Sem dúvida, ‘Promessas de Guerra‘ é um filme atraente. Durante a projeção não senti muita vontade de virar o rosto, embora alguns pequenos momentos tenham me causado esta sensação, nem tão pouco a obra seja uma grande experiência. Trata-se de um filme que tende ao mediano (no pior sentido da palavra), mas que é um bom começo para o estreante (na direção) Russell Crowe, já que este demonstra certa sensibilidade ao longo do filme e que, me pareceu, tem potencial para realizar algo muito bom.

Empregando personagens já manjados, como o pai amargurado (personagem típico de Crowe), a namorada do herói e a criança por quem o herói se afeiçoa, o filme narra à jornada de um pai que busca os ossos dos filhos para que possa enterrá-los em casa. A obra encontra como seu grande pilar as atuações, que vão dos excelentes Yılmaz Erdoğan e Olga Kurylenko ao ótimo Ryan Corr, e o sempre sólido como pedra Crowe. As grandes falhas do filme se concentram, basicamente, no roteiro. Dessa forma, é impressionante notar como os roteiristas se utilizam de artifícios que qualquer um que está começando a escrever roteiros sabe que não deve usar constantemente em seus trabalhos.

thewaterdiviner

E não só uma vez, mas durante toda a obra o roteiro se baseia em um Deus ex machina atrás do outro, para dar continuidade a narrativa. Vemos Joshua Connor (Crowe) adivinhando, por meio de visões, onde os seus filhos estão enterrados, bem como a constante visão do pai da batalha final dos filhos, na qual ele não estava presente. São empregados, também, personagens que mudam de personalidade em segundos de acordo com a comodidade dos roteiristas. Em um momento, o Major Hasan (Erdogan) resolve ajudar o protagonista, mesmo havendo dito, há alguns instantes, que não iria mais ajudá-lo. Em outra ocasião, o tenente Cyril (Jai Courtney) resolve permitir, de uma hora para outra, que Joshua fique em um acampamento proibido para civis, mesmo tendo manifestado, anteriormente, que não o queria ali.

Se em alguns momentos Crowe toma decisões eficientes e originais, em outros, apela ao drama excessivo e aos clichês. Os momentos de drama forçados são constantes durante o filme e são ressaltados pela trilha sonora igualmente forçada, que em alguns momentos, com música excessiva e montagem rápida, beira o videoclipe.

O diretor insiste, também, em uma palheta dessaturada que se tornou o lugar comum para filmes de guerra, bem como uma palheta amarela para algumas das cenas na Turquia, algo que é minimamente interessante mas genérico por retratar o país como um lugar exótico e repleto de condimentos.

thewaterdiviner3

10 filmes de terror no Amazon Prime Video para fugir dos problemas…

Aproveite para assistir:

10 Séries de Comédia para Maratonar nas Próximas Semanas

Em outras instancias, porém, Crowe demonstra sensibilidade, e por isso afirmo que é um diretor com potencial para fazer algo muito melhor, lhe falta apenas um pouco de bagagem. Alguns dos diálogos relacionados à primeira guerra mundial, bem como o mérito de não cair no lugar comum de endeusar os aliados e demonizar a aliança revelam honestidade do diretor bem como coragem em apresentar uma visão realista da guerra, como um conflito no qual não há vencedores.

15 Séries da Netflix Para Maratonar

15 Séries da Globoplay Para Você Maratonar

15 Séries da Amazon Prime Para Maratonar neste mês

10 reality shows insanos pra você que amou The Circle e Casamento às Cegas

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE