Guillermo del Toro é um dos realizadores mais conhecidos e únicos do cinema contemporâneo, já tendo dado vida a diversas produções extremamente aclamadas pela crítica – como ‘A Forma da Água’‘O Labirinto do Fauno’ e a mini-franquia ‘Hellboy’, apenas para nomear alguns. Entretanto, estamos comemorando um título que pode não ser tão conhecido dentro da filmografia do diretor, mas que merece nossa atenção: Círculo de Fogo.

Lançado em 2013, a história é centrada em uma horda de monstros conhecidos como Kaiju que despontam no meio do Oceano Pacífico para trazer caos e desespero ao planeta. Para combatê-los, a humanidade desenvolve uma série de robôs gigantescos, os Jaegers, cada um controlado por duas pessoas através de uma conexão neural. Entretanto, mesmo os Jaegers se mostram insuficientes para derrotar os Kaiju. Diante deste cenário, a última esperança é um velho robô, obsoleto, que passa a ser comandado por um antigo piloto (Charlie Hunnam) e uma treinadora (Rinko Kikuchi).

Com uma recepção sólida por parte da crítica, o longa foi elogiado pelos efeitos visuais e as sequências de ação, além de ter ganhado comentários sobre seu caráter nostálgico. Arrecadando mais de US$400 milhões nas bilheterias mundiais, Círculo de Fogo é considerado como uma das grandes homenagens à estética anime, kaijumecha.

Para celebrar seu iminente aniversário de oito anos, o CinePOP separou uma breve lista com algumas curiosidades de bastidores, que você confere abaixo:



  • Aproximadamente uma centena de Kaijus e outra centena de Jaegers foram criados, mas apenas uma fração deles apareceu no filme. A cada semana, os realizadores e produtores votavam em seus favoritos.
  • O roteirista Travis Beacham também assinou a graphic novel Círculo de Fogo: Contos do Ano Zero’. Lançada juntamente ao filme, a obra entra como prólogo dos eventos principais e se passa doze anos antes da narrativa original.
  • Beacham teve a ideia para a história enquanto andava pela costa da Califórnia em uma manhã enevoada. A forma de um píer parecia como uma criatura emergindo das águas – e ele imaginou um grandioso robô esperando pacientemente para batalhar com ela.

Aproveite para assistir:

  • Os Jaegers são parte da cultura anime japonesa, onde são chamados comumente de mecha. Similarmente às produções do gênero, os Jaegers são controlados pela parte de dentro por pilotos humanos, distinguindo-se de outros retratos de robôs, como os controlados externamente ou pela mente.
  • Para o filme, Del Toro pegou inspirações de pinturas, incluindo ‘El Coloso’, de Francisco Goya, e ‘A Grande Onda de Kanagawa’, de Hokusai.
  • Diversos países criaram seus próprios Jaegers, incluindo: Estados Unidos, Canadá, Austrália, Japão, China, Rússia, Singapura, Índia, Filipinas, Dinamarca, Reino Unido, Malásia, México, Peru, Argentina e muitos outros.
  • Taylor KitschAaron Taylor-JohnsonAaron PaulLuke BraceyHenry Cavill foram considerados para viver o protagonista Raleigh Becket na produção. Eventualmente, o papel foi para Hunnam.

  • Karloff, um dos kaijus da sequência inicial do filme, é nomeado em homenagem ao lendário ator Boris Karloff. O apelido foi dado à criatura pelo fato de sua cabeça ser bastante semelhante a Imhotep, antagonista principal do clássico ‘A Múmia’ (1932), que foi interpretado por Karloff.
  • Círculo de Fogo é dedicado a diversos “mestres dos monstros”, incluindo Ray Harryhausen (animador de filmes como ‘Simbad e a Princesa’) e Ishirô Honda (diretor de ‘Godzilla’). Nos créditos finais, Del Toro também faz agradecimentos especiais a nomes como James CameronDavid CronenbergAlfonso CuarónAlejandro González Iñárritu.
  • Na Hungria, os trailers do filme não podiam mencionar o nome do robô principal, Gipsy Danger, pela nomenclatura ser ofensiva aos Romani, extenso grupo étnico no país. Entretanto, o título faz referência ao motor de aeronave De Havilland Gipsy Major, não às pessoas em questão.
Comentários

Não deixe de assistir: