assim como nos quadrinhos, fazendo uso de sua força sobre-humana, sua capa voadora e sua gama de aparatos, como os tradicionais Dardos Crescentes (essas lâminas em forma de lua) e o bastão com fios do Senhor da Lua.

Com as ameaças derrotadas e a dupla Marc/ Steven vivendo tranquilamente no mesmo corpo, a série traz sua primeira cena pós-créditos. Nela, vemos Arthur Harrow no Hospital Psiquiátrico Sienkiewicz. Assim como praticamente todos os lugares da série, esse nome é uma referência a um dos quadrinistas mais icônicos do Cavaleiro da Lua, Bill Sienkiewicz. Mas o maior segredo dessa cena é o QR Code que aparece na parede do hospital.


Ao abri-lo, o código redireciona para uma página da Marvel onde está disponível uma história em quadrinhos na qual o Cavaleiro da Lua enfrenta ninguém menos que Kang, o Conquistador.


Para quem talvez não se lembre do personagem, Kang é um viajante do tempo que costuma causar muitas dores de cabeça para os Vingadores.

E uma versão dele já foi introduzida no MCU. Interpretado por Jonathans Majors, a versão alternativa do Kang era o Guardião do Tempo por trás da TVA na série Loki.

Além disso, o Kang de Majors já foi confirmado como o vilão principal do vindouro Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania. Então, por mais que não seja uma confirmação de que veremos novamente o anti-herói, essa referência do QR Code provavelmente não foi gratuita, então não seria tão surpreendente se o Cavaleiro da Lua aparecesse no Homem-Formiga 3. Eu, particularmente, torço muito por isso.

Ainda na pós-créditos, Harrow acaba sendo levado do hospital por um homem misterioso. Quem conhece o núcleo do Cavaleiro da Lua já matou de cara quem era o homem misterioso só pela postura e pelo figurino. Mas como se isso não bastasse, a série fez questão de trazer outro elemento dos quadrinhos: a limusine de Marc Spector. Nas HQs, ela tem piloto automático, mas a versão da série traz um piloto que os fãs já queriam ver há muitos episódios: Jake Lockley.

Isso mesmo. A personalidade “taxista” de Marc, que a gente já suspeitava ter se manisfestante em episódios anteriores, enfim se revela como a carta na manga de Khonshu para manter Marc e Steven sob seu domínio num próximo filme ou numa segunda temporada. Na série, ele assume um aspecto mais violento, praticamente como um vilão mesmo. É impossível conter a ansiedade para saber como vão abordá-lo no futuro.


E o Loki segue como o único trapaceiro do MCU que foi efetivamente trapaceado. Coitado.

Todos os episódios de Cavaleiro da Lua estão disponíveis no Disney+.

 

Não deixe de assistir: